Concepções de estado e política educacional: uma análise comparativa a partir das perspectivas epistemológicas

Solange Toldo Soares

Resumo


Escolhemos a cartografia social como metodologia de nossa pesquisa, que buscou comparar as perspectivas analíticas explicitadas pelos pesquisadores com as concepções de Estado e Política Educacional em suas análises. Mapeamos, assim, na amostra analisada, referente ao campo de estudo da Política Educacional, que as perspectivas epistemológicas mais recorrentes foram o marxismo, estruturalismo, pós-estruturalismo e pluralismo, porém nem sempre essas apareceram de forma explícita nos trabalhos, o que nos levou a inferir que o debate epistemológico no campo de estudo da Política Educacional, no Brasil, é urgente e necessário. Ademais, de forma plural, procuramos apresentar as concepções dos autores sobre Estado e Política Educacional e a possível relação com a epistemologia utilizada. Isso nos fez concluir que a pesquisa em Política Educacional depende de expressões mais veementes sobre as concepções de Política Educacional e Estado, seja qual for a teoria e epistemologia adotadas pelo pesquisador, visto que seus conceitos poderiam trazer mais reflexões no que diz respeito às mediações necessárias para a efetivação do direito à educação no país, pois, sem rigor conceitual, podemos deixar de ter uma pesquisa politicamente comprometida.

Palavras-chave


Meta-análise; Cartografia Social; Política Educacional;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v20.n1.2016.9389



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.