O uso do livro didático

Significações docentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v24i00.17500

Palavras-chave:

Livro didático, Compreensão, Professor

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar as significações geradas pelos docentes em relação ao material didático de ciências, organizado pela rede escolar SESI-SP, por meio da metodologia dos Núcleos de Significação. Através do estudo das significações, foi possível conhecer aspectos importantes dos professores das escolas SESI-SP, de sua proposta educacional e, sobretudo, do material didático. Os sujeitos desta pesquisa responderam a um questionário com questões fechadas e abertas. A partir das respostas obtidas e da análise dos dados, foram efetuadas as tabulações das questões fechadas e elaboração de núcleos de significação das questões abertas, visando uma boa compreensão e enriquecimento das questões trazidas pela literatura. Os resultados sugerem que a rede SESI-SP deve propiciar momentos de interação entre alunos e professores por meio das atividades propostas pelo material didático de ciências, com a utilização de recursos tecnológicos em um ambiente colaborativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laôr Fernandes de Oliveira, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Psicologia.

Referências

AGUIAR, W. M. J. Sentidos e Significados do Professor na Perspectiva Sócio-histórica: Relatos de Pesquisa. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

AGUIAR, W. M. J.; OZELLA S. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Rev. Bras. Estud. Pedagog., v. 9, n. 4, p. 99-322, 2013.

ARAÚJO, S.S. A presença de docentes femininas no Ensino Superior no Brasil de 1990 a 2005. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 13., 2016, Coxim. Anais [...]. Coxim, RS, 2016. Tema: História de democracia: possibilidades do saber histórico. Disponível em: https://www.eeh2016.anpuh-rs.org.br/resources/anais/47/1479604881_ARQUIVO_Docenciafemininanoensinosuperior.pdf. Acesso em: 12 ago. 2021.

BIASI, S. V. O professor e qualidade de ensino: uma análise a partir dos resultados do Saeb na escola pública do Paraná. Jornal de Políticas Educacionais, v. 3, n. 6, p. 33-41, 2009.

BITTENCOURT, C. M. F. Autores e editores de compêndios e livros de leitura. São Paulo: Educação e Pesquisa, v. 30, n. 3, 475-491, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Senado Federal, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/lei%209394.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

CARVALHO, A. M. P. et al. Ensino de Ciências: Unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

CASTALDI, M. J. Z. D. Autoformação de formadores de professores: uma construção na relação teórico-prática do “chão” da sala de aula. São Paulo: SESI-SP editora, 2012.

CLOT, Y. A função psicológica do trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

FREITAS, A. T. M. Abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cad. Pesqui., São Paulo, n. 116, 2002.

GRAY, D. E. Pesquisa no mundo real. Porto Alegre: Penso, 2012.

HILL, M. M.; HILL, A. Investigação por questionário. Lisboa: Silabo, 2005.

LAJOLO, M. Livros didáticos: um (quase) manual de usuário. Em Aberto, n. 69, ano 16, 1996.

LOBATO, I. M.; MENDONÇA, M. P. C.; PEREIRA, S. A.G. A Formação Continuada de Professores na Escola de Tempo Integral. Jatí: Revista Eletrônica do Curso de Pedagogia do Campus Jatí – UFG, v. 8, n. 1, p. 2-11, 2012.

LÜDKE, M.; ANDRÉ E. D. A. M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. Temas Básicos de educação e Ensino. São Paulo: Editora EPU, 2012.

MAZZOTTI, A. J. A. Estudos sobre atividade docente: aspectos teóricos e metodológicos em questão. São Paulo: EDUC; EDUFAL, 2010.

MERCADO, L. P. L. Práticas de formação de professores na educação a distância. Maceió: EDUFAL, 2008.

MOLL, J. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

OLIVEIRA, F. L. Um estudo sobre as significações dos professores de ciências do ensino fundamental II da rede escolar SESI-SP atribuídas ao material didático de ciências. 2013. 324 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/16111/1/Laor%20Fernandes%20de%20Oliveira.pdf. Acesso em: 8 maio 2022.

ROSINI, A. M. As novas tecnologias da informação e a educação a distância. São Paulo: Thomson Learning. SESI-SP. Referenciais Curriculares da rede escolar SESI-SP, 2007.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo Paulista. São Paulo: SEDUC, 2019.

SAVIANI, D. Perspectiva marxiana do problema subjetividade e intersubjetividade. In: DUARTE, N. (org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 21-52.

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA (SESI-SP). Referencial Curricular do Sistema SESI-SP de Ensino: Ensino Fundamental. São Paulo: SESI-SP Editora, 2003.

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA (SESI-SP). Referencial Curricular do Sistema SESI-SP de Ensino: Ensino Fundamental. São Paulo: SESI-SP Editora, 2020.

SIGANSKI, P. B; FRISON, D. M; BOFF, O. T. E. O Livro Didático e o Ensino de Ciências. 2008. Disponível em: http://ourworld.compuserve.com/homepages/jsuebersax/likert2.htm. Acesso em: 12 ago. 2021.

UEBERSAX, J. S. Likert scales: dispelling the confusion. Statistical Methods for Rater Agreement, 2006. Disponível em: http://ourworld.compuserve.com/homepages/jsuebersax/likert2.htm. Acesso em: 20 ago. 2022.

VYGOTSKY, L. S. A transformação socialista do homem. Marxists Internet Archive, 1930. http://marxists.anu.edu.au/portugues/vygotsky/1930/mes/transformacao.htm. Acesso em: 10 jun. 2009.

Publicado

25/05/2023

Como Citar

OLIVEIRA, L. F. de. O uso do livro didático: Significações docentes. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 24, n. 00, p. e023002, 2023. DOI: 10.30715/doxa.v24i00.17500. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/17500. Acesso em: 12 abr. 2024.