Binsex: uma proposta de bingo como recurso didático em abordagem crítica da educação sexual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.2.12617

Palavras-chave:

Jogo de bingo, Ensino de biologia, Saúde sexual, Educação sexual emancipatória, Didática em educação sexual.

Resumo

Apresentamos o bingo como uma proposta de recurso didático-pedagógico em abordagens sobre sexualidade e saúde sexual. Pautado na Declaração dos Direitos Sexuais e no paradigma da educação sexual emancipatória, o jogo objetiva promover o acesso à informação, ao conhecimento científico e à educação sexual esclarecedora. Também visa o estímulo à criação de metodologias diferenciadas que promovam a superação da educação bancária e potencializem a prática pedagógica de docentes de Ciências Biológicas ao abordar temas da educação sexual de forma criativa. De natureza qualitativa, seu planejamento foi orientado a partir da generalidade do Design Based Research (DBR), além dos documentos norteadores: Parâmetros Curriculares Nacionais (1997), Declaração dos Direitos Sexuais (2014) e Proposta Curricular de Santa Catarina (2014). Simulações e avaliações registraram que o Binsex pode incentivar estes docentes e estimular abordagens dialógicas, crítico-reflexivas e lúdicas sobre sexualidade e saúde sexual, potencializando a comunicação, interação e aprendizagem de estudantes.

Biografia do Autor

Ediane da Silva, (PPGE/UNISUL)

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Sul de Santa Catarina (PPGE/UNISUL), Tubarão – Santa Catarina – Brasil. Professora de Biologia pela Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED/SC). Membro do Grupo de Pesquisa GPECrit – Educação em Ciências e Pensamento Crítico CNPq/UNISUL.

Yalin Brizola Yared, Universidade do Sul de Santa Catarina/UNISUL.

Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/Mestrado, da Universidade do Sul de Santa Catarina/UNISUL. Líder do Grupo de Pesquisa GPECrit – Educação em Ciências e Pensamento Crítico CNPq/UNISUL. Membro do Grupo de Pesquisa EDUSEX – Formação de Educadores e Educação Sexual CNPq/UDESC.

Referências

AÇÃO EDUCATIVA. A ideologia do movimento Escola Sem Partido: 20 autores desmontam o discurso/Ação Educativa, Pesquisa e Informação (Org.). – São Paulo: Ação Educativa, 2016.

BRASIL. Projeto de Lei nº. 867 de 23 de março de 2015. Inclui, entre as diretrizes e bases da educação nacional, o “Programa Escola sem Partido”. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1050668.

BRASIL, PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais. 5a a 8a séries: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL, PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais. 5a a 8a séries: Orientação Sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CABRAL, Juçara Teresinha. A sexualidade no mundo ocidental. Campinas, São Paulo: Papirus, 1995.

ENNIS, Robert H. The nature of critical thinking: an outline of critical thinking dispositions and abilities. This is a several-times-revised version of a presentation at the Sixth International Conference on Thinking at MIT, Cambridge, july, 1994. Last revised may, 2011. Disponível em: http://faculty.education.illinois.edu/rhennis/documents/TheNatureofCriticalThinking_51711_000.pdf. Acesso em: 20 jun. 2016.

FRANCO, Amanda; VIEIRA, Rui Marques; SAIZ, Carlos. Pensamento crítico: as mudanças necessárias no contexto universitário. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, vol. extr., nº. 07, 2017. DOI: https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.07.2233.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 29ª. Ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2005.

GARCIA, Paulo Sérgio; BIZZO, Nélio. A pesquisa em livros didáticos de ciências e as inovações no ensino. Educação em Foco. v. 13, n. 15, 2010.

KNEUBIL, Fabiana Botelho; PIETROCOLA, Maurício. A pesquisa baseada em design: visão geral e contribuições para o ensino de ciências. In: Investigações em Ensino de Ciências. V. 22 (2) – Ago, 2017.

MATTOS, Amana et al. Educação e liberdade: apontamentos para um bom combate ao Projeto de Lei Escola sem Partido. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017.

MELO, Sônia Maria Martins de. Corpos no espelho: a percepção da corporeidade em professoras. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. (Coleção Dimensões da Sexualidade).

