Possibilidades de atuação do psicólogo escolar diante de dificuldades no âmbito escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v22i00.14541

Palavras-chave:

Psicologia histórico-cultural, Dificuldades comportamentais, Ambiente escolar

Resumo

Na atualidade, vários fatores têm refletido no ambiente escolar, tais como a hiperatividade, a desatenção e o desinteresse. Diante de tais situações, os agentes escolares têm buscado contribuições da psicologia para melhoria das queixas apresentadas. À vista disso, o presente artigo, embasado nas contribuições da Psicologia Histórico-Cultural, objetiva desenvolver um estudo teórico bibliográfico das possibilidades de atuação do psicólogo escolar diante de dificuldades comportamentais no ambiente escolar. Tais possibilidades de atuação são divididas conforme os focos de ação: os agentes escolares, os alunos, os responsáveis e/ou a comunidade escolar. Espera-se, por meio deste estudo, que os conhecimentos da psicologia possam tornar-se cada vez mais difundidos e servir de instrumentos mediadores para o processos de ensino e aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisabeth Rossetto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel – PR

Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (UFRG).

Fabrício Duim Rufato, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE),

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Geovane dos Santos da Rocha, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel – PR

Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (UFRG).

Referências

ASBAHR, F. S.; MEIRA, M. E. M. Crianças desatentas ou práticas pedagógicas sem sentido? Relações entre motivo, sentido pessoal e atenção. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 25, n. 1, p. 97-115, 2014.

BERNARDES, M. E. M. Mediações simbólicas na atividade pedagógica: contribuições da teoria histórico-cultural para o ensino e a aprendizagem. Curitiba: CRV, 2012.

BOCK, A. M. B. Psicologia escolar: teorias críticas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Ministério da Justiça. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em 03 dez. 2020.

CFP. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP n. 010/2005. Brasília, 2005. Disponível em: http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2012/07/codigo-de-etica-psicologia.pdf. Acesso em 03 dez. 2020.

CFP. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP n. 014/2000. Brasília, 2000. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2006/01/resolucao2000_14.pdf. Acesso em 03 sdez. 2020.

COLLARES, C. A.; MOYSÉS, M. A. A. Educação, saúde e formação da cidadania na escola. Revista Educação & Sociedade, Campinas, 1989.

CORDIÉ, A. Os atrasados não existem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MARCELLI, D. Manual de psicopatologia da infância de Ajuriaguerra. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MARCHESI, A. Os alunos com pouca motivação para aprender. In: COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS, J. Desenvolvimento psicológico e educação 3: transtornos do desenvolvimento e necessidades educativas especiais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MARTINS, L. M. Fundamentos da Psicologia Histórico-Cultural e da Pedagogia Histórico-Crítica. In: PAGNONCELLI, C.; MALANCHEN, J.; MATOS, N. S. D. (Org.). O trabalho pedagógico nas disciplinas escolares: contribuições a partir dos fundamentos da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Armazém do Ipê, 2016. cap. 2, p. 49-93.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

MEIRA, M. E. M. Psicologia Escolar: pensamento crítico e práticas profissionais. In: TANAMACHI, E.; SOUZA, M. P. R.; ROCHA, M. E. M. (Org.). Psicologia e educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

OLIVEIRA, M. K. A indisciplina e o processo educativo: uma análise na perspectiva vygotskiana. In: AQUINO, J. G. (Org.). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus; 1996.

PASQUALINI, J. C. O papel do professor e do ensino na educação infantil: a perspectiva de Vigotski, Leontiev e Elkonin. In: MARTINS, L. M.; DUARTE, N. (Org.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 161-191.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

ROSSETTO, E. Os sujeitos da Educação Especial a partir da perspectiva histórico-cultural. In: ROSSETTO, E.; REAL, D. C. (Org.). Diferentes Modos de narrar os sujeitos da educação especial a partir de... Cascavel, PR: EDUNIOESTE, 2012. p. 55-72.

SOUZA, M. P. R. A queixa escolar na formação de psicólogos: desafios e perspectivas. In: Psicologia e educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R. Estudos sobre a história do comportamento: símios, homem primitivo e criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas. Madrid: Machado Libros, 2001. t. 3.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: LEONTIEV, A. N. et al. Psicologia e pedagogia: as bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento, 3. ed. São Paulo: Editora Centauro, 2005. p.01-17.

Publicado

20/04/2021

Como Citar

ROSSETTO, E.; RUFATO, F. D.; ROCHA, G. dos S. da. Possibilidades de atuação do psicólogo escolar diante de dificuldades no âmbito escolar. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 22, n. 00, p. e021002, 2021. DOI: 10.30715/doxa.v22i00.14541. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/14541. Acesso em: 1 ago. 2021.