Gestão colegiada interprofissional na educação pelo trabalho para a saúde

Contribuições para reorientação da formação profissional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v19i00.17558

Palavras-chave:

Educação Superior, Sistema Único de Saúde, Gestão em Saúde, Saúde Pública

Resumo

O objetivo do trabalho foi narrar de forma crítico-reflexiva a experiência de gestão colegiada interprofissional no contexto do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde/GraduaSUS no município de Governador Valadares-MG, com foco nos impactos na integração ensino-serviço-comunidade. Para tanto, foi realizada uma descrição aprofundada da vivência, seguida do diálogo da reflexão com a literatura, no sentido de compreender as potencialidades, as limitações e necessidades de aperfeiçoamento do modelo de gestão adotado. As atribuições do colegiado gestor foram: gerenciar a organização do programa, dialogar com a Secretaria Municipal de Saúde na operacionalização das ações, planejar e orientar as atividades propostas nos grupos tutoriais e planejar, organizar e promover debates. A gestão colegiada interprofissional permitiu o desenvolvimento de competências de trabalho em equipe, a aproximação interdepartamental e a integração dos saberes das profissões no alcance dos resultados do projeto. Além disso, potencializou a educação pelo trabalho na formação em saúde na comunidade, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a área da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nízia Nízia Araújo Vieira Almeida, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Assistente no Departamento de Nutrição.

Lélia Cápua Nunes, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Adjunta no Departamento de Medicina.

Larissa de Freitas Bonomo, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Adjunta no Departamento de Farmácia.

Érica Cesário Defilipo, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Adjunta no Departamento de Fisioterapia.

Andréia Cristiane Carrenho Queiroz, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Adjunta no Departamento de Educação Física.

Pedro Henrique Berbert de Carvalho, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professor Adjunto no Departamento de Educação Física.

Waneska Alexandra Alves, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Associada no Departamento de Nutrição.

Liliana Batista Vieira, Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL), Alfenas – MG – Brasil

Professora Adjunta no Departamento de Alimentos e Medicamentos.

Luciana de Cássia Cardoso, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora – MG – Brasil

Professor Adjunto no Departamento de Odontologia Restauradora.

Luiz Eduardo de Almeida, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Governador Valadares – MG – Brasil

Professora Associada no Departamento de Nutrição.

Referências

ALBUQUERQUE, V. S. et al. A integração ensino-serviço no contexto dos processos de mudança na formação superior dos profissionais da saúde. Rev. bras. educ. med, v. 32, n. 3, p. 356-362, 2008.

ARAÚJO, T. A. M. et al. Multiprofissionalidade e interprofissionalidade em uma residência hospitalar: o olhar de residentes e preceptores. Interface, Botucatu, v. 21, n. 62, p. 601-613, 2017.

BATISTA, N. A. et al. Educação interprofissional na formação em Saúde: a experiência da Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista, Santos, Brasil. Interface, Botucatu, v. 22, n. supl. 2, p. 1705-1715, 2018.

BOUD, D.; SOLOMON, N. (Eds.). Work-based learning: a new higher education?. Buckingham: The Society for Research into Higher Education & Open University Press, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES, n. 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Brasília, DF: CNE, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.802, de 26 de agosto de 2008. Institui o Programa de Educação pelo trabalho para a Saúde - PET-Saúde. Brasília, DF: MS, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Edital n.13, de 28 de setembro de 2015. Seleção para o programa de educação pelo trabalho para a saúde PET-Saúde/GraduaSUS 2016/2017. Brasília, DF: MS, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Curso de formação de facilitadores de educação permanente em saúde: unidade de aprendizagem – análise do contexto da gestão e das práticas de saúde. Rio de Janeiro: MS, SGTES, DEGES, FIOCRUZ, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 165, de 04 de abril de 2016. Homologa o resultado do processo de seleção dos Projetos que se candidataram ao Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde - PET-Saúde/GraduaSUS - 2016/2017. Brasília, DF: MS, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? Brasília, DF: MS, SGTES, DEGES, 2018.

CECCIM, R. B. Emergência de um “Campo de Ação Estratégica”: ordenamento da formação e educação permamente em saúde. Sanare, v. 18, n. 2, p. 68-80, 2019.

CECCIM, R. B.; FEUERWERKER, L. C. M. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 14, p. 41-65, 2004.

CECÍLIO, L. C. O. Colegiados de gestão em serviços de saúde: um estudo empírico. Cad. Saúde Pública, v. 26, n. 3, p. 557-566, 2010.

COLARES, K. T. P.; OLIVEIRA, W. Metodologias Ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Rev.Sustinere, v. 6, n. 2, p. 300-320, 2018.

CUNHA M. I. Os conceitos de espaço, lugar e território nos processos analíticos da formação dos docentes universitários. Educ Unisinos, v. 12, n. 3, p. 182-186, 2008.

FARIAS-SANTOS, B. C. S.; NORO, L. R. A. PET-Saúde como indutor da formação profissional para o Sistema Único de Saúde. Ciênc. saúde coletiva, v. 22, n. 3, p. 997-1004, 2017.

FIGUEIREDO, E. B. L. et al. Educação Permanente em Saúde: uma política interprofissional e afetiva. Saúde Debate, v. 46, n. 135, p. 1164-1173, 2022.

FONSÊCA, G. S. et al. Educação pelo trabalho: reorientando a formação de profissionais da saúde. Interface, Botucatu, v.18, n. 50, p. 571-583, 2014.

FRANÇA, T. et al. PET-Saúde/GraduaSUS: retrospectiva, diferenciais e panorama de distribuição dos projetos. Saúde em Debate, v. 42, n. 2, p. 286-301, 2018.

LACERDA, F. C. B.; SANTOS, L. M. D. Integralidade na formação do ensino superior: metodologias ativas de aprendizagem. Avaliação, Campinas, v. 23, n. 3, p. 611-627, 2018.

MACEDO, K. D. D. S. et al. Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para inovação no ensino em saúde. Esc Anna Nery, v. 22, n. 3, e20170435, 2018.

MAGNAGO, C. et al. Implantação das mesas nacionais de negociação permanente do Sistema Único de Saúde em secretarias estaduais e municipais de saúde. Saude soc, v. 26, n. 2, p. 336-347, 2017.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Marco para Ação em Educação Interprofissional e Prática Colaborativa. Redes de profissões de saúde. Genebra: 2010.

PEREIRA, A. L. P. et al. A integração ensino-serviço-gestão-comunidade na percepção de preceptores de graduandos na Atenção Primária à Saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 32, n. 3, e320305, 2022.

PIMENTA, A. L. A construção de colegiados de gestão: a experiência de gestão da Secretaria Municipal de Saúde analisada por um ator político implicado. Saude soc, v. 21, n. 1, p. 29-45, 2012.

REDE UNIDA. VER-SUS. Proposta e objetivos. Rede Unida. [21--]. Disponível em: http://www.redeunida.org.br/en/versus/menu/objetivos/. Acesso em: 10 dez. 2022.

SANTOS, R. C. A.; MIRANDA, F. A. N. Articulação ensino-serviço na perspectiva dos profissionais de saúde da família. Revista de APS, v. 19, n. 1, p. 7-13, 2016.

SCHERER, M. D. A.; PIRES, D. P.; SCHWARTZ, Y. Trabalho coletivo: um desafio para a gestão em saúde. Rev Saúde Pública, v. 43, n. 4, p. 721-725, 2009.

SILVA, A. M.; MIRANDA, L. Paradoxos e limites da colaboração interprofissional: análise de um Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica. Trabalho, educação e saúde, v. 20, e00504189, 2022.

SIMON, E. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem e educação popular: encontros e desencontros no contexto da formação dos profissionais de saúde. Interface, Botucatu, v. 18, n. 2, 1355-1364, 2014.

VASCONCELOS, A. C. F.; STEDEFELDT, E.; FRUTUOSO, M. F. P. Uma experiência de integração ensino-serviço e a mudança de práticas profissionais: com a palavra, os profissionais de saúde. Interface, Botucatu, v. 20, n. 56, p. 147-158, 2016.

VILLARDI, M. L.; CYRINO, E. G.; BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização no ensino em saúde: suas etapas e possibilidades. In: A problematização em educação em saúde: percepções dos professores tutores e alunos [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. p. 45-52.

ZARPELON, L. F. B.; TERENCIO, M. L.; BATISTA, N. A. Integração ensino-serviço no contexto das escolas médicas brasileiras: revisão integrativa. Ciênc. saúde coletiva, v. 23, n. 12, p. 4241-4248, 2018.

Publicado

01/01/2023

Como Citar

ALMEIDA, N. N. A. V.; NUNES, L. C.; BONOMO, L. de F.; DEFILIPO, Érica C.; QUEIROZ, A. . C. C.; CARVALHO, P. H. B. de; ALVES, W. A.; VIEIRA, L. B.; CARDOSO, L. de C.; ALMEIDA, L. E. de. Gestão colegiada interprofissional na educação pelo trabalho para a saúde: Contribuições para reorientação da formação profissional. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 19, n. 00, p. e023002, 2023. DOI: 10.26673/tes.v19i00.17558. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/17558. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Relatos de Experiência

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.