Youtubers: potencial de contribuição na educação sexual

Ronielisson Loiola de Jesus Tavares, Fabiana Elias de Mesquita

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apontar a viabilidade de youtubers atuarem como educadores sexuais e contribuírem na disseminação de informações em relação aos direitos sexuais e reprodutivos. A literatura vem destacando o potencial de engajamento por parte de seus seguidores em diversos comportamentos, principalmente de consumo. A mídia e estes profissionais já educam sexualmente, de maneira não formal, seu público, por meio de suas ações, temas aposentados e opiniões. Este ensaio, de natureza teórica, traz a contextualização social, exibindo ascendências e conexões deste fenômeno, através de referenciais teóricos que coadunam teorias educomunicativas, da psicanálise e teoria cognitivo-comportamental.


Palavras-chave


Educomunicação; Youtuber; Educação sexual; Prevenção a violência sexual.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, P. P. Sexualidade e deficiência intelectual: Um curso de capacitação para pais. Psicologia Argumento, [S.l.], v. 29, n. 64, jan.- mar. 2017. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/20389/19653. Acesso em: 04 maio 2020.

ANDREWS, G. et al. Child sexual abuse In: EZZATI, Majid et al. (eds.) Comparative Quantification of Health Risks: Global and Regional Burden of Disease Attributable to Selected Major Risk Factors. Vol. 2. Geneva, Switzerland: World Health Organization, p. 1851-1940, 2004.

AVÓS DA RAZÃO. Apresentação das avós da razão. Disponível em: https://www.youtube.com/channel/UCPaLH-5sjIoxe6Cm1llYtjA. Acesso em: 04 maio 2020.

BANDURA, A. Social foundations of thought and action: a social cognitive theory. Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall. 1986.

BANDURA, A. A evolução da teoria social cognitiva. In: BANDURA, Albert; AZZI, Roberta Gurgel; POLYDORO, Suely. (org). Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, p. 15-41, 2008.

BERG, M. Os yotubers mais bem pagos de 2019. Forbes, Brasil, 26 dez, 2019. Disponível em: https://forbes.com.br/listas/2019/12/os-youtubers-mais-bem-pagos-de-2019/. Acesso em: 25 abr. 2020.

BRANCALEONI, A. P. L.; OLIVEIRA, R. R. De. Silêncio! Não desperte os inocentes: sexualidade, gênero e educação sexual a partir da concepção de educadores. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, [s. l.], v. 10, n. n. esp. 2, p. 1445–1462, 2015.

BRASIL. Secretaria de Vigilância em saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Pesquisa de conhecimento, atitudes e práticas na população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 166p., 2016.

BRASIL. Secretaria de Vigilância em saúde. Boletim Epidemiológico. Análise epidemiológica da violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil, 2011 a 2017. Brasília: v. 49, n. 27, 17p., jun. 2018. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/images/pdf/2018/junho/25/2018-024.pdf. Acesso em: 04 out. 2018.

CARNEIRO, R. U. C.; COSTA, M. C. B. Tecnologia e deficiência intelectual: práticas pedagógicas para inclusão digital. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [s. l.], v. 21, n. n. esp. 1, p. 706–719, 2017. DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp1.out.2017.10449. Acesso em: 13 maio 2020.

CECARELLO, C. Mídia e sexualidade: benefícios ou malefícios? In: DESIDÉRIO, R. Sexualidade, educação e mídias: novos olhares, novas práticas. Londrina: EDUEL, p. 171-179, 2016.

CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO – Cetic.br. Pesquisa sobre o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil : TIC kids online Brasil/Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, [editor]. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2018. Disponível em: https://www.cetic.br/pesquisa/kids-online/publicacoes/. Acesso em: 10 dez. 2019.

COSTA, A. E. B. Modelação In: BANDURA, Albert; AZZI, Roberta Gurgel; POLYDORO, Suely. (org). Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, p. 123-148, 2008.

COSTA, L. ‘Desafio da rasteira’: o youtuber por trás da perigosa brincadeira. Veja. São Paulo, 12 fev. 2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/blog/virou-viral/desafio-da-rasteira-o-youtuber-por-tras-da-perigosa-brincadeira/. Acesso em: 17 fev. 2020.

COUTO, D. P. Freud, Klein, Lacan e a constituição do sujeito. Revista Psicologia em Pesquisa, v. 11, n. 1, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/psicologiaempesquisa/article/view/23388. Acesso em: 08 maio 2020.

ESTADO DE MINAS. Menina morre ao cair e bater a cabeça durante 'desafio' na escola; veja vídeo. Estado de Minas, Belo Hozironte, 12 fev. 2020. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2020/02/11/interna_nacional,1121078/menina-morre-ao-cair-e-bater-a-cabeca-durante-desafio-na-escola-vej.shtml. Acesso em: 15 fev. 2020.

