Vozes docentes na perspectiva da afetividade na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v22i1.13914

Palavras-chave:

Afetividade, Educação infantil, Professor.

Resumo

O desenvolvimento da criança na educação infantil perpassa por diversos aspectos inerentes ao contexto escolar. Considera-se, principalmente, a questão da afetividade como elemento central no processo de aprendizagem. Dessa forma, a seguinte pesquisa buscou dar voz aos docentes acerca da importância da afetividade no desenvolvimento da criança, mais especificamente, na educação infantil do município de Bertioga - SP. Para tanto, a pesquisa foi estruturada a partir de levantamento bibliográfico de acordo com os pressupostos teóricos de Wallon e Piaget, que retratam sobre a importância das interações no desenvolvimento humano, salientando também a respeito da relação entre a afetividade e a aprendizagem das crianças. Para uma conclusão fundada em experiências do contexto escolar, a pesquisa de campo foi realizada com 7 professores de diferentes escolas, por meio de uma entrevista semiestruturada com professores de escolas públicas e privadas do município de Bertioga - SP. Os dados levantados pela entrevista com docentes permitem uma reflexão mais aprofundada sobre as práticas escolares e a importância da afetividade sob a perspectiva dos docentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Darido da Cunha, Faculdade Bertioga (FABE), Bertioga – SP

Docente dos cursos de Graduação e Pós-Graduação. Doutora em Educação Escolar (UNESP).

Thais Amancio, Faculdade Bertioga (FABE), Bertioga – SP

Professora de Primeira Infância na Prefeitura de Bertioga e Escola Castelinho Infantil. Graduada em pedagogia na FABE, pós graduação em Educação Infantil e Neuropsicopedagogia pela FCE.

Marcela Baccelli, Faculdade Bertioga (FABE), Bertioga – SP

Doutoranda em Psicologia da Saúde (UMESP). Psicóloga e Professora nos cursos de Pedagogia, Direito e Administração.

Referências

BATISTA, Maria. A importância da afetividade para o desenvolvimento da criança na escola. Brasil, 2012.

BRASIL. Lei de Diretrizes de Bases da Educação Nacional (LDB). Lei Federal n. 939496, de 26 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 6. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: Promulgada em 5 de outubro de 1988. Art. 205-214. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 05 jul. 2020

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm. Acesso em: 05 jul. 2020.

BECKER, Fernando. Abstração reflexionante: relações lógico-aritméticas e ordem das relações espaciais. A epistemologia do professor. Porto Alegre, 2012.

GALVÃO, Izabel. Uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis-RJ, 1995.

GROSS, Richard. Psychology, the science of mind and behavior. 5. ed. Hodder Arnold Publication, 2005.

MAHONEY, Abigail. Henri Wallon: Psicologia e Educação. Brasil, 2000.

MENDONÇA, Maria Alice. TAVARES, Helenice Maria. Afetividade: O fio condutor na educação infantil. Uberlândia: Faculdade Católica de Uberlândia, 2008. 12 p.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Rio de Janeiro: LCT, 1971.

PIAGET, Jean; INHELDER, Barbel. Da lógica da criança à lógica do adolescente. São Paulo,1976.

PIAGET, Jean. La relación del afecto com la inteligência en el desarrollo mental del niño. Universidade Autónoma Metropolitana: Xochimilco. 1962.

PIAGET, Jean. O tempo e o desenvolvimento intelectual da criança. Rio de Janeiro: Forense,1973.

PARRAT, Silvia. Colaboradora cientifica Archives na Universidade de Genebra. Brasil, 2011.

SOUZA, Maria. As relações entre a afetividade e a inteligência no desenvolvimento psicológico. Brasília, 2011.

TAILLE, Yves. Coleção de grandes educadores. Brasil, 2006.

WADSWORTH, Barry. Inteligência e afetividade da criança. 4. ed. São Paulo: Enio Matheus Guazzelli, 1996.

WALLON, Henry. Do ato ao pensamento. França, 1942.

Publicado

01/06/2020

Como Citar

DARIDO DA CUNHA, M.; AMANCIO, T.; BACCELLI, M. Vozes docentes na perspectiva da afetividade na educação infantil. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 22, n. 1, p. 123–136, 2020. DOI: 10.30715/doxa.v22i1.13914. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/13914. Acesso em: 26 jan. 2023.