Cenas educativas

Uma produção do sujeito “não-aprendente” na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v19i00.18091

Palavras-chave:

Escola, Produção de sujeitos, Não-aprendentes

Resumo

O texto potencializa a análise de recortes de cenas educativas em que se busca dar visibilidade para o alargamento da produção de estudantes que, como territórios discursivos/corpos, constituem-se em, os/as quais chamaremos: “não aprendentes”. Sinaliza-se que como efeitos a produção destes sujeitos constitui-se no “borramento” das fronteiras de sujeitos que participam do processo de aprendizagem caracterizados/as na normalidade das classificações: “estudantes normais” e os/as estudantes produzidos/as como público alvo do Atendimento Educacional Especializado (AEE). A problematização desenvolvida no texto buscar movimentar pistas para buscar compreender: como as práticas discursivas de cenas educativas inventam e agenciam sujeitos “não aprendentes”? Desse modo, considera-se a escola operando com as noções de performatividade e produção dos sujeitos, sinalizando que a produção de estudantes “não aprendentes” se caracteriza em uma outra categoria de processos de subjetivação operados na escola e nas práticas “ditas” pedagógicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliziane Tainá Lunardi Ribeiro, Universidade Federal de Santa Maria

Acadêmica do curso de Pós-graduação em Educação Nível Doutorado, professora da Educação Básica no Município de Santa Maria/RS (Orientanda).

Leandra Bôer Possa, Universidade Federal de Santa Maria

Professora Doutora da UFSM nos Programas de Pós-graduação em Educação e Políticas Públicas em Gestão Educacional. Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Especial e Inclusão GEPE/UFSM (Orientadora).  

Joacir Marques da Costa, Universidade Federal de Santa Maria

Professor Adjunto na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Líder do Grupo de Pesquisa "Rizoma - Políticas, Currículo e Educação" /CNPq. Professor/Orientador no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFSM) e no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional (PPPG/UFSM) (Coorientador).

Referências

BALL, S. J.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Tradução: Janete Bridon. Ponta Grossa, PR: UEPG, 2016.

BALL, S. J. Cidadania global, consumo e política educacional. In: SILVA, L. H. A escola cidadã no contexto da globalização. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998, p. 121-137.

BALL, S. J. Performatividades e fabricações na economia educacional: rumo a uma sociedade performativa. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 37-55, maio/ago. 2010.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução: Renato Aguiar. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DELEUZE, G.; PARNET, C. Uma conversa, o que é? Para que é que serve? In: DELEUZE, G.; PARNET, C. Diálogos. Tradução: José Gabriel Cunha. Lisboa: Relógio d’Água Editores, 2004, p.12-47.

FOUCAULT, M. O Sujeito e o Poder. In: DREYFUS, H. L. e RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Tradução: Vera Porto Correro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995, p. 231-249.

FOUCAULT, M. Do governo dos vivos: curso no Collège de France, 1979-1980: aulas de 09 e 30 de janeiro de 1980 / Michel Foucault, São Paulo: Centro de Cultura Social, 2009.

FOUCAULT, M. “O sujeito e o poder”. In: DREYFUS H.; RABINOW, P. Michel Foucault: uma trajetória filosófica (para além do estruturalismo e da hermenêutica). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2. ed., 2010. p. 307

FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 9. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019. 432 p.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2020.

LARROSA. J. Epílogo: a arte da conversa. In: SKLIAR, C. Pedagogia (improvavél) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Tradução: Giane Lessa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003, p. 211-224.

SCHERER, S. S. Performatividade, trabalho docente e escola pública: principais debates do Brasi. In: MUIRAQUITÃ: Revista de Letras e Humanidades, v. 9, n. 2, 2021.

VILELA, E. Silêncios tangíveis. Corpo, resistência e testemunho nos espaços contemporâneos de abandono. Porto: Edições Afrontamento, 2010.

Publicado

15/01/2024

Como Citar

RIBEIRO, E. T. L.; POSSA, L. B.; COSTA, J. M. da. Cenas educativas: Uma produção do sujeito “não-aprendente” na escola . Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 19, n. 00, p. e024008, 2024. DOI: 10.21723/riaee.v19i00.18091. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/18091. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos