A influência do capital cultural na formação docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v22i1.13694

Palavras-chave:

Éthos, Capital cultural, Formação docente.

Resumo

O trabalho realizado analisou como o capital cultural, definido por Pierre Bourdieu, está relacionado com a constituição do éthos; a relação entre a função docente e o status conferido ao exercício da profissão, enquanto estratégia de ascensão social. Os estudos de Carlindo (2009), Pies (2011) e Lima (2013) mostram que no espaço escolar o éthos é observado pela maneira como o professor transmite o conhecimento e as relações construídas entre a cultura escolar e o conhecimento produzido. Utilizamos os estudos de Pierre Bourdieu como referencial teórico para a conceitualização de habitus, éthos, capital cultural, capital social, capital econômico e estratégias de reprodução. O trabalho foi feito com base em uma abordagem qualitativa tendo como recurso metodológico a análise documental e o estudo de caso, através da observação da prática docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreza Olivieri Lopes Carmignolli, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Doutoranda do Programa de Pós- Graduação em Educação Escolar.

Luci Regina Muzzeti, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Professora Livre Docente em Sociologia no Departamento de Didática e Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. Doutorado em Educação (UFSCAR).

Laís Inês Sanseverinato Micheleti, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Mestranda do Programa de Pós- Graduação em Educação Escolar. Bolsista da CAPES.

Referências

BOURDIEU, P. Espaço social e poder simbólico. In: BOURDIEU, P. Coisas ditas. Trad. C. R. da Silveira e D. M. Pegorim. São Paulo: Brasiliense, 1992. p. 149-168.

BOURDIEU, P. A Escola Conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: BOURDIEU, P. Escritos da Educação. Petrópolis: Vozes, 2003. p. 41-64.

BRITO, A. X de. Trajetória. In: CATANI, A. M. et al. (Orgs.). Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017. p. 354-356.

CARLINDO, E. P. Tornar-se professora: o capital cultural como esteio explicativo para o sucesso docente. 2009. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2009. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/90247. Acesso em: 22 jun. 2020.

CARVALHO, P. S. O uso de blogs e aulas experimentais como práticas educativas no ensino de físico-química para o ensino médio: um estudo descritivo a partir do conceito de aprendizagem significativa. 2013. 122 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências, Fortaleza, 2013.

DARIUS, R. P. P.; DARIUS, F. A. A educação pública no Brasil no século XX: considerações à luz da formação dos grupos escolares e do manifesto dos pioneiros da educação nova. Doxa: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 20, n. 1, p. 32-41, jan./jun., 2018. e-ISSN: 2594-8385. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/11248/7385. Acesso em: 22 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.30715/rbpe.v20.n1.2018.11248

LEITE, L. H. A. Pedagogia de projetos e projetos de trabalho. Presença Pedagógica, Belo Horizonte: Dimensão, v. 73, p. 62-69, 2007.

PIES, N. G. Capital cultural e educação em BOURDIEU. 2011. 69 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2011.

REINA, F. T.; MUZZETI, L. R.; MARGONARI, D. M. Trajetórias escolares: a pedagogia da UNIARA como possibilidade de ascensão aos níveis superiores e de profissionalização de alunos das camadas populares. Temas em Educação e Saúde, [S.l.], v. 10, p. 37-44, mar. 2017. ISSN 2526-3471. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/9613. Acesso em: 22 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.26673/tes.v10i0.9613

SEIDL, E. Estratégia/estratégias de reprodução. In: CATANI, A. M. et al. (Orgs.). Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017. p. 189-191.

SOLÉ, I. Disponibilidade para a aprendizagem e sentido da aprendizagem. In: COLL, C. et al. O construtivismo na sala de aula. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 62-88, maio/jun./jul./ago. 2000.

Publicado

01/06/2020

Como Citar

OLIVIERI LOPES CARMIGNOLLI, A.; MUZZETI, L. R.; SANSEVERINATO MICHELETI, L. I. A influência do capital cultural na formação docente. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 22, n. 1, p. 225–232, 2020. DOI: 10.30715/doxa.v22i1.13694. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/13694. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiências