Gestão participativa: conceitos e operações fundamentais

Autores

  • Cláudio B. Gomide de Souza Professor do departamento de Didática, Faculdade de Ciências e Letras-UNESP -14800901- Araraquara/SP

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v0i1.9128

Resumo

O homem interpreta o mundo e interage com a realidade física e social em que está inserido a partir de valores, representações e padrões de relação culturalmente assimilados. A ciência cria paradigmas para descrição e explicação dos fenômenos e, assim, possibilita a predição e o controle de diferentes processos de transformação. Com a Física newtoniana, prevalece o paradigma mecanicista. De certa forma, por ter chegado a explicações e equações relativamente simples, a Física torna-se uma espécie de matriz para as demais ciências embrionárias. O taylorismo ou "administração científica" concebe as organizações (fábricas) como grandes máquinas e os trabalhadores como extensões das máquinas que as integram. O paradigma burocrático é a tradução da concepção mecanicista para a administração pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14/12/2001

Como Citar

SOUZA, C. B. G. de. Gestão participativa: conceitos e operações fundamentais. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, n. 1, p. 1–25, 2001. DOI: 10.22633/rpge.v0i1.9128. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9128. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos