A ressignificação dos mecanismos de gestão escolar democrática e suas implicações para o trabalho docente

Autores

  • Neila Pedrotti Drabach Pedagoga, Especialista em Gestão Educacional e Mestranda em Educação/UFSM.
  • Nadia Pedrotti Drabach Pedagoga e Especializanda em Gestão Educacional/UFSM.

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v0i8.9267

Resumo

O texto discute a relação entre as mudanças na gestão escolar e as implicações para o trabalho docente. Contraditoriamente, a conquista da gestão democrática, marco das lutas dos trabalhadores docente na década de 1980, tem se tornado terreno de introdução de mecanismos alheios à sua proposta, a partir dos novos mecanismos de gestão introduzidos a partir da Reforma do Estado, nos anos 1990. Sob o invólucro da participação dos professores, muitas das políticas educacionais, especialmente as de avaliação externa, tem conduzido à responsabilização da escola pelos seus resultados educacionais, especialmente de seus professores. Diante deste contexto, este trabalho problematiza as estratégias utilizadas no campo educacional que atrelam os resultados escolares à competência dos seus profissionais e o reflexo desta cultura do desempenho no trabalho docente. Para tal, valemo-nos de pesquisas sobre a temática e da análise das evidências desta cultura nas propostas de mudança na gestão da educação estadual do Rio Grande do Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19/01/2010

Como Citar

DRABACH, N. P.; DRABACH, N. P. A ressignificação dos mecanismos de gestão escolar democrática e suas implicações para o trabalho docente. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, n. 8, p. 67–78, 2010. DOI: 10.22633/rpge.v0i8.9267. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9267. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos