As contribuições da educomunicação para a formação de sujeitos críticos

Um diálogo entre os pressupostos teóricos de Paulo Freire e do círculo de Mikhail Bakhtin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i3.16599

Palavras-chave:

Educomunicação, Freire, Bakhtin, Formação, Sujeitos críticos

Resumo

A Educomunicação tem favorecido uma ressignificação das bases epistemológicas e metodológicas do lugar das mídias no contexto escolar, bem como uma discussão axiológica do papel do professor nesse novo contexto histórico multimidiático. Para evidenciar as contribuições da Educomunicação na formação de sujeitos críticos, o artigo suscita um diálogo entre duas vertentes fundamentais à compreensão da Educomunicação: Freire e Bakhtin (e seu Círculo). A metodologia caracteriza-se por uma investigação teórica, de natureza qualitativa e de abordagem epistemológica de cunho interpretativo, que busca aproximações entre as teorias e apresenta posicionamentos acerca de duas questões fulcrais: a noção de sujeito e da palavra ideológica. Nas discussões, viu-se que os pressupostos teóricos permitem uma abordagem que considera as dimensões do uso da linguagem em contextos midiáticos com vistas a uma pedagogia libertadora. Como fechamento, aponta-se para a ideia de que dialogicamente os sujeitos se constituem na/pela linguagem, pois ela favorece uma educação crítica e emancipatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Madalena Pereira da Silva, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), Caçador – SC – Brasil

Professora no Programa de Mestrado em Educação Básica e Professora no Programa de Mestrado em Educação (PPGE/UNIPLAC). Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento (UFSC).

Helena Maria Ferreira, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras – MG – Brasil

Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-graduação em Letras. Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC/SP).

Joel Cezar Bonin, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), Caçador – SC – Brasil

Professor no Programa de Mestrado em Educação Básica. Doutorado em Filosofia (PUC/PR).

Referências

ARRUDA, E. P. Ensino e aprendizagem na sociedade do entretenimento: Desafios para a formação docente. Educação, v. 36, n. 2, p. 232-239, maio/ago. 2013. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/faced/article/view/12036. Acesso em: 08 dez. 2021.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6. ed. Tradução: Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BRAIT, B. Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 27 maio 2021.

CITELLI, A. O.; COSTA, M. C. C. Apresentação. In: CITELLI, A. O.; COSTA, M. C. C. (org.). Educomunicação: Construindo uma nova área de conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011.

CITELLI, A.; SOARES, I. O.; LOPES, M. Immacolata Vassallo de. Educomunicação: Referências para uma construção metodológica. Comunicação & Educação, v. 24, n. 2, p. 12-25, 30 dez. 2019. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/165330/159511. Acesso em: 15 mar. 2021.

FREIRE, P. Extensão ou Comunicação? 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P.; GUIMARÃES, S. Sobre Educação: Diálogos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984. v. 2.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes Necessários à Prática educativa. 30. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GADOTTI, M. Saber aprender: Um olhar sobre Paulo Freire e as perspectivas atuais da educação. Produção de terceiros sobre Paulo Freire, Série Artigos, 2000. Disponível em: http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/2999/1/FPF_PTPF_01_0366.pdf. Acesso em: 11 dez. 2021.

HABERMAS, J. Teoria do Agir Comunicativo: Racionalidade da Ação e Racionalização Social. Tradução: Paulo Astor Soethe. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

KAPLÚN, M. El Comunicador Popular. Quito: Ciespal, 1985.

MERCADO, L. P. L. (org.). Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL, 2002.

MARQUES, F. P. J. A. Debates Políticos na internet: A perspectiva da conversação civil. OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, v. 12, n. 1, p. 164-187, abr./maio 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/op/a/rSyVrhtppnpwTcs5Ck6Czbv/abstract/?lang=pt. Acesso em: 27 dez. 2021.

MARTÍN-BARBERO, J. M. Heredando el Futuro. Pensar la Educación desde la Comunicación, n. 5, p. 10-22, sept. 1996.

MARTÍN-BARBERO, J. M. Retos culturales de la comunicación a la educación: Elementos para una reflexión que está por comenzar. Revista Reflexiones Académicas, Santiago, n. 12, p. 45-57, 2000. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3990512. Acesso em: 20 dez. 2021.

MIOTELLO, V. Profa. Fátima recebe Miotello, um grande linguista brasileiro. S.l.: Hélcia Macedo Academy, 2020. 1 vídeo (247 min). Disponível em: https://youtu.be/mikT--_A--w?list=PLrGeUYiDeLL59lstewHa_MP6OptC3Ijyv. Acesso em: 02 jun. 2021.

MORIN, E.; CIURANA, E. R.; MOTTA, R. D. Educar na era planetária: O Pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. Tradução: Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2003.

RABELO, D. Abordagens complexas: Algumas premissas educacionais no Cepae. Revista Polyphonía, v. 19, n. 2, p. 151-163, 2008. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/17988. Acesso em: 11 jan. 2021.

SILVA, L. M. A Teoria da Ação Comunicativa no ensino de comunicação. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, p. 173-190, jul./set. 1999.

SILVA, M. P.; AGUIAR, P. A.; JURADO, R. G. As tecnologias digitais da informação e comunicação como polinizadoras dos projetos criativos ecoformadores na perspectiva da educação ambiental. Revista Polyphonía, v. 31, n. 1, p. 182-204, 2020. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/66957. Acesso em: 13 jan. 2021.

SOARES, I. O. Educomunicação: Um campo de mediações. Comunicação & Educação, São Paulo, n. 19, p. 12- 24, set/dez. 2000. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36934. Acesso em: 12 ago. 2021.

SOARES. I. O. Metodologias da Educação para Comunicação e Gestão Comunicativa no Brasil e na América Latina. In: BACCEGA, M. A. (org.). Gestão de Processos Comunicacionais. São Paulo: Atlas, 2002.

SOARES. I. O. A Educomunicação e suas áreas de intervenção. Educom.TV, tópico 1, ECA/USP, 2002. Disponível mediante senha em: http://www.educomtv.see.inf.br/. Acesso em: 14 set. 2003.

SOARES. I. O. Educomunicação: O conceito, o profissional, a aplicação. São Paulo: Paulinas, 2011.

SZUNDY, P. T. C. Educação como ato responsável: A formação de professores de linguagens à luz da filosofia da linguagem do círculo de Bakhtin. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 53, n. 1, p. 13-32, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tla/a/xdSSh3qFDMRbNpLRm5W4xjh/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 fev. 2022.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Círculo de Bakhtin. Tradução: Sheila Grillo e Ekaterina V. Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

XAVIER, M. M.; ALMEIDA, M. F.; NASCIMENTO, R. N. A. A educomunicação e a perspectiva dialógica da linguagem: Por uma educação midiática e uma mídia educativa. In.: PAIVA, R. S.; QUEIROZ, R. (org.). O texto multifacetado: Diálogos em língua e literatura. Campina Grande: Bagagem, 2015.

XAVIER, M. M. Educomunicação em perspectiva dialógico-discursiva: Leituras do jornalismo político no Ensino Médio. 2018. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13775. Acesso em: 19 dez. 2021.

Publicado

01/07/2022

Como Citar

SILVA, M. P. da; FERREIRA, H. M.; BONIN, J. C. As contribuições da educomunicação para a formação de sujeitos críticos: Um diálogo entre os pressupostos teóricos de Paulo Freire e do círculo de Mikhail Bakhtin. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 3, p. 1819–1837, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i3.16599. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16599. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos