O que esperam de nós? Das expectativas indivudualizantes às práticas ético-políticas em psicologia escolar e educacional

Rogério Machado Rosa, Camila Rodrigues de Moraes Camargo, Luis Fernando Andrade

Resumo


O presente artigo foi desenvolvido a partir de uma experiência prática em Estágio Básico, vinculada ao componente curricular “Planejamento e Intervenções Socioeducacionais”, em um curso de Psicologia. A intervenção, resultado do estudo teórico e metodológico sobre a produção de “bons encontros” (NOVIKOFF; CAVALCANTI, 2015) no que se refere à percepção do Eu e do Outro, ocorreu favorecendo os processos comunicacionais e de autopercepção em um grupo do 4º Ano do Ensino Fundamental de uma Escola Pública. Discutimos neste artigo as expectitivas do trabalho dos psicólogos nas escolas, comumente associado a uma cultura institucional individualizadora, e os desafios da instauração de uma modalidade de atuação profissional tramada por princípios ético-estético-político. Concluímos que o que se espera dos psicólogos na escola é a (re)produção de intervenções clínico-terapêutucas, voltadas para o ajuste, adaptação e normatização das crianças e seus processos de aprendizagem.


Palavras-chave


Psicologia escolar e educacional; Intervenção socioeducacional; Bons encontros.

Texto completo:

PDF

Referências


CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Referências técnicas para Atuação de Psicólogas(os) na Educação Básica. Brasília: CFP, 2013.

DEL PRETTE, Z. A. P.; DEL PRETTE, A. Desenvolvimento Interpessoal e educação escolar: o enfoque das habilidades sociais. Temas em Psicologia, São Carlos, v. 6, n. 3, p. 205-215, 1998. Disponível em: http://betara.ufscar.br:8080/pesquisa/rihs/armazenagem/pdf/artigos/del-prette-z.-a.-p.-del-prette-a.-1998-.-desenvolvimento-interpessoal-e-educacao-escolar-enfoque-das-habilidades-sociais/view. Acesso em: 4 dez. 2017.

FERNANDES, F. M. B.; MOREIRA, M. R. Considerações metodológicas sobre as possibilidades de aplicação da técnica de observação participante na Saúde Coletiva. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 23, n. 2, p. 511-529, jun. 2013. FapUNIFESP (SciELO). DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0103-73312013000200010

FREIRE, P. Educação Como Prática da Liberdade. 34. ed. 2011.

GIONGO, C.; OLIVEIRA-MENEGOTTO, L. M. de. (Des) Enlaces da psicologia escolar na rede pública de ensino. Psicol. USP, São Paulo , v. 21, n. 4, p. 859-874, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65642010000400011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 apr. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65642010000400011.

NOVIKOFF, C.; CAVALCANTI, M. A. de P. Pensar a potência dos afetos na e para a educação. Conjectura: Filos. Educ, Caxias do Sul, v. 20, n. 3, p. 88-107, set./dez. 2015. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/viewFile/3442/pdf_450. Acesso em: 7 maio 2017.

SOUZA, M. P. R. de et al. Atuação do Psicólogo na Educação: análise de publicações científicas brasileiras. Psicologia da Educação, São Paulo, n. 38, p. 123-138, 2014. 1. Sem. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psie/n38/n38a11.pdf. Acesso em: 25 abr. 2017.

VIANA, M. N. Interfaces entre a Psicologia e a educação: reflexões sobre a atuação em Psicologia escolar. In: FRANCISCHINI, R.; VIANA, M. N. (org.). Psicologia Escolar: que fazer é esse?. Brasília: CFP, 2016. p. 54-70.




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v21i1.12048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.