Inclusão digital e inovação pedagógica: diálogo necessário

Rejany dos Santos Dominick, Walcéa Barreto Alves

Resumo


Buscamos compreender as tecnologias e sua relação com o ensino, pois, nas escolas, as tecnologias tradicionais prevalecem, enquanto fora dela mergulha-se no “novo mundo”, em que artefatos cada vez mais complexos e que demandam novas formas de organização e produção de conhecimentos são criados. Dialogamos com abordagens teórico-metodológicas da Pesquisa Participante, Etnografia e Tecnologia Social, bem como a Teoria das Representações Sociais para refletirmos sobre a inclusão digital de alunos da educação básica e de docentes em formação inicial e continuada, em Niterói-RJ. Resultados explicitam algumas dificuldades para o estabelecimento de diálogos entre novas e tradicionais tecnologias nas práticas pedagógicas. Contudo, há reinvenções que dão pistas sobre o nascimento de uma pedagogia inovadora.

Palavras-chave


Tecnologias digitais; Inclusão digital; Inovação pedagógica; Pesquisa participante; Pesquisa etnográfica

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, J-C. Pratiques sociales et représentations. Paris: PUF, 1994.

ABRIC, J-C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A.S.P.; OLIVEIRA, D.C. (Org.) Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB Editora, 2000. p. 27-39.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BONILLA, M. H. S.; PRETTO, N. de L. Política educativa e cultura digital: entre práticas escolares e práticas sociais. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 2, p. 499 - 521, maio/ago., 2015.

BRANDÃO, C. R. (Org.). Repensando a pesquisa participante. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1990.

BRANDÃO, C. R. A pergunta a várias mãos: a experiência da pesquisa no trabalho do educador. São Paulo: Cortez, 2003.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999a. v. 1.

CASTELLS, M. A era da informação: fim de milênio. São Paulo: Paz e terra, 1999b. v. 3.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

COSTA, A. B.; JESUS, V. M. B. de. Tecnologia social: breve referencial teórico e experiências ilustrativas. In: COSTA, Adriano Borges (Org.). Tecnologia social e políticas públicas. São Paulo: Instituto Pólis; Brasília: Fundação Banco do Brasil, 2013. p. 17-31.

CUNHA, M. I. Inovações na educação superior: impactos na prática pedagógica e nos saberes da docência. Revista Em Aberto, v. 29, n. 97, p 87-101, set./dez., 2016.

GATTI, B. A. Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga, v. 1, n. 2, p. 161-171, 2016.

GÜNTHER, H.; ELALI, G.A.; PINHEIRO, J.Q. A abordagem multimétodos em estudos pessoa-ambiente: características, definições e implicações. In: GÜNTHER, H.; PINHEIRO, J.Q. Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. Disponível em: www.psi-ambiental.net/XTextos/20MultiMetodo.pdf. Acesso em: 14 jun. 2017.

ITS (Instituto de Tecnologia Social). Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento. In: ITS. Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento. Fundação Banco do Brasil, Rio de Janeiro: 2004. p. 117-133. Disponível em: http://www.itsbrasil.org.br/infoteca/tecnologia-social/tecnologia-social-uma-estrategia-para-o-desenvolvimento. Acesso em: 15 out. 2013.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 2001.

JOHNSON, B.; ONWUEGBUZIE, A. Mixed methods research: A research paradigm whose time has come. Educational Researcher, v. 33, p. 14-26, 2004.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MAMEDE-NEVES, M. A. C.; DUARTE, R. O contexto dos novos recursos tecnológicos de informação e comunicação e a escola. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104, Especial, p. 769-789, out., 2008.

MATTOS, C. L. G. de. A abordagem etnográfica na investigação científica. Revista Espaço (INES), n. 16, p. 42-59, jul.-dez. 2001.

MATTOS, C. L. G. de. Estudos etnográficos da educação: uma revisão de tendências no Brasil. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 2, p. 39-57, 2006.

MATTOS, C. L. G. de. Etnografias na escola: duas décadas de pesquisa sobre o fracasso escolar no ensino fundamental. In: MATTOS, C. L. G. de; FONTOURA, H. A. de (Org.). Etnografia e educação: relatos de pesquisa. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2009.

MOSCOVICI, S. O fenômeno das representações sociais. DUVEEN, In: G. (Org.). Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003. p. 29-109.

PRETTO, N. L.; ASSIS, A. Ensaio: cultura digital e educação: redes já! In: PRETTO, N. L.; SILVEIRA, S.A. (Org.). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 75-83. [online]. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 10 jan. 2018.

PRETTO, N. L.; PINTO, C.C. Tecnologias e novas educações. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 31, jan.-abr. 2006. [online].

SILVA, M. Educar na cibercultura: desafios à formação de professores para docência em cursos online. Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, São Paulo, n. 3, p. 36-51, 2010.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1994.

UNESCO BRASIL. Computador na escola – o futuro anunciado. Revista TICs nas Escolas, v. 3, n. 2, 2008.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11647



Direitos autorais 2018 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.