Formação continuada de professore e educação inclusiva: os saberesfazeres docentes em diálogo com a extensão universitária

Elita Betânia de Andrade Martins, Katiuscia C. Vargas Antunes, Sandrelena da Silva Monteiro

Resumo


Pensar a formação de professores tanto inicial quanto continuada constitui um desafio a ser enfrentado pelas instituições de formação docente. Este artigo apresenta o relato de experiência de uma parceria entre dois núcleos de pesquisa de uma Faculdade de Educação que se uniram e se mobilizaram a partir da inquietação causada pelo desconhecimento de alunos das licenciaturas e professores da educação básica frente a educação de pessoas com necessidades educativas especiais. Foi então proposto um projeto de extensão universitária teve como metodologia de trabalho a proposta da aprendizagem cooperativa, e, como prática de ensinar-aprendendo um movimento de encontros e estudo coletivos configurando rodas de conversa. Que as instituições de formação inicial se encontram diante de um grande desafio, a formação e professores para uma educação realmente inclusiva, é fato. Mas é fato também que, se considerarmos que a formação continuada é, também, compromisso destas instituições, os espaços tempos de extensão universitária podem e devem se constituir em um laboratório no qual aprendemos a aprender em cooperação, aprendemos a ser em cooperação, aprendemos a educação cooperativa, construindo um outro modo de ser e estar no mundo e com o mundo.

Palavras-chave


Extensão Universitária; Educação Inclusiva; Aprendizagem Cooperativa; Rodas de conversa.

Referências


ALARCÃO, I. (Org). Formação reflexiva de professores. Coleção CIDINE. Portugal: ED. Porto, 1996.

ANTUNES, K. C. V. GLAT, R. Formação de professores na perspectiva da educação inclusiva: os cursos de Pedagogia em foco. In. PLETSCH, Márcia Denise e DAMASCENO, Allan (Org). Educação Especial e Inclusão Escolar: reflexões sobre o fazer pedagógico. Rio de Janeiro: Editora UFRRJ, 2011

ARROYO, M. G. Imagens quebradas: Trajetórias e tempos de alunos e mestres. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

BERNHEIM, Carlos Tünnermann. CHAUÍ, Marilena de Souza. Desafios da universidade na sociedade do conhecimento: cinco anos depois da conferência mundial sobre educação superior Brasília: UNESCO, 2008. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001344/134422por.pdf Acesso em: 18 de março de 2018.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1988/constituicao-1988-5-outubro-1988-322142-publicacaooriginal-1-pl.html . Acesso em 24 de março de 2018.

BRASIL, Lei Federal nº 13.005/2014 aprova o Plano Nacional de Educação (2014-2024). Disponível em: http://www.observatoriodopne.org.br/uploads/reference/file/439/documento-referencia.pdf Acesso em 24 de março de 2018.

BRASIL, Lei Federal nº 9.394/1996 aprova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm Acesso em 23 de março de 2018.

BRASIL, CNE/CP. Resolução nº 2 de 1º de julho de 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf&category_slug=agosto-2017-pdf&Itemid=30192 . Acesso em 23 de março de 2018.

BRITO, V. L. F. A. de. Identidade docente: um processo de avanços e recuos. In: BRITO, Vera Lucia Ferreira Alves. (Org.) Professores: identidade, profissionalização e formação. Belo Horizonte, MG: Editora Argvmentvm, 2009, p.79-100.

BUENO. J. G. S. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e formação de professores: generalistas ou especialistas? Revista Brasileira de Educação Especial. Piracicaba, SP: Unimep, v. 3, n. 5, p. 7-25, 1999.

BUENO. J. G. S.. A inclusão de alunos diferentes nas classes comuns do ensino regular. Temas sobre desenvolvimento. São Paulo, v. 9, n. 54, p. 21-27, 2001.

CORBELLINI, S. A Cooperação Intelectual entre os discentes na Educação Online: um método em ação. 03/03/2015 220 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2015.

CAPELLINI, V. L. M. F. Avaliação das possibilidades de ensino colaborativo no processo de inclusão escolar do aluno com deficiência mental. 2004. Tese (Doutorado em Educação Especial) Universidade Federal de São Carlos. 2004. http://www.bdtd.ufscar.br/tde_arquivos/9/TDE-2005-04-08T05:35:31Z- 584/Publico/TeseVLMFC.pdf

CAPELLINI, V. L. M. F; MENDES, E. G. O ensino colaborativo Favorecendo o desenvolvimento profissional para a inclusão escolar. Educere et educare - Revista de Educação. UNIOESTE/Campus Cascavel. v. 2. n.4 jul/dez, 2007, p. 113-128.

DENARI, F. Um (novo) olhar sobre a formação do professor de educação especial: da segregação à inclusão. In: RODRIGUES, D. (Org) Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

FIGUEIRÊDO, A.A.F. QUEIROZ, T.N. A utilização de rodas de conversa como metodologia que possibilita o diálogo. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2012. Disponível em: http://www.fg2013.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/20/1373241127_ARQUIVO_AUTILIZACAODERODASDECONVERSACOMOMETODOLOGIAQUEPOSSIBILITAODIALOGO.pdf . Acesso em: 21 de março de 2018.

FONTANA, R. A. Cação. Como nos tornamos professoras? 2.ª edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, H. C. L. de. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. In: Educação e Sociedade. Campinas, vol. 23. n. 80, p. 136-167, setembro, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12928.pdf Acesso em 18 de março de 2018.

GARCIA, M. M. A. ANADON, S. B. Reforma educacional, intensificação e autointensificação do trabalho docente Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 106, p. 63-85, jan./abr. 2009. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br

GARCIA, R. M. C. Política Nacional de Educação Especial nos anos 2000: a formação de professores e a hegemonia do modelo especializado. V Seminário Nacional de Pesquisa em Educação Especial: formação de professores em foco. São Paulo: 26 a 28 de agosto de 2009. Realização: UFES, UFRGS, UFScar, 2009.

GATTI, B. A. A análise das políticas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. In: Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, jan/abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf Acesso em: 18 de março de 2018.

GATTI, B. A. . Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas/ Bernadete A. Gatti; Marina Muniz R. Nunes (Orgs). São Paulo: FCC/DPE, 2009.

GLAT, R., PLETSCH, M. D. O papel da universidade no contexto da política e educação Inclusiva: reflexões sobre a formação de recursos humanos e produção de conhecimento. Revista Educação Especial, v. 2, p. 345-356, 2010.

MANTOAN. M. T. E. Inclusão escolar : o que é? por quê? como fazer? São Paulo : Moderna, 2003. — (Coleção cotidiano escolar)

MARTINS, E. B. de A. Abelhas ou arquitetos? A compreensão de professores sobre autonomia docente e as implicações sobre seu processo de formação e trabalho. Juiz de Fora: UFJF, Tese de Doutorado em Educação, 2014

MELO, M. C. H. de; CRUZ, G. de C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no Ensino Médio. In: Imagens da Educação, v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/article/view/22222 . Acesso em 21 de março de 2018.

MELO, R. H. V. de, et al. Roda de conversa: uma articulação solidária entre Ensino, Serviço e Comunidade. In: Revista Brasileira de Educação Médica. v. 40, n. 2. p. 301 – 309. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022016000200301&script=sci_abstract&tlng=pt . Acesso em: 21 de março de 2018.

MENDES, E. G. A formação do professor e a Política Nacional de Educação Especial. V Seminário Nacional de Pesquisa em Educação Especial: formação de professores em foco. São Paulo: 26 a 28 de agosto de 2009. Realização: UFES, UFRGS, UFScar, 2009.

MICHELS, M. H. A formação de professores de Educação Especial na UFSC (1998-2001): ambiguidades estruturais e a reiteração do modelo médico-psicológico. Tese (Doutorado em Educação) PUC, São Paulo. 169 p. 2004.

NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1991.

NÓVOA, A. Notas sobre formação (contínua) de professores. [S.l: s.ed.], 1992. (Mimeografado).

NÓVOA, A. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v.25, n.1, p.11-20, 1999.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: ______. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2000. p.11-30.

NÓVOA, A. O Regresso dos professores. In: Profissional de Professores para a Qualidade e para a Equidade da Aprendizagem ao longo da Vida. Lisboa: Ministério da Educação (Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação) – Comissão Europeia (Direcção-Geral de Educação e Cultura), 2007. p. 21-28.

PIAGET, J. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos/EDUSP, 1974.

SANTOS, S. R. M. dos. Formação continuada: decisão institucional ou espaço de construção de autonomia. Revista Teias, Rio de Janeiro, ano 5, nº 9-10, jan/dez 2004, p.1-12.

SCHERER, S.. Comunicação e aprendizagem em fóruns virtuais: possibilidade para a educação matemática. 2006. Disonível em: http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/trabalho/GT19-2217--Int.pdf . Acesso em 16/03/2018.

TARDIF, Maurice, LESSARD, Claude. O trabalho docente hoje: elementos para um quadro de análise. In: ______.O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 3.ª edição. Petrópolis: Vozes, 2007 a, p.15-54.

UNESCO, Declaração Mundial sobre Educação Superior: Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI; visão e ação, marco referencial de ação prioritária para a mudança e o desenvolvimento da educação superior. Brasilia, UNESCO Brasilia/UNIMEP, 1998. Disponível em:http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Direito-a-Educa%C3%A7%C3%A3o/declaracao-mundial-sobre-educacao-superior-no-seculo-xxi-visao-e-acao.html Acesso em 15 de março de 2018.

ZEICHNER, K. M., & LISTON, D. P. Reflective teaching: An introduction. Mahwah, NJ: Erlbaum. 1996.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23iesp.1.13019



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.