Permanência do aluno com deficiência no ensino superior: dados censitários sobre as universidades federais da região centro-oeste

Washington Cesar Shoiti Nozu, Aline Maira da Silva, Alexandra Ayach Anache

Resumo


Este texto objetiva identificar estratégias voltadas para promover a permanência dos alunos com deficiência nas universidades federais da região Centro-Oeste, a partir de dados censitários. Trata-se de uma pesquisa documental, tendo como fonte os microdados estatísticos do Censo da Educação Superior, que foram lidos e tratados por meio da versão 20 do software IBM SPSS Statistics. Os resultados trazem elementos acerca das condições de acessibilidade dos estudantes com deficiência, de materiais acessíveis, de oferta da disciplina de Libras e disponibilização de profissionais. Conclui-se indicando a necessidade de ampliação dos investimentos para potencializar as condições de permanência dessa população nas universidades do Centro-Oeste, sobretudo na infraestrutura, no currículo, em materiais de apoio, no sistema de informação e na provisão e formação de profissionais para o atendimento das demandas.


Palavras-chave


Inclusão educacional; Ensino superior; Acessibilidade; Microdados estatísticos

Texto completo:

PDF

Referências


ANACHE, Alexandra Ayach. Deficientes e a educação no Centro-Oeste. In: ZIMERMAN, Artur (Org.). Ações afirmativas e a educação para pessoas com deficiência. Santo André: Universidade Federal do ABC, 2013. p. 79-99.

ANACHE, Alexandra Ayach.; ROVETTO, Sabrina Stella Maris; OLIVEIRA, Regiane Alves. Desafios da implantação do atendimento educacional especializado no ensino superior. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 49, p. 299-312, maio/ago., 2014.

BRASIL. Decreto n.º 5.296, 2 de dezembro de 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5296.htm. Acesso em: 15 mar. 2018.

BRASIL.Decreto n.º 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 15 mar. 2018.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192. Acesso em: 15 mar. 2018.

BRASIL. Documento orientador Programa Incluir: acessibilidade na educação superior. Brasília: SECADI/SESu, 2013.

BRASIL. Lei n.º 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 4 jun. 2018.

BRUNO, Marilda Moraes Garcia. Políticas afirmativas para a inclusão do surdo no ensino superior: algumas reflexões sobre o acesso, a permanência e a cultura universitária. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 92, n. 232, p. 542-556, set./dez., 2011.

CABRAL, Leonardo Santos Amâncio. Inclusão do público-alvo da educação especial no ensino superior brasileiro: histórico, políticas e práticas. Rev. Educ. PUC-Camp., Campinas, v. 22, n. 3, p. 371-387, set./dez., 2017.

CABRAL, Leonardo Santos Amâncio.; MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de. Entre a normatização e a legitimação do acesso, participação e formação do público-alvo da educação especial em instituições de ensino superior brasileiras. Educar em Revista, Curitiba, número especial 3, p. 55-70, dez., 2017.

CASTRO, Sabrina Fernandes de.; ALMEIDA, Maria Amélia. Ingresso e permanência de alunos com deficiência em universidades públicas brasileiras. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 20, n. 2, p. 179-194, abr./jun., 2014.

CIANTELLI, Ana Paula Camilo.; LEITE, Lúcia Pereira. Ações exercidas pelos núcleos de acessibilidade nas universidades federais brasileiras. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 3, p. 413-428, 2016.

GUERREIRO, Elaine Maria Bessa Rebello; ALMEIDA, Maria Amélia; SILVA FILHO, José Humberto da. Avaliação da satisfação do aluno com deficiência no ensino superior. Avaliação, Campinas, v. 19, n. 1, p. 31-60, mar., 2014.

INEP. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse estatística da educação superior 2016. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 5 mar. 2018.

MARCONI, Marina de Andrade.; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MOREIRA, Laura Ceretta. Políticas inclusivas no ensino superior: da implantação à concretização. In: MENDES, Enicéia Gonçalves.; ALMEIDA, Maria Amélia (Org.). Dimensões pedagógicas nas práticas de inclusão escolar. Marília: ABPEE, 2012. p. 97-108.

MOREIRA, Laura Ceretta. BOLSANELLO, Maria Augusta; SEGER, Rosangela Gehrke. Ingresso e permanência na universidade: alunos com deficiências em foco. Educar em Revista, Curitiba, n. 41, p. 125-143, set., 2011.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca: Unesco, 1994.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação superior no século XXI: visão e ação. Paris: Unesco, 1998.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11652



Direitos autorais 2018 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.