MELO, Sônia Maria Martins de. Educação e sexualidade / Sônia Maria Martins de Melo et al.; design instrucional Carmen Maria Cipriani Pandini – 2.ed. rev. – Florianópolis: UDESC/CEAD/UAB, 2011.

MELO, Sonia Maria Martins de; POCOVI, Rosi. Educação e Sexualidade. 2ª Ed. Caderno Pedagógico, v.1, Florianópolis: UDESC, 2008.

NUNES, Cesar Aparecido. Desvendando a sexualidade. 7. ed. Campinas, SP: Papirus, 2005.

NUNES, Cesar Aparecido. Filosofia, sexualidade e educação: as relações entre os pressupostos ético-sociais e histórico-culturais presentes nas abordagens institucionais sobre a educação sexual escolar. 1996. 319f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

OMS. (1975). Organização Mundial da Saúde. Disponível em: http://www.who.int/countries/bra/en/

SANTA CATARINA, Governo do Estado. Secretaria do Estado da Educação. Proposta Curricular de Santa Catarina/ Estado de Santa Catarina, 192 p., 2014.

SANTOMÉ, Jurjo Torres. O curriculum oculto. Portugal, Porto Editora, 1995.

SANTOS, Claudiene; BRUNS, Maria Alves de Toledo. A educação sexual pede espaço: novos horizontes para a práxis pedagógica. São Paulo: Ômega Editora, 2000.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. – 3. Ed. – 1. Reimp – Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

TENREIRO-VIEIRA, Celina. Perspectivas futuras de investigação e formação sobre pensamento crítico: potenciais convergências com as literacias Científica e Matemática. In: VIEIRA, Rui Marques; TENREIRO-VIEIRA, Celina; SÁ-CHAVES, Idália; MACHADO, Celeste. (Org.) Pensamento Crítico na Educação: perspectivas atuais no panorama internacional. Aveiro: UA Editora, 2014.

TENREIRO-VIEIRA, Celina. Investigação sobre o pensamento crítico na educação: contributos para a didática das Ciências. In: VIEIRA, Rui Marques et al. (Org.). Perspectivas futuras de investigação sobre pensamento crítico: potenciais convergências com as literacias científica e matemática. Aveiro: UA Editora, p, 29-39, 2014.

TENREIRO-VIEIRA, Celina; VIEIRA, Rui Marques. Promover o pensamento crítico dos alunos: propostas concretas para a sala de aula. Porto/Portugal: Porto Editora, 2000.

VIEIRA, Rui Marques; VIEIRA, Celina. Estratégias de ensino/aprendizagem: o questionamento promotor do pensamento crítico. Coleção: Horizontes pedagógicos, sob a direção de António Oliveira Cruz. Instituto Piaget: Lisboa, 2005.

YARED, Yalin Brizola. A educação sexual na escola: Tensões e prazeres na prática pedagógica de professores de Ciências e Biologia. 2011. 140f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Educação, Universidade do Planalto Catarinense, Lages, 2011.

YARED, Yalin Brizola. Do prescrito ao vivido: a compreensão de docentes sobre o processo de educação sexual em uma experiência de currículo integrado de um curso de Medicina. 2016.

YARED, Yalin Brizola; MELO, Sónia Maria Martins de; VIEIRA, Rui Marques. Relevância do pensamento crítico para a educação sexual intencional emancipatória. In: DOMINGUEZ, Caroline, (Coord. Ed.) Pensamento crítico na educação: desafios atuais. Vila Real: UTAD, p. 233-239, 2015. Disponível em: https://repositorio.utad.pt/bitstream/10348/4818/3/Pensamento%20Cr%C3%ADtico%20na%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20-%20Desafios%20Atuais%20%5B2015%5D.pdf. Acesso em: 20 jun. 2016.

WAS – Associação Mundial pela Saúde Sexual. Declaração dos direitos sexuais. 2014. Disponível em: http://www.worldsexology.org/wp-content/uploads/2013/08/DSR-Portugese.pdf.

Publicado

01/06/2019

Como Citar

SILVA, E. da; YARED, Y. B. Binsex: uma proposta de bingo como recurso didático em abordagem crítica da educação sexual. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp.2, p. 1580–1600, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14iesp.2.12617. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12617. Acesso em: 25 fev. 2021.