A contribuição da produção de vídeos digitais por discentes de uma escola municipal na construção do conhecimento contextualizado no ensino de ciências

Sebastiao Silva Vieira

Resumo


Este trabalho apresenta uma pesquisa de intervenção e participante que analisa como a produção de vídeos digitais por discentes de uma escola municipal traz contribuições para a construção do conhecimento contextualizado no ensino de ciências. Para isso foram usadas referências para atender a quatro campos temáticos: o uso das tecnologias digitais no contexto escolar; a contextualização dos conteúdos no ensino de ciências; comunicação e mediação na escola; e por fim a produção de vídeo digital no ensino de ciências. A metodologia utilizada possui caráter qualitativo, empregando entrevistas semiestruturadas e observação participante. Anteriormente ao início dos trabalhos dos discentes, foram realizadas oficinas de criação de vídeo digitais; em seguida, foi realizada uma entrevista semiestruturada, na fase pós-produção, com os discentes e o docente. Os resultados mostram que a produção de vídeos digitais trouxe contribuições significativas para os discentes, desde a participação na oficina de produção de vídeos, até a etapa de conclusão e apresentação do vídeo digital em sala de aula. Com isso, os discentes utilizaram a produção do vídeo digital como uma metodologia diferenciada, fonte de pesquisa e produção de conhecimento. Discentes realizadores, aprendizes e autores na elaboração do vídeo, pesquisando informações referentes ao conteúdo, realizando leituras, planejando a produção, o “roteiro”, acompanhando a montagem, utilizando as tecnologias digitais na produção, divulgando e participando de debates de forma coletiva. Os mesmos construíram os conhecimentos propostos no ensino de ciências, trouxeram para a prática o conteúdo curricular estudado e com isso reforçaram a discussão sobre o uso e produção do vídeo digital como instrumento educacional.


Palavras-chave


Vídeo digital. Conhecimento contextualizado. Tecnologias digitais. Ensino de ciências.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Referenciais para a formação de professores. Ministério da Educação – Secretaria de Ensino Fundamental. Brasília. 1999.

BELLONI, M. L.; GOMES, N. G. Infância, mídias e aprendizagem: autodidaxia e colaboração. Revista Educação & Sociedade, v. 29, n. 104 – Especial. p. 717 – 746, out. 2008. p.734.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo : Paz e Terra, 2010.

FREIRE, W.; RANGEL, M. Educação e tecnologia: texto, hipertexto e leitura. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

MARCONDES FILHO, C. Televisão: a vida pelo vídeo. São Paulo: Moderna, 1995.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. ; BEHRENS, A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 19. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MORÁN, J. M. O vídeo na Sala de aula. Comunicacão e Educacão, São Paulo, (2): 27 a 35,.jan./abr. 1995.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

SALDANHA, L. C. D. Ateleaulaemquestão. #Tear: Revista de Educação Ciência e Tecnologia, Canoas, v.2.n.2, 2013.

SOUZA, R. P. D.; CARVALHO, A. B. G.; MOITA, F. M. C. D. S. C.; MOITA, F. M. C da S. C.; CARVALHO,G. B. A. Tecnologias digitais na educação. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

SERRANO, G. I.; COLLAZO, W. R. Contribuciones portorriqueñas a la psicologia social-comunitaria. Rio Piedras: Editorial de La Universidad de Puerto Rico, 1992.

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 36 set./dez. 2007.

SILVA, F. R.; CORREIA, S. E. Novas tecnologias e educação: a evolução do processo de ensino e aprendizagem na sociedade contemporânea. Educação e Linguagem, ano 1, p. 23-25, junho 2014.

SCHNEIDER, C. K.; CAETANO, L.; RIBEIRO, L. O. Ms. Análise de Vídeos Educacionais no youtube: caracteres e legibilidade. Revista Novas Tecnologias na Educação, CINTED-UFRGS, Porto Alegre, v. 10, p. 35-39, 2012.

SANCHO, J. M. Para uma tecnologia educacional. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SILVA, R. V.; OLIVEIRA, E. M. As possibilidades do uso do vídeo como recurso de aprendizagem de aula do 5º ano. Pesquisa em educação: Desenvolvimento, ética e responsabilidade social.

TEIXEIRA, A. G. D. Um levantamento de percepções de professores sobre a tecnologia na prática docente.Linguagens e Diálogos, v. 2, p. 159-174, 2011.

TAGLIEBER, J. E. O ensino de ciências nas escolas brasileiras. Perspectiva, Florianópolis, p. 91-111, Jul./Dez 1984.

ZUIN, A. O Plano Nacional de Educação e as tecnologias da informação e comunicação. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 112, p. 961-980, jul.-set. 2010.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp1.out.2017.10452



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.