Desenvolvendo o talento musical na educação básica

Fabiana Oliveira Koga, Rosa Maria Tolon

Resumo


A educação musical e a atenção especializada aos estudantes com talento estão previstas pela Lei nº 13.278/16 e pela Lei 13.234/15, ambas com origem na Lei nº 9394/96. Porém, muitos estudantes brasileiros não têm acesso à educação musical e, tampouco, a atenção educacional especializada. Se a disciplina de música fosse implementada em todas as escolas, como acontece com educação física e artes, muitos estudantes poderiam se beneficiar desse ensino, ser identificados e desenvolver suas potencialidades. Por isso, o objetivo deste ensaio teórico é levantar uma discussão a respeito da importância do ensino de música e do desenvolvimento do talento musical, para que esse assunto possa ser cada vez mais discutido e, talvez, possa mobilizar gestores da educação básica e do ensino superior para a relevância dessa modalidade de ensino para o desenvolvimento humano e, no caso do talento musical, qualidade de vida e oportunidade para aqueles que o manifesta.


Palavras-chave


Educação; Educação Especial; Educação Musical; Talento musical.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


AMATO, R. C. F. Breve retrospectiva histórica e desafios do ensino de música na educação básica brasileira. Revista Opus, São Paulo, v. 12, p. 144 – 166, dezembro de 2006.

BATRES, E.; GAINZA, V. H. La formación del educador musical latino-americano. Guatemala: Avanti – FLADEM, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 20 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 24 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, referente ao ensino de arte. Brasília, 02 de maio de 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13278.htm. Acesso em: 01 out. 2018.

FONTERRADA, M. T. O. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. São Paulo: Editora UNESP; Rio de Janeiro: Funarte, 2008.

GARDNER, H. Frames of mind. New York: Perseus, 1993.

GORDON, E. E. Teoria da aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

GORDON, E. E. Teoria de aprendizagem musical para recém-nascidos e crianças em idade pré-escolar. 4ªed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2015.

GUENTHER, Z. Quem são os alunos dotados? Reconhecer dotação e talento na escola. In: MOREIRA, L. C.; STOLTZ, T. Altas habilidades/superdotação, talento, dotação e educação. Curitiba: Juruá, p. 63 – 83, 2012.

HAROUTOUNIAN, J. Kindling the spark: recognizing and developing musical talent. New York: Oxford University Press, 2002.

ILARI, B. Música na infância e adolescência: um livro para pais, professores e aficionados. Curitiba: Intersaberes, 2013.

KIRNARSKAYA, D. The natural musician: on abilities, giftedness and talent. Trad. do russo por Mark H Teeter. New York: Oxford, 2004.

KIRNARSKAYA, D. How to Predict Professional Success in Music and Beyond? Constructing Universal Talent's Structure for the Best Vocational Choices. Japão: The international academy forum, 2013.

PENNA, M. Música (s) e seu ensino. Porto Alegre: Sulina, 2008.

RENZULLI, J. S. A concepção de superdotação no modelo dos três anéis: um modelo de desenvolvimento para a promoção da produtividade criativa. Tradução de Lucila Adam; Maria Clara. Connolly. In: VIRGOLIM, A. M. R.; KONKIEWITZ, E. C. (Orgs.) Altas Habilidades/superdotação, inteligência e criatividade. Campinas: Papirus, p. 219-264, 2014.

RENZULLI, J. S. Reexamining the role of gifted education and talent development for the 21 st century: a four-part theoretical approach. In: RENZULLI, J. S; REIS, S. (Orgs). Reflections on gifted education. Texas: Prufrock, p. 31 – 51, 2016.

RUBINSTEIN, J. L. Principios de Psicologia general. Trad. Sarolta Trowsky. México: Grijalbo, 1967.

SOLOMON, A. Longe da árvore: Pais, filhos e a busca da identidade. São Paulo: Companhia das letras, 1987.

TERRASSIER, J. C. Les enfants surdoués: ou la précocité embarrassante. 9. ed. Paris: ESF, 1981.

TEPLOV, B. M. Psychologie des aptitudes musicales. Paris: Press universitaires de france, 1966.

TORRANCE, E. P. Criatividade: medidas, testes e avaliações. Trad. Aydano Arruda. São Paulo: IBRASA, 1976.

WINNER, E. Crianças sobredotadas: mitos e realidades. Trad. Sandra Costa. Porto Alegre: Artmed, 1996.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23i3.12369



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.