Orientação e treinamento de pais: uma vivência clínica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/rbpe.v20.n1.2018.10872

Palavras-chave:

Neuropsicologia comportamental, Mudança de comportamento, Treinamento de pais, Práticas parentais, Relação pais-filhos.

Resumo

O presente trabalho visou implementar e verificar a eficácia do ‘Programa de Orientação e Treinamento de Pais’, que orienta e capacita pais, para que eles mesmos aprendam a manejar as contingências de suas práticas educativas. Sabe-se que técnicas de modificação de comportamento têm sido empregadas cada vez mais no contexto da Neuropsicologia. O artigo descreve vivência clínica da qual participaram vinte e seis pais em oito encontros. Os dados qualitativos, obtidos por uma ficha de avaliação, revelaram alta satisfação dos pais. A análise qualitativa dos relatos dos pais demonstrou que eles passaram por um processo de autoconhecimento e apresentaram mudanças, como: aumento da participação e do envolvimento na vida dos filhos, estabelecimento de regras claras e consistentes, maior valorização de comportamentos adequados dos filhos e aumento da frequência de elogios por parte dos pais, com diminuição ou abandono do uso de palmadas. A abordagem terapêutica com base no treinamento, atingiu seus objetivos, ressaltando que trabalhos de atenção positiva, prevenção e intervenção com os pais são necessários para aumento da qualidade na interação familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlete de Lima

Especialista em Neuropsicologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (FCMMG). Graduada em Psicologia e em Pedagogia. Patos de Minas, Minas Gerais

Ana Maria Pereira Cardoso, Faculdade de Ciências Empresariais da Universidade FUMEC

Doutora em Ciências pela USP

Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento

Referências

CAMINHA, M. G.; CAMINHA, R. M. (org). Intervenções e treinamento de pais na clínica infantil. Porto Alegre: Synopsys, 2011.

COSTA. F. T.; TEIXEIRA, M. A. P.; GOMES, W. B. Responsividade e exigência: duas escalas para avaliar estilos parentais. Psicologia Reflexão e Crítica, v. 13, n. 3, p. 465-467, 2000.

GOMIDE. P. I. C. Manual do inventário de estilos parentais: modelo teórico, manual de aplicação, apuração e interpretação. Petrópolis: Vozes, 2006.

HAASE, V. G.; FREITAS, P. M de; NATALE, L. L.; PINHEIRO, M. I. dos S. Treinamento comportamental de pais: uma modalidade de intervenção em neuropsicologia. In: TEIXEIRA, A. M. S. et al. (org). Ciência do Comportamento: conhecer e avançar. Santo André, SP. ESETec Ed. Cap. 8, p. 73-89.

HOFFMAN, M. Discipline internalization. Developmental Psychology, v. 11, p. 228-239. 1994.

PACHECO, J. T. B.; SILVEIRA, L. M. de O. B.; SCHNEIDER, A. M. de A. Estilos e práticas educativas parentais: análise da relação desses constructos sob a perspectiva dos adolescentes. Psico. v. 39, n.1. p. 66-73, jan/mar. 2008.

PAPALIA, D. E.; OLDS, S. W.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SILVEIRA, L. M. O. B.; PACHECO, J. T. B. CRUZ, T.; SCHNEIDER, A. A. Estratégias educativas desejáveis e indesejáveis: uma comparação entre a percepção de pais e de mães de adolescentes. Alethéia, v. 21, p. 31-42, 2005.

Downloads

Publicado

16/01/2018

Como Citar

LIMA, A. de; CARDOSO, A. M. P. Orientação e treinamento de pais: uma vivência clínica. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 20, n. 1, p. 6–19, 2018. DOI: 10.30715/rbpe.v20.n1.2018.10872. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/10872. Acesso em: 17 maio. 2024.