Teoria crítica e infância: a caracterização do conceito no contexto de expropriação das experiências formativas

Andréa Calderan, Luiz Roberto Gomes

Resumo


O artigo aborda o conceito de infância na perspectiva dos autores da Teoria Crítica. O objetivo foi compreender a criança e a infância a partir das possibilidades de experiências formativas. O estudo pautou-se, principalmente, nos escritos de Adorno e Horkheimer, Walter Benjamin e Giorgio Agamben. Trata-se de um conjunto de reflexões que procuram analisar o processo de expropriação da experiência, no contexto da indústria cultural e da sociedade de consumo. A educação voltada à emancipação não pode prescindir da capacidade de realização de experiências contidas no universo da infância, como criança, ou como potencialidade humana capaz de produzir cultura. 


Palavras-chave


Teoria crítica. Infância. Expropriação da experiência. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Teoria da semiformação. In: PUCCI, B.; ZUIN, A. A. S.; LASTÓRIA, L. C. N. (Org.). Teoria crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010. p.7-39.

ADORNO, T. W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

ADORNO, T. W. Teoria estética. Lisboa: 70, 1970.

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. A industria cultural: o esclarecimento como mistificação das massas. In: ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985. p.113-156.

AGAMBEN, G. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Tradução de Henrique Burigo. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2005.

ARIÉS, P. História social da criança e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1973.

BENJAMIN, W. A hora das crianças. São Paulo: Nau Ed., 2015.

BENJAMIN, W. Reflexões sobre o brinquedo, a criança e a educação. São Paulo: 34, 2002.

BENJAMIN, W. Infância em Berlim por volta de 1900. In: BENJAMIN, W. Rua de mão única: obras escolhidas II. São Paulo: Brasiliense, 1993. p.71-142.

CALDERAN, A.; PEREZ, M. C. A. A construção histórico-cultural dos conceitos de infância e criança: apontamentos teóricos. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP, 28., 2015, Araraquara. Anais... Araraquara: UNESP, 2015. Disponível em: http://prope.unesp.br/cic_isbn/index.php?slcg=37&mn=1. Acesso em: 17 nov. 2017.

DUARTE, R. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2007.

HORKHEIMER, M. Teoria tradicional e teoria crítica. São Paulo: Abril, 1987.(Coleção os Pensadores).

KOHAN, W. O. Infância, estrangeiridade e ignorância: ensaios de filosofia e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

MAAR, W. L.. Adorno, semiformação e educação. Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 83, ago. 2003.

MARCHI, R. de C. Walter Benjamin e infância: apontamentos impressionistas sobre sua(s) narrativa(s) a partir de narrativas diversas. Educação, Porto Alegre, v.34, n.2, p.221-229, 2011. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/7535/6360. Acesso em: 17 nov. 2017.

MARX, K. Para a crítica da economia política. In: MARX, K. Manuscritos econômicos e filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1978. p.107-138.

NOBRE, M. A teoria crítica. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

POSTMAN, N. O desaparecimento da infância. Tradução de Suzana Menescal. São Paulo: Graphia Editoral, 1999.

WIGGERSHAUS, R. A escola de Frankfurt: história, desenvolvimento teórico, significação política. São Paulo: Difel, 2002.




DOI: https://doi.org/10.30715/rbpe.v19.n2.2017.10921

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação



 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.