Epistemologia contemporânea e povos indígenas no Ensino Superior

O desafio da interculturalidade na universidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v19i00.17879

Palavras-chave:

Ensino Superior, Povos indígenas, Epistemologia, Interculturalidade

Resumo

O objetivo deste texto é refletir sobre o ingresso de estudantes indígenas no Ensino Superior, tendo em vista o desafio dos diálogos interculturais e interepistêmicos. Trata-se de uma Pesquisa Bibliográfica, cuja abordagem é qualitativa, que buscou identificar as principais contribuições acerca dos desafios da interculturalidade no Ensino Superior no Brasil, com destaque para a inter-relação povos indígenas, interculturalidade e Universidade. Para tanto, dialogamos com autores que contribuem para esse debate, a partir da epistemologia contemporânea, na perspectiva da decolonialidade e da interculturalidade, como abordagens críticas de reflexão. Os dados evidenciam as necessidades e a importância das ações afirmativas no Ensino Superior, mas também a necessidade de questionar, para além da ausência dos povos indígenas nas Universidades, as práticas pedagógicas reguladas pela racionalidade científica dominante, já que o conhecimento sempre foi utilizado como instrumento de classificação hierárquica e de reforço de padrões de poder e saber.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula de Pádua Câncio , Universidade do Estado do Pará

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade do Estado do Pará.

Raimundo Nonato de Pádua Câncio , Universidade Federal do Norte do Tocantins

Professor Adjunto do Curso de Pedagogia, do Programa de Pós-graduação em Linguística e Literatura (PPGLLIT/UFNT), e do Programa de Pós-graduação em Formação Docente em Práticas Educativas da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Referências

AMARAL, W. R. do. As Trajetórias dos Estudantes Indígenas nas Universidades Estaduais do Paraná: Sujeitos e Pertencimentos. 2010. 586 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2010.

ALMEIDA, S. L. Racismo estrutural em feminismos plurais. Jandaíra, 2021.

BALLESTRIN, L. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n.1 1, p. 89-117, maio/ago. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcpol/a/DxkN3kQ3XdYYPbwwXH55jhv/abstract/?lang=pt. Acesso em: 26 ago. 2022.

BARNES, E. V. Da Diversidade ao Prolind: reflexões sobre as políticas públicas do MEC para a formação superior e povos indígenas. In: SOUZA, C. N. I. de; ALMEIDA, F. V. R. de; LIMA, A. C. de S; MATOS, M. H. O. (org.). Povos Indígenas: projetos e desenvolvimento II. 1. ed. [S. l.: s. n], 2010.

BARROSO-HOFFMANN, M. Direitos culturais diferenciados, ações afirmativas e etnodesenvolvimento: algumas questões em torno do debate sobre ensino superior para os povos indígenas no Brasil. In: CONGRESO LATINOAMERICNOA de ANTROPOLOGIA–ALA, 1., 2005, Rosário, Argentina. 2005. Disponível em: http://www.laced.etc.br/arquivos/educacao_indigena_Barroso-Hofmann.pdf. Acesso em: 22 abr. 2022.

BORNIOTTO, M. L. da S. Políticas de inclusão e formação superior de estudantes indígenas no Paraná: experiências da Universidade Estadual de Maringá. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, 2017.

BERGAMASCHI, M. A. Intelectuais indígenas, interculturalidade e educação. Tellus, [S. l.], ano 14, n. 26, p. 11-29, jan./jul. 2014.

BERGAMASCHI, M. A; BRITO, P. O; DOEBBER, M. B; Estudantes indígenas em universidades brasileiras: um estudo das políticas de acesso e permanência. Rev. bras. Estud. pedagog., Brasília, v. 99, n. 251, p. 37-53, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeped/a/dx8gDkg34fWLQw7DvCbjhyz/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 26 ago. 2022.

BELTRÃO, J. F. Povos indígenas e políticas afirmativas ou Antropologia em campo minado. Revista Tellus, Campo Grande, ano 7, n. 13, p. 27-36, out. 2007. Disponível em: http://www.neppi.org/projetos/tellus_detalhes.php?id=266. Acesso em: 22 abr. 2022.

BRITO, P. O. Indígena-mulher-mãe-universitária o estar-sendo estudante na UFRGS. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

BRASIL. Lei N. 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, DF, 29. ago. 2012. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm Acesso em: 12 de dez. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Censo da Educação Superior. Brasília, DF: MEC/Inep, 2016. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse. Acesso em: 22 abr. 2022.

CANCLINI, N. G. Culturas Híbridas. São Paulo: EDUSP, 2006.

CÂNCIO, R. N. de P. Colonialidade do saber e mal-estar acadêmico: práticas dissidentes e tensões sociais de estudantes indígenas em uma universidade da Amazônia brasileira. Revista Cocar, [S. l.], v. 18, n. 36, 2023. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/6676. Acesso em: 31 jul. 2023.

