Trabalho e saúde: estudo sobre o adoecimento docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16i1.13489

Palavras-chave:

Trabalho, Saúde, Adoecimento docente.

Resumo

A comunicação versa sobre o adoecimento docente mediado pelo materialismo histórico e dialético, de uma revisão bibliográfica e metodologia classificada como estudo descritivo e de revisão de literatura. O material analisado em formato de teses, dissertações e artigos foi acessado através dos bancos de dados CAPES e SciELO, referindo-se ao período de janeiro/2016 a dezembro/2018. Também constam dados bibliográficos de obras de áreas afins referentes ao período de 2008 a 2016. Com abordagem quantitativa e de análise de conteúdo identificaram-se categorias e subcategorias que se relacionaram ao objeto e como resultados propostas louváveis para melhoria da qualidade de vida docente, contudo tais ações se mostram paliativas e pouco pontuais por não resolverem o problema em suas bases fundantes. Nas conclusões pode-se constatar que para reverter esse quadro de adoecimento cabem ações que minem as bases desse sistema que se sustenta na exploração de uma classe sobre a outra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Mariano de Castro, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza – CE

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

ALMEIDA, U. R. Nas trilhas da atividade: análise da relação saúde-trabalho de uma professora de educação física escolar. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, supl. 1, p. 245-263, 2011.

ASSUNÇÃO, A. Á.; OLIVEIRA, D. A. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 107, p. 349-372, maio/ago. 2009.

BASTOS, J. A. Q. R. O mal-estar docente, o adoecimento e as condições de trabalho no exercício do magistério, no ensino fundamental de Betim/MG. 2009. 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

BERNARDO, M. H. Produtivismo e precariedade subjetiva na universidade pública: o desgaste mental dos docentes. Psicologia & Sociedade, Minas Gerais, v. 26, n. spe, p. 129-139, 2014.

BORSOI, I. C. F.; PEREIRA, F. S. Professores do ensino público superior: produtividade, produtivismo e adoecimento. Universitas Psychologica, Bogotá, Colombia, v. 12, n. 4, p. 1213-1235, 2013.

DAL ROSSO, S. Mais trabalho!: a intensificação do labor na sociedade contemporânea. São Paulo: Boitempo, 2008.

DAL ROSSO, S. et al. Associativismo e sindicalismo em educação: organização e lutas. Biblioteca Sindicalismo em Educação. v. 1. Brasília: Paralelo 15, 2011.

DALAGASPERINA, P.; MONTEIRO, J. K. Preditores da síndrome de burnout em docentes do ensino privado. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 19, n. 2, p. 265-275, maio/ago. 2014.

FÓRUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO – FNE. O PNE na articulação do Sistema Nacional de Educação: participação popular, cooperação federativa e regime de colaboração. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2., 2014. Brasília. Anais [...]. Brasília, DF: MEC; FNE, 2014.

GOUVÊA, L. A. V. N. de. As condições de trabalho e o adoecimento de professores na agenda de uma entidade sindical. Revista Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 40, n. 111, p. 206-219, out./dez. 2016.

LEMOS, D. Trabalho docente nas universidades federais: tensões e contradições. CADERNO CRH, Salvador, v. 24, n. spe 01, p. 105-120, 2011.

MANGO, M. S. M. et al. Análise dos sintomas osteomusculares de professores do ensino fundamental em Matinhos (PR). Fisioter. Mov, v. 25, n. 4, p. 785-794, out./dez. 2012.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. 4. ed. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. Trad. Isa Tavares. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

NORONHA, M. M. B. et al. O sofrimento no trabalho docente: o caso das professoras da rede pública de Montes Claros, Minas Gerais. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 65-86, mar./jun. 2008.

OLIVEIRA, E. R. A. de. et al. Gênero e qualidade de vida percebida – estudo com professores da área de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 741-747, mar. 2012.

PARO, V. H. Diretor escolar: educador ou gerente? São Paulo: Cortez, 2015.

PIOLLI, E. et al. Plano Nacional de Educação, autonomia controlada e adoecimento do professor. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. 97, p. 589-607, set./dez. 2015.

PIZZIO, A.; KLEIN, K. Qualidade de vida no trabalho e o adoecimento cotidiano de docentes do ensino superior. Educ. Soc., Campinas, v. 36, n. 131, p. 493-513, abr./jun. 2015.

SALVARO, M. S. Processo de trabalho docente: relação entre o ser e o adoecer. 2009. 110 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2009.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 38. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

SILVA, E. P. E.; MANCEBO, D. Subjetividade docente na expansão da UFF: criação, refração e adoecimento. Fractal, Rev. Psicol, Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, p. 479-492, maio/ago. 2014.

SILVA, S. A. da.; PAES, M. S. L. Caracterização do absenteísmo dos docentes da rede municipal da rede municipal de Coronel Fabriciano - MG. Revista Enfermagem Integrada, Ipatinga: Unileste, v. 9, n. 1, jul./ago. 2016.

SIMÕES, F. I. W. A constituição do mundo psíquico e as doenças relacionadas ao trabalho. 2008. 173 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Assis, 2008.

VILELA, E. F. et al. Vivências de prazer-sofrimento no trabalho do professor. Revista Eletrônica de Administração - REAd, Porto Alegre, ed. 75, n. 2, p. 517-540, maio/ago. 2013.

YONEZAWA, F. H. Corporeizar: Acompanhar o problema do adoecimento das professoras a partir de uma intervenção ético-afectiva em grupos. 2008. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

Publicado

19/06/2020

Como Citar

MARIANO DE CASTRO, V. Trabalho e saúde: estudo sobre o adoecimento docente. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 16, n. 1, p. 62–83, 2020. DOI: 10.26673/tes.v16i1.13489. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/13489. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos