Projeto político-pedagógico: ideologia e utopia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i3.15082

Palavras-chave:

Gestão escolar, Gestão democrática, Planejamento estratégico, Hermenêutica de profundidade, Teoria Mannheimiana

Resumo

O projeto político-pedagógico é um documento de gestão escolar, obrigatório para as escolas públicas, estabelecido na legislação federal brasileira. O objetivo da pesquisa realizada foi desvelar a ideologia e a utopia subjacentes aos projetos político-pedagógicos. A pesquisa empírica de metodologia mista foi realizada em dois períodos: 2010-2012 e 2018-2019, e empregou, como método quantitativo, o método indutivo, e na base qualitativa, a Hermenêutica de Profundidade. O método indutivo forneceu os critérios de coorte na coleta dos dados e a Hermenêutica de Profundidade propiciou o desvelamento da ideologia e da utopia ocultos nos conteúdos dos projetos político-pedagógicos. A análise qualitativa, por intermédio da Hermenêutica de Profundidade, recorreu aos conceitos de ideologia e de utopia na perspectiva mannheimiana. A análise conseguiu identificar quatro componentes ideológicos e um componente utópico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Zélia Borba Rocha, Universidade de Brasília (UNB), Brasília – DF

Professora Adjunta no Departamento de Planejamento e Administração. Doutorado em Sociologia (USP).

Shayane Cristina Moraes, Universidade de Brasília (UNB), Brasília – DF

Licenciatura no curso de Pedagogia.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso: 13 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso: 13 jul. 2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Os jovens que não estudam nem trabalham no Brasil: discussão conceitual, caracterização e evolução de 2001 a 2011. Brasília, DF: MDSCF, Estudo Técnico nº 03/2013.

CODEPLAN. Companhia de Planejamento do Distrito Federal. Educação Básica no Distrito Federal. Brasília, DF: Codeplan, 2013.

DE ALBUQUERQUE, A.; QUINAN, R. Crise epistemológica e teorias da conspiração: o discurso anti-ciência do canal “Professor Terra Plana”. Revista Mídia e Cotidiano, v. 13, n. 3, p. 83-104, 2019.

DISTRITO FEDERAL. Lei n. 4.751, de 07 de fevereiro de 2012. Dispõe sobre o Sistema de Ensino e a Gestão Democrática do Sistema de Ensino Público do Distrito Federal. Disponível: http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/70523/Lei_4751.html. Acesso: 13 jul. 2020.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. Censo Escolar 2019: cadastro das unidades escolares do Distrito Federal. Disponível: http://www.educacao.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2019/07/cadastro_completo_2019_15.jun_.pdf. Acesso: 13 jul.2020.

LÜCK, H. A aplicação do planejamento estratégico na escola. Gestão em Rede, n. 19, p. 8-13, abril, 2000.

MACEDO, E. Currículo: Política, Cultura e Poder. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 98-113, jul./dez. 2006.

MANNHEIM, K. Ideologia e Utopia. 3. ed. Rio de Janeiro, RJ: Zahar Editores, 1976.

MANNHEIM, K. Liberdade, Poder e Planificação Democrática. São Paulo, SP: Mestre Jou, 1972.

MANNHEIM, K. Sociologia da Cultura. São Paulo, SP: Perspectiva S.A., 2001.

MARINELI, F. O terraplanismo e o apelo à experiência pessoal como critério epistemológico. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 37, n. 3, p. 1173-1192, 2020.

MEDEIROS, M.; BARBOSA, R. J.; CARVALHAES, F. Educação, desigualdade e redução da pobreza no Brasil. Rio de Janeiro, RJ: Ipea, 2019.

PIVARO, G. F.; JÚNIOR, G. G. O ataque organizado à ciência como forma de manipulação: do aquecimento global ao coronavírus. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 37, n. 3, p. 1074-1098, 2020.

RAMALHO, V. G. O Brasil do negacionismo: uma análise da disputa entre pós-verdade e ciência. O Manguezal: Revista de Filosofia, v. 1 n. 5, jan./jun. 2020.

SALVATO, M. A.; FERREIRA, P. C. G.; DUARTE, A. M. O impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 40, n. 4, p. 753-791, out./dez. 2010.

SARLET, I. W. Liberdade de expressão e o problema da regulação do discurso do ódio nas mídias sociais. Revista Estudos Institucionais, v. 5, n. 3, p. 1207-1233, set./dez. 2019.

SCHWARTZMAN, S. Ciência, tecnologia, tecnocracia e democracia. In: SCHWARTZMAN, S. Ciência, universidade e ideologia: a política do conhecimento. Rio de Janeiro, RJ: Centro Edelstein de Ciências Sociais, 2008. p. 07-17.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL. Proposta pedagógica: Centro de Ensino Médio 01 do Gama. DF: SEEDF, 2010a.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL. Proposta pedagógica: Centro de Ensino Médio 417 de Santa Maria. DF: SEEDF, 2010b.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL. Projeto político-pedagógico professora Ineide Santini. Centro de Ensino Médio 01 de São Sebastião. DF, 2018.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL. Educar na diversidade: Projeto Político-Pedagógico. Centro de Ensino Médio 01 do Gama, triênio 2017-2019. DF, 2019.

SILVA, N. V.; HASENBALG, C. Tendências da desigualdade educacional no Brasil. Dados, v. 43, n. 3. Rio de Janeiro, RJ: Iuperj, 2000.

SOBRAL, F. Educação e mudança social: uma tentativa de crítica. São Paulo, SP: Cortez, 1980.

STEIN, M.; NODARI, C. H.; SALVAGNI, J. Disseminação do ódio nas mídias sociais: análise da atuação do social media. Interações, Campo Grande, v. 19, n. 1, jan./mar. 2018.

STROPPA, T.; ROTHENBURG, W. C. Liberdade de expressão e discurso de ódio: o conflito discursivo nas redes sociais. Revista Eletrônica do Curso de Direito, Santa Maria (RS), v. 10, n. 2, p. 452-468, 2015.

THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

VEIGA, I. P. A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 29. ed. São Paulo, SP: Papirus, 2011.

VIGNOLI, R. G.; RABELLO, R.; ALMEIDA, C. C. Informação, misinformação, desinformação e movimentos antivacina: materialidade de enunciados em regimes de informação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 26, p. 1-31, 2021.

WEBER, M. Metodologia das ciências sociais: parte 1. São Paulo, SP: Cortez; Campinas, SP: Edunicamp, 1992.

WEBER, M. Metodologia das ciências sociais: parte 2. São Paulo, SP: Cortez; Campinas, SP: Edunicamp, 1995.

Downloads

Publicado

08/12/2021

Como Citar

ROCHA, M. Z. B.; MORAES, S. C. Projeto político-pedagógico: ideologia e utopia. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 3, p. 2794–2813, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i3.15082. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15082. Acesso em: 24 maio. 2022.