Jogos matemáticos e mediação docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n3.2017.10285

Palavras-chave:

Jogos. Adição e subtração. Mediação.

Resumo

O artigo trata de ações de ensino planejadas intencionalmente com o uso de jogos como Situação Desencadeadora de Aprendizagem visando a internalização de conhecimentos teóricos por meio da ação e reflexão decorrentes da mediação docente. Os participantes foram 8 crianças do 2º ano do Ensino Fundamental, selecionadas pela professora da turma. O procedimento investigativo tomou como referência o uso de uma Atividade Orientadora de Ensino (AOE), por meio de Situações Desencadeadoras de Aprendizagem (SDAs), verificando se o jogo, quando utilizado sob a abordagem histórico-cultural, desencadeia a aprendizagem de alguns conceitos inerentes às operações de adição e subtração. Para tanto, utilizaram-se os jogos CUBRA A SOMA e FECHE A CAIXA. O estudo consistiu em cinco Atividades de Ensino com cada jogo. Os resultados indicaram que as mediações, associadas à motivação das crianças, durante a Atividade Orientadora de Ensino (AOE), podem proporcionar o desenvolvimento das funções psíquicas superiores.

Referências

ASSIS, O. Z. M. et al. Jogar e aprender matemática. São Paulo: LP-Books, 2012.

GIARDINETTO, J. R. B.; MARIANI, J.M. O lúdico no ensino da matemática na perspectiva Vigotskiana do desenvolvimento infantil. In: ARCE, A.; MARTINS, L. M. (Orgs.). Quem tem medo de ensinar na educação infantil? Em defesa do ato de ensinar. Campinas-SP: Alínea, 2007.

KISHIMOTO, T. M. (Org.). Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. 4 ed. São Paulo: Editora Cortez, 2000.

LÁZARO, C. A.; TANAKA, G. C.; RODRIGUES, T. M. Jogos no Ensino de Matemática: experiências com o – fecha a caixa. Repositório Institucional UNESP, Bauru, Departamento de Matemática, Faculdade de Ciências, 2013. Disponível em:

http://repositorio.unesp.br/handle/11449/135151. Acesso em: 12 fev. 2015.

LURIA. Desenvolvimento cognitivo: seus fundamentos culturais e sociais. Tradução de Luiz Mena Barreto e Marta Kohl Oliveira. São Paulo: Ícone, 1994.

MORETTI, V. D.; SOUZA, N. M. M. Educação matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: Princípios e práticas pedagógicas. 1. ed., São Paulo: Cortez, 2015.

MOURA, M. O. de. O jogo e a construção do conhecimento matemático. Ideias, São Paulo, n. 10, p. 45-53, 1991.

MOURA, M. O. et al. A atividade orientadora de ensino como unidade entre ensino e aprendizagem. In: MOURA, M. O. (Org.). A atividade pedagógica na teoria histórico cultural. Brasília: Liber Livro, 2010, p.81-109.

NACANALLO, L. F.; MORI, N. N. R. Jogos em matemática: uma possibilidade de desenvolvimento de funções psicológicas superiores. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA, 2008, Londrina. Anais... Londrina, 2008. Disponível em: www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2008/pdf/c025.pdf. Acesso em: 06 set. 2015.

NUNES, T. et al. Educação matemática: números e operações numéricas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

PONTE, J. P. Estudos de caso em Educação Matemática. Bolema, n. 25, p. 105-132, 2006. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/3007/1/06-Ponte%28BOLEMAEstudo%20de%20caso%29.pdf. Acesso em: 30 ago. 2015.

VIGOTSKY, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo

Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

Downloads

Publicado

01/09/2017

Como Citar

Pereira, P. (2017). Jogos matemáticos e mediação docente. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 1484–1498. https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n3.2017.10285

Edição

Seção

Artigos