Desenvolvendo comunicação intercultural em língua estrangeira via tecnologia de estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7iesp.3.15705

Palavras-chave:

Intercultural , Comunicação, Universidade, Estudantes, Educação, Língua estrangeira, Tecnologia de estudo de caso

Resumo

Mudanças estruturais profundas na economia, aumento da saturação e consciência da população, internacionalização de várias esferas da vida, levam à necessidade de criar uma variedade de oportunidades de educação e autoeducação para jovens na comunicação intercultural de línguas estrangeiras. Nesse sentido, uma das tecnologias líderes que ajudam a promover a comunicação intercultural em línguas estrangeiras é a tecnologia de estudo de caso. O método de caso baseia-se na aquisição de conjuntos (casos) de materiais didáticos textuais e na sua transferência aos alunos para autoestudo. O objetivo principal do trabalho de pesquisa é estudar a eficácia da tecnologia de estudo de caso para a promoção de alunos autônomos na comunicação intercultural de línguas estrangeiras. O autor revela o conceito de tecnologia de estudo de caso na aprendizagem de línguas estrangeiras, distingue quatro etapas principais do uso da tecnologia de estudo de caso para a promoção de alunos autônomos no ensino de línguas estrangeiras: estágio preparatório, introdutório, estágio principal e final. Conclui-se que o uso da tecnologia de estudo de caso para a promoção de alunos autônomos na comunicação intercultural promove o desenvolvimento da motivação interna do aluno para estudar e autoeducação; o desenvolvimento do pensamento criativo, da atividade e do trabalho autônomo dos alunos; a consolidação de conhecimentos e habilidades necessárias à formação de atividades autodidatas; reflexão sobre atividade autodidata. Os resultados e conclusões do artigo apresentado podem ser usados por professores e palestrantes nas aulas de inglês, seminários e em cursos como “Tecnologias de ensino de línguas estrangeiras nas escolas primárias”, “Teoria do ensino de línguas estrangeiras”.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABROSIMOVA, G. et al. Blended learning in university education. Humanities & Social Sciences Reviews, v. 7, n. 6, p. 06-10, 2019.

CHOSHANOV, M. A. Engineering of training technologies. Moscow: «Binom», 2015. Available: http://bookash.pro/ru/book/193905/inzheneriya-obuchayuschih-tehnologii-m-a-choshanov. Access: 10 Dec. 2020.

DEWEY, J. Education and democracy. New York, 1916.

GORBUNOVA, N. V.; MOKEYEVA, E. V. Innovative educational environment of higher educational institution. Man in India, v. 97, n. 15, p. 21-40, 2017.

HAYES, C. Beyond the american dream. Lifelong learning and the search for meaning in a postmodern world. Wasilla: Autodidactic Press, 1998.

HOFFMAN, T. The meanings of competency. Journal of Europen Industrial Training, v. 23, n. 6, p. 275-285, p. 1999.

HOLEC, H. Autonomy revisited. In: HUTTUNEN, I. (Ed.). Learning to learn languages: investigating learner strategies and learner autonomy. Report of workshop 2B. Heinola, Finland, 1993, 1993. p. 35-38. (Council of Europe, Council for Cultural Cooperation)

HUTMACHER, W. Key competencies for Europe. Report of the Symposium Berne, Switzerland, 1997. (Council for Cultural Co-operation (CDCC)

ILIKOVA, L. Sentiment analysis on english financial news volume 10. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON APPLIED LINGUISTICS ISSUES, 6., 2019, Saint Petersburg. Proceedings […]. Saint Petersburg: ALI2019, 2019. p. 735-744.

JEWELL, M. Real-world contexts, skills and service learning for secondary school language learners. In: HANSON-SMITH, E.; RILLING, S. (Eds.) Learning languages through technology. Alexandria, VA: TESOL, 2006.

KADYROVA, A. A.; VALEEV, A. A. Pedagogical support of non-language high school students' capacity for creative self-realization in foreign language classroom development. International journal of Environmental and Science Education, v. 11, n. 6, p. 1039-1048, 2016.

KHUSAINOVA, R. R.; VALEEV, A. A. Technological aspect of the development of university students foreign language activities. Astra Salvensis, v. 6, p. 746-764, 2018.

KUIMOVA, M. V. The use of case study method in teaching English as a foreign language in technical university. Young Scientist, v. 1-2, n. 2, p. 82-86, 2010.

MUHAMETZYANOVA, G. V. Professional education: systemic approach to the problem. Kazan: «Idel-Press», 2008. 608 p.

SABIROVA, D. R.; KHANIPOVA, R. R. Innovative approaches to teaching and learning English as second and English as foreign language in multilingual education. Humanities and Social Sciences Reviews, v. 7, n. 6, p. 45-48, 2019.

SAGITOVA, R. R. et al. The model of formation of self-directed language learning of university students in a unified higher education area. Humanities and Social Sciences Reviews, v. 7, n. 6, p. 85-88, 2019.

SELWYN, N. Education in a digital world: global perspectives on technology and education. London: Routledge, 2013.

Publicado

01/08/2021

Como Citar

SAGITOVA, R.; ILIKOVA, L. Desenvolvendo comunicação intercultural em língua estrangeira via tecnologia de estudo de caso. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 7, n. esp.3, p. e021047, 2021. DOI: 10.29051/el.v7iesp.3.15705. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15705. Acesso em: 27 fev. 2024.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.