CALDERONI, V. A. M. de O. Professores indígenas e educação superior: traduções e negociações na Escola Indígena Ñandejara da Aldeia Te’ýikue, Caarapó/MS. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2015.

CHAMBOULEYRON, R.; BARBOSA, B.; BOMBARDI, F.; SOUZA, C. R. Formidável contágio: epidemias, trabalho e recrutamento na Amazônia colonial (1660-1750). História, Ciência, Saúde- Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 987-1004, 2011.

CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO (CIMI). A violência contra os povos indígenas no Brasil. Relatório 2021. Brasília, DF: CIMI, 2021.

DOEBBER, M. B. Indígenas Estudantes nas Graduações da UFRGS: movimentos de re-existência. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

FERREIRA, M. K. L. A educação escolar indígena: um diagnóstico crítico da situação do Brasil. In: SILVA, A. L. da; FERREIRA, M. K. L. (org.). A Antropologia, História e Educação. São Paulo: Global, 2001.

FERREIRA, S. A. Política de ação afirmativa na UFT: compreendendo a dinâmica da in (ex)clusão na formação acadêmica de estudantes indígenas da UFT. 2013. Tese (Doutorado em Administração de Empreas) – Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2013.

FRIGOTTO, G. A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. In: BIANCHETTI. L.; JANTSCH. A. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. Petrópolis, RJ: Vozes. 1995.

FLEURI, R. M. Intercultura e educação. Revista Brasileira de Educação, [S. l.], n. 23, p. 16-35, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/SvJ7yB6GvRhMgcZQW7WDHsx/?lang=pt. Acesso em: 22 abr. 2022.

GOMES, L. Escravidão: do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares. [S. l.]: Globo Livros, 2019. v. I.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Os indígenas no Censo Demográfico 2010: primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/indigenas/indigena_censo2010.pdf. Acesso em: 31 jul. 2023.

LÁZARO, A; MONTECHIARE, R. Universidade para indígenas? In: AMARAL, W. R. do; FRAGA, L; RODRIGUES, I. C. Universidade para indígenas: a experiência do Rio de Janeiro: FLACSO, GEA; UERJ, LPP, 2016.

LIMA, A. C. de S. Povos indígenas e educação superior. In: VIANNA, F. de L. B. et al. Indígenas no ensino superior: as experiências do programa Rede de Saberes, em Mato Grosso do Sul. 1. ed. Rio de Janeiro: E-Papers, 2014.

LUCIANO, G. dos S. O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006.

MOEHLECKE, S. Ação Afirmativa: História e Debates no Brasil. Cadernos de Pesquisa - Fundação Carlos Chagas, [S. l.], n. 117, p. 197-217, nov. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/NcPqxNQ6DmmQ6c8h4ngfMVx/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 22 abr. 2022.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. rev. 25. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

OLIVEIRA, I, A. de. Racionalidade moderna. In: OLIVEIRA, I. A. de. Epistemologia e Educação: bases conceituais e racionalidades científicas e históricas, Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

PALADINO, M. Um mapeamento das ações afirmativas voltadas aos povos indígenas no ensino superior. In: BERGAMASCHI, M. A.; NABARRO, E.; BENITES, A. (org.). Estudantes indígenas no ensino superior: uma abordagem a partir da experiência na UFRGS. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2013.

PEREIRA, T. do S. Lira. Os indígenas e o ensino superior na Amazônia: realidade e perspectivas da política de ação afirmativa da Universidade Federal do Oeste do Pará (2010-2015). 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, PA, 2018.

RANGEL, L. H; LIEBGOTT, R. A. Sob Bolsonaro, a violência e impunidade contra os povos indígenas foram naturalizadas. In: CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO (CIMI). A violência contra os povos indígenas no Brasil. Relatório 2021. Brasília, DF: CIMI, 2021.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 3. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2005.

SANTOS, B. de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, B. de S; MENESES, M. P. (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, B. de S; MENESES, M. P. (org.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, M. S. F. dos. Da aldeia à Universidade: os estudantes indígenas no diálogo de saberes tradicional e científico na UFT. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

SILVA, G.; AMORIM, S. S. Apontamentos sobre a educação no Brasil Colonial (1549-1759). Interações, Campo Grande, v. 18, n. 4, p. 185–196, out. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/inter/a/tGGWx3Dp58Sx3FmY8trzGyR/?lang=pt#. Acesso em: 31 jul. 2023.

SCHWARCZ, L. M; GOMES, F. (org.). Dicionário da escravidão e liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

WALSH, C. La educación Intercultural en la Educación. Peru: Ministerio de Educación, 2001.

Publicado

02/01/2024

Como Citar

CÂNCIO , A. P. de P.; CÂNCIO , R. N. de P. Epistemologia contemporânea e povos indígenas no Ensino Superior: O desafio da interculturalidade na universidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 19, n. 00, p. e024003, 2024. DOI: 10.21723/riaee.v19i00.17879. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17879. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos