Zilda Arns, uma intelectual militante e sua relação com a Educação Popular e a Pastoral da Criança

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v19i00.19072

Palavras-chave:

Zilda Arns, Pastoral da Criança, Educação Popular, Paulo Freire

Resumo

O artigo objetiva apresentar a médica Zilda Arns como mulher intelectual e sua relação com a Pastoral da Criança e a Educação Popular. Para tal compilação, será apresentada a trajetória de vida de Zilda Arns articulada ao contexto histórico da Pastoral da Criança e da Educação Popular. A pergunta norteadora da pesquisa é: Qual a relação da intelectual Zilda Arns com a Pastoral da Criança e a Educação Popular? O aporte teórico está centrado em Paulo Freire (1967; 1970; 1982; 1989; 2005; 2007), Zilda Arns (1996; 2003; 2000; 2010), Brandão (1984; 2005), Orlando (2021), Sapiro (2012) e Batalha (2003). O método utilizado para o desenvolvimento do estudo foi a hermenêutica fenomenológica, com abordagem qualitativa. Os resultados apontaram que Zilda Arns foi uma intelectual militante, que aproximou sua visão de mundo ao pensamento de Paulo Freire, teórico prático da Educação Popular, e assim implementou a Pastoral da Criança, por meio do diálogo e conscientização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Thomé, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Evelyn de Almeida Orlando, Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Professora do Departamento de Ciências Sociais e Educação – EDU /UERJ.

Peri Mesquida, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Professor Titular e Orientador no Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Ciências da Educação (UNIGENÈVE) – Suíça.

Referências

ALVES, Rubem. O suspiro dos oprimidos. São Paulo: Paulus, 1999. (Coleção Tempo de Libertação)

ARNS, Otília. Zilda Arns: a trajetória da médica missionária. Curitiba: Editora e Livraria do Chain, 2010. 208 p.

BATALHA, Martha Mamede. Pastoral da Criança: 20 anos de vidas. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, Ed. Desiderata; São Paulo: Ed. Loyola, 2003.

BETTO, Frei. Zilda Arns, a mãe do Brasil. Folha de São Paulo, São Paulo, 14 jan. 2010. Caderno Opinião.

BETTO, Frei. O que é Comunidade Eclesial de Base. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

BOFF, Leonardo. A pedagogia do oprimido e a teologia da libertação. In: GADOTTI, Moacir. (org.). 40 olhares sobre os 40 anos da pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2008.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Educação Popular. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Paulo Freire: Educar para transformar. Almanaque histórico. São Paulo: Mercado Cultural, 2005. 140 p.

BRIGHENTI, Agenor. Método Ver, Julgar e Agir. In: PASSOS, João Décio (org.). Dicionário do Concílio Vaticano II. São Paulo: Paulinas/Paulus, 2015.

DUSSEL, Henrique. Teologia da Libertação: um panorama de seu desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1999. 120 p.

ENTREVISTA com Zilda Arns Neumann. Lições da Pastoral da criança. Estudos Avançados, São Paulo, v. 17, n. 48, p. 63-75, 2003.

ENTREVISTA com Zilda Arns Neumann, gravada por José Wille em janeiro de 1998. A história de Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança. Portal Memórias Brasileiras, [S. l.: s. n.], [21--]. Disponível em: http://www.jws.com.br/2017/12/memoria-paranaense-a-historia-de-zilda-arns-fundadora-da-pastoral-da-crianca/. Acesso em: 05 jan. 2023.

FÁVERO, Osmar. Uma Pedagogia da Participação Popular: análise da prática educativa do MEB – Movimento de Educação de Base (1961-1966). Campinas, SP: Autores Associados, 2006. (Coleção Educação Contemporânea).

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

FREIRE, Paulo. A importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados, Cortez, 1989.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, Paulo; NOGUEIRA, Adriano. Teoria e Prática em Educação Popular. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

GERMANO, José Wellington. As quarenta horas de Angicos. Educação e Sociedade, Campinas, v. 18, ano XVIII, n. 59, p. 389-393, ago. 1997. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/es/v18n59/18n59a08.pdf. Acesso em: 12 jul. 2023.

GRAMSCI, Antonio. Cuaderni del Carcere. Torino: Ed. Einaudi, 1975.

LYRA, Carlos. As quarenta horas de Angicos: Uma experiência pioneira de educação. São Paulo, Cortez, 1996.

NEUMANN, Zilda Arns. Nós somos a Pastoral da Criança: nossa história e organização. Brasília: Pastoral da Criança, 1996.

NEUMANN, Zilda Arns. Pastoral da Criança: uma experiência consagrada. Cadernos Adenauer: Fé, Vida e Participação, São Paulo, v. 9, s/n, 2000, p. 83-98.

NEUMANN, Zilda Arns. Depoimento. Zilda Arns Neumann: ela criou uma rede de solidariedade que salvava centenas de milhares de crianças brasileiras. Belo Horizonte: Ed. Leitura, 2003. 135 p.

NEUMANN, Zilda Arns. Os voluntários são as pessoas mais importantes do Brasil. Governo de São Paulo, 2010. Disponível em: www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/artigo-publicado-por-zilda-arns-na-revista-saude-sao-paulo. Acesso em: 05 jan. 2023.

ORLANDO, Evelyn de Almeida. Mulheres intelectuais: onde elas estão em nossa História? In: ORLANDO, Evelyn de Almeida; MESQUIDA, Peri. (org.) Intelectuais e Educação: contribuições teóricas à História da Educação. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2021.

OTTO, Claricia. Missionárias brasileiras em Angola: educação popular, memória e experiência. Revista Educação Popular, Uberlândia, Edição Especial, p. 294-307, set. 2021. Disponível em: seer.ufu.br/index.php/reveducpop/issue/view/2191. Acesso em: 10 jan. 2023.

OTTO, Claricia; RODRIGUES, Fabiano Batista. Prática Social Educativa em Zilda Arns: pela memória, contra o esquecimento. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 22, p. 9, 2020.

PARANÁ. Ministério Público. Procuradoria Geral do Estado. Terceiro Setor, 2023. Disponível em: https://site.mppr.mp.br/civel/Pagina/Terceiro-Setor-Perguntas-frequentes. Acesso em: 13 ago. 2023.

PASTORAL DA CRIANÇA. Crianças são sementes de paz e esperança, disse Zilda Arns em seu último discurso. 2010. Disponível em: www.pastoraldacrianca.org.br/videos-sobre-o-falecimento-da-dra-zilda/446-criancas-sao-sementes-de-paz-e-esperanca-disse-zilda-arns-em-seu-ultimo-discurso. Acesso em: 05 jan. 2023.

PREISWERK, Matthias. Educação popular e teologia da libertação. Petrópolis: Vozes, 1997. 416 p.

RODRIGUES, Ernesto. Zilda Arns: Uma biografia. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2018.

SAPIRO, Gisèle. Modelos de Intervenção Política dos Intelectuais: o caso francês. Revista Pós Ciências Sociais, v. 9 n. 17, p. 19-50, 2012. Disponível em: periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/990. Acesso em: 05 jan. 2023.

WANDERLEY, Luiz Eduardo. Educar para transformar: educação popular, igreja católica e política no Movimento de Educação de Base. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

Publicado

26/02/2024

Como Citar

THOMÉ, A.; ORLANDO, E. de A.; MESQUIDA, P. Zilda Arns, uma intelectual militante e sua relação com a Educação Popular e a Pastoral da Criança . Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 19, n. 00, p. e024023, 2024. DOI: 10.21723/riaee.v19i00.19072. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/19072. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos