Inclusão escolar de estudantes com transtorno do espectro autista (TEA) no ensino fundamental II

Regiane Cristina Cábrio, Relma Urel Carbone Carneiro

Resumo


 

Este estudo apresenta uma reflexão sobre a inclusão escolar de alunos com Transtorno do Espectro Autista TEA, clientela pertencente ao público alvo da Educação Especial, discutindo essa realidade no Ensino Fundamental II. Apresenta uma visão geral sobre o TEA e a análise de uma entrevista semiestruturada realizada com um professor que possuía um aluno com TEA, verificando qual sua visão sobre seu papel e como o aluno é visto e trabalhado na escola.  Utilizamos uma abordagem qualitativa de pesquisa e como procedimento metodológico o Estudo de Caso. Buscamos verificar como tem se dado a inclusão nesta realidade. Após a análise dos dados constatou-se que ainda há muitos aspectos que devem ser mudados para que ocorra uma inclusão efetiva, principalmente na formação do grupo gestor, dos docentes, e inciativas governamentais, a fim de que a inclusão seja sinônimo de desenvolvimento e aprendizagem significativos.


Palavras-chave


Inclusão escolar. Autismo. Ensino fundamental II.

Texto completo:

PDF

Referências


CARNEIRO, R. U. C. Formação de professores: da educação especial à inclusiva – alguns apontamentos. In: ZANIOLO, L. O.; Dall´Acqua, M. J. C. Inclusão Escolar: pesquisando políticas públicas, formação de professores e práticas pedagógicas. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

CARVALHO, R. E. Educação inclusiva: com os pingos nos “is”.10ªed – Porto Alegre: Mediação, 2014.

COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos do desenvolvimento e necessidades educativas. v. 3. 2º ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

CARVALHO, B. S. da S.; NASCIMENTO, L. F. do N. O autista e sua inclusão nas escolas particulares da cidade de Teresina – PI. Revista Educação Especial, v. 28, n. 53, p. 677-690, set./dez. 2015.

CORTELLA, M. S. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. Cortez Editora, 14ª edição, p. 110-111.

DECHICHI, C. Transformando o ambiente da sala de aula em um contexto promotor do desenvolvimento do aluno deficiente mental. Tese de Doutorado. USP, São Paulo, 2001.

FONSECA, Bianca. Mediação escolar e autismo: a prática pedagógica intermediada na sala de aula. Rio de Janeiro. Wak. Editora, 2014.

GAUDERER, E. C. Autismo e outros atrasos do desenvolvimento: uma atualização para os que atuam na área: do especialista aos pais. Brasília: CORDE, 1993.

KANNER. Affective disturbances of affective contact. Nervous Child, v.2, p.217-250, 1943.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

NÓVOA, A. Escola nova. A revista do professor. Ed. Abril, 2002, p,23.

RODRIGUES, J. M. C.; SPENCER, E. A criança autista: um estudo psicopedagógico. Rio de Janeiro. Wak. Editora, 2010.

SCHWARTZMAN, J. S. Autismo infantil. Brasília: CORDE, 1994.

STAINBACK, S.; STAINBACK, W.; Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.




DOI: https://doi.org/10.26673/rtes.v13.n2.jul-dez.2017.9549



Temas em Educ. e Saúde, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN 2526-3471, ISSN 1517-7947

Prefixo DOI: 10.26673/rtes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.