Escola Confessional INSA, Salinas/MG

Memórias de um processo civilizador de meninas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i4.16779

Palavras-chave:

Memória, Escola confessional, Processo civilizador, Costumes, Mulheres

Resumo

A proposição consiste em interpretar as memórias de formação e de relações civilizatórias das meninas estudantes no Instituto “Nossa Senhora Aparecida” (INSA) Salinas-MG (1951-1972). O INSA foi criado em 1951, sua organização contou com a ação das freiras Clarrisas Franciscanas. O estudo está situado nos campos da memória (HALBWACHS, 2006), história oral (PORTELLI, 2016) e das teorias dos processos civilizadores (ELIAS, 1993, 1994). Trata-se de uma abordagem qualitativa em que foram entrevistadas ex-estudantes do Instituto, e as suas evocações nos fizeram compreender que a figuração educacional apresentava características de um processo civilizador de meninas que se constituiu por meio de modelagem de hábitos e comportamentos através de práticas tradicionais e políticas-culturais. Consideramos que as memórias revelam a formação no INSA conectada a um modelo de organização social e civilizatória: as alunas eram educadas para demonstrar sutileza, delicadeza, obediência e disciplina em contextos de desigualdades de gênero e de orientação católica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lílian Gleisia Alves dos Santos, Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Salinas – MG – Brasil

Docente da área de Didática e Fundamentos da Educação. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade (UESB).

Tony Honorato, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR – Brasil

Docente do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação. Professor Associado-B. Doutorado em Educação Escolar (FCLAr/UNESP).

Felipe Eduardo Ferreira Marta, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Vitória da Conquista – BA – Brasil

Docente do Programa de Pós-Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade. Docente do Curso de Licenciatura em Educação Física (UESC). Doutorado em História (PUC-SP).

Referências

BACKHEUSER, E. Manual de pedagogia moderna: Teoria e Prática. Porto Alegre: Editora Globo, 1958.

BASSANEZI, C. Mulheres nos anos dourados. In: PRIORE, M. (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2002.

CARDOZO, M. M.; HONORATO, T. História da educação do corpo: Uma leitura com Norbert Elias. In: VIEIRA, A. F. B.; JUNIOR, M. A. F. (org.). Norbert Elias em debate: Usos e possibilidades de pesquisas no Brasil, Ponta Grossa: Texto e Contexto, 2020.

COMENIUS, J. A. Didática Magna: Comenius. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

DIAS, M. O. L. S. Quotidiano e poder em São Paulo no século XIX. São Paulo: Brasiliense, 1984.

ELIAS, N. O processo civilizador: Formação do estado e civilização. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

ELIAS, N. O processo civilizador: Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

ELIAS, N. Norbert Elias por ele mesmo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

ELIAS, N. A Civilização dos Pais. Sociedade e Estado, Brasília, v. 27, n. 3, p. 469-493, set./dez. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/se/a/d8cs7Bb6zx8n83kgYdP7kRH/?lang=pt. Acesso em: 26 jul. 2021.

FREITAS, M. C. Brasil 1954-1964: Sugestão de roteiro a partir da “História das Ideias Educacionais” (Anísio e Vieira Pinto). Revista Brasileira de História, v. 14, n. 27, p. 167-178, 1994. Disponível em: https://www.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=3749. Acesso em: 17 jan. 2022.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HONORATO, T. Pesquisas com Norbert Elias em História da Educação. Revista Comunicações, Piracicaba, v. 24, n. 3, p. 107-127, set./dez. 2017. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/3619. Acesso em: 10 jan. 2021.

INSA. Projectos – Regulamentos e Instruções do Instituto Nossa Senhora Aparecida. Salinas: INSA, 1951a.

INSA. Extrato dos estatutos do Instituto Nossa Senhora Aparecida de Salinas. Salinas: INSA, 1951b.

INSA. Tabela de anuidade, 1959. Lolização: Arquivo da Superintendência Regional de Ensino de Araçuaí.

PORTELLI, A. Tentando aprender um pouquinho. Algumas reflexões sobre a ética na história oral. Projeto História, n. 15, p. 13-49, 1997. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/11215/8223. Acesso em: 14 jan. 2022.

PORTELLI, A. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e voz, 2016.

RODRIGUES, C. Força na pequenez: Madre Serafina ontem e hoje. Contagem: Composição e impressão, 1986.

RODRIGUES, C. Missão no Brasil: Das Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento. Belo Horizonte: TELECART, 2003.

SARAT, M.; CAMPOS, M. I. Memórias da infância e da educação: Abordagens eliasianas sobre as mulheres. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 1257-1277, out./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/bMnh4dXN5CLQYsnhpLw3qqb/?format=html&lang=pt. Acesso em: 23 jul. 2021.

Publicado

30/12/2022

Como Citar

SANTOS, L. G. A. dos; HONORATO, T.; MARTA, F. E. F. Escola Confessional INSA, Salinas/MG: Memórias de um processo civilizador de meninas. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 4, p. 2898–2917, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i4.16779. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16779. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)