Organização do ensino de matemática na perspectiva do Sistema Elkonin-Davýdov

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i3.13775

Palavras-chave:

Teoria Histórico-Cultural, Sistema Elkonin-Davýdov, Organização do ensino, Aprendizagem de matemática, Conceito de grandeza

Resumo

Resultados de avaliações externas, como o PISA, o SAEB e o SAEP, revelam o baixo índice de proficiência dos estudantes brasileiros em Matemática na educação básica. Partindo do pressuposto de que a aprendizagem é resultado das interações educativas das quais os estudantes participam, voltamos nosso olhar para o modo como é previsto o ensino de conceitos matemáticos. Para termos dados mais objetivos sobre o que se aprende e o que se ensina, foi necessário eleger uma situação particular para análise, neste caso, os dados das avaliações externas de um município paranaense, bem como a organização curricular dessa disciplina no respectivo município. Com base nos estudos sobre o modo de organização do ensino sob a perspectiva do Sistema Elkonin-Davýdov, a organização do ensino de Matemática deve orientar-se pelo e para o conceito de grandeza, em torno do qual articulam-se álgebra, geometria e aritmética. Essa articulação implica uma organização curricular integrada, oposta à fragmentação identificada na organização do ensino no município em análise, o que pode justificar os resultados não satisfatórios na aprendizagem e, ao mesmo tempo, apontar possíveis caminhos pedagógicos para a superação desse quadro em nível nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giselma Cecilia Serconek, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR

Professora no Departamento de Teoria e Prática da Educação. Doutorado em Educação (UEM).

Marta Sueli de Faria Sforni, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR

Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação. Pós-Doutorado em Educação (UNICAMP).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Nota explicativa: resultados Prova Brasil 2013. Brasília, DF: MEC/INEP, 2014. Disponível em: http://download.inep.gov.br/mailing/2014/nota_explicativa_prova_brasil_2013.pdf. Acesso em: 5 set. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Programa Internacional de Avaliação de Estudantes: o que é Pisa. Brasília, DF: INEP, 2015. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/resultados/2015/pisa2015_completo_final_baixa.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasil no Pisa 2015. Brasília, DF: INEP, 2016. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=42741. Acesso em: 21 jun. 2019.

CARAҪA, B. J. Conceitos fundamentais da matemática. Lisboa: Editora Cosmos, 1951.

DAVÝDOV, V. V. Tipos de generalización en la enseñanza. La Habana: Pueblo y Educación, 1982.

ILYENKOV. E. V. Our schools must teach how to think. Journal of Russian and East European Psychology, v. 45, n. 4, p. 9-49, jul./ago. 2007. Tradução em inglês do texto russo “Shkola dolzhna uchit’ myslit’!” in E.V. Ilyenkov, Shkola dolzhna uchit’ myslit’ (Moscow and Voronezh: Moskovskii psikhologo-sotsial’nyi institute and Izdatel’stvo IPO MODEK, 2002), pp. 6–55. Publicado com a permissão de Elena Evaldovna Illiesh.Traduzido por Stephen D. Shenfield.

KOPNIN, P. V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1978.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MUNICÍPIO PARANAENSE. Secretaria Municipal de Educação. Currículo da Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 2012.

PARANÁ. Sistema de Avaliação da Educação Básica do Paraná. Revista Pedagógica. Matemática - 6º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio. 1ª etapa. Curitiba, PR: SAEP, 2013. Disponível em: https://saep.caedufjf.net/wp-content/uploads/2018/01/SAEP-RP-MT-6EF-1EM-WEB.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

PARANÁ. Secretaria da Educação. No Brasil, 33 mil alunos farão provas para o ‘ranking mundial de educação’. Curitiba, PR: SEED, 2015. Disponível em: http://www.matematica.seed.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=951. Acesso em: 16 nov. 2019.

SILVEIRA, M. R. A. “Matemática é difícil”: um sentido pré-constituído evidenciado na fala dos alunos. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 25., 2002, Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG, 2002. Disponível em: http://25reuniao.anped.org.br/tp251.htm#gt12. Acesso em: 24 abr. 2019.

TALIZINA, N. F. Manual de psicologia pedagógica. San Luis Potosí, México: Editorial Universitaria Potosina, 2000.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Moscú: Editorial Pedagógica, 1931. t. 4.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Moscú: Editorial Pedagógica, 1982. t. 2.

Downloads

Publicado

01/07/2021

Como Citar

SERCONEK, G. C.; SFORNI, M. S. de F. Organização do ensino de matemática na perspectiva do Sistema Elkonin-Davýdov. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 3, p. 2100–2116, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i3.13775. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13775. Acesso em: 25 out. 2021.