FRUGOLI, A.; JÚNIOR, C. A O. M. A sexualidade na terceira idade na percepção de um grupo de idosas e indicações para a educação sexual. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 15, n. 1, 2011. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR. DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v15i1.2011.3696. Acesso em 1 maio 2020.

FURLANI, J. Educação sexual: possibilidades didáticas. In: LOURO, Guacira Lopes; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vildore (orgs). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 67-82, 2013

GUEDES, W.; VIEIRA, P.; CALAZANS, F. Olá, pessoal, bem-vindos ao meu canal: Youtubers Mirins e a subjetivação da criança na contemporaneidade. In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2017. 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Curitiba: 2017. Disponível em: http://www.intercom.org.br/sis/eventos/2017/resumos/R12-2704-1.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE GEOGRAFIA E ESTATTÍSTÍCA. Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua. Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2017.2018. 12 p. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/condicoes-de-vida-desigualdade-e-pobreza/17270-pnad-continua.html?edicao=23205&t=publicacoes. Acesso em: 20 dez 2019.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: conceitos e práticas em discussão. In: XI Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e Relações Públicas), 2017, Belo Horizonte. Anais do XI Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e Relações Públicas. Abrapcorp, 2017. Disponível em: https://editora.pucrs.br/acessolivre/anais/abrapcorp/assets/edicoes/2017/arquivos/15.pdf. Acesso em: 05 out 2018.

KLEINA, N. A história do YouTube, a maior plataforma de vídeos do mundo. Tecmundo, 12 jul. 2017. Disponível em: https://www.tecmundo.com.br/youtube/118500-historia-youtube-maior-plataforma-videos-do-mundo-video.htm. Acesso em: 20 mar. 2020.

L’OFFICIEL. Aos 97 anos, Iris Apfel agora é da mesma agência de Gisele Bündchen. L’OFFICIEL, 31 jan. 2019. Disponível em: https://www.revistalofficiel.com.br/pop-culture/aos-97-anos-iris-apfel-agora-e-da-mesma-agencia-de-gisele-bundchen. Acesso em: 01 maio 2020.

LEMES, S. S.; MAIA, A. C. B.; REIS-YAMAUTI, V. L. Educação sexual na modalidade ead: um estudo exploratório. Revista on line de Política e Gestão Educacional, n. 18, p. 106–114, 2015. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9378/6229. Acesso em: 10 maio 2020

MAIA, A. C. B. Orientação sexual na escola: In: RIBEIRO, P. R. M. (Org.). Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, p. 153-179, 2004.

MAIA, A. C. B.; RIBEIRO, P. R. M. Educação sexual: princípios para ação. Doxa: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 75-84, 2011.

MAIA, A. C. B. et al. Educação sexual para pessoas com deficiência física. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 10, n. 1, p. 215-224, 2015. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v10i1.7775. Acesso em: 13 maio 2020.

MARQUES, P. C. P.; BORGES, J. J. S. Educomunicação: origens e conexões de uma nova área de conhecimento. In: Terceiro Congresso Nacional de Educação, Bahia. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD1_SA19_ID9 436_16082016200111.pdf. Acesso em: 08 maio 2020.

MONTEIRO, S. A. S.; STORTO, J. L. Educação infantil: uma reflexão plural da história e da sexualidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, [s. l.], v. 14, n. 1, p. 1982–5587, 2019. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.11865. Acesso em: 12 maio 2020.

MOTA, B. S..; BITTENCOURT, M.; VIANA, P. M. F. A influência de Youtubers no processo de decisão dos espectadores: uma análise no segmento de beleza, games e ideologia. E-Compós. Brasília, v. 17 n. 3 set-dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.30962/ec.1013. Acesso em: 01 out. 2018.

ONU. Organização das Nações Unidas. Relatório da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento. Cairo, 1994. Disponível em: http://www.unfpa.org.br/Arquivos/relatorio-cairo.pdf. Acesso em: 15 jan. 2020.

PACHECO, R. V.; MELO, S. M. M. A influência de filmes da barbie sobre a educação sexual das crianças: na busca da compreensão de professoras sobre o tema. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 9, n. 3, p. 656–667, 2015. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.6437. Acesso em: 12 maio 2020.

PRIOSTE, C. O adolescente e a internet: laços e embaraços no mundo virtual. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Fapesp, 2016.

REUTERS. Homem que inspirou desafio do balde com gelo morre após batalha contra ELA. Reuters. 12 dez. 2019. Disponível em: https://exame.abril.com.br/mundo/homem-que-inspirou-desafio-do-balde-com-gelo-morre-apos-batalha-contra-ela/. Acesso em: 20 fev. 2020.

RIBEIRO, P. R. M. Educação sexual para além da informação. São Paulo: EPU,1990.

SANTOS, I. P. A formação de professores na perspectiva da educomunicação. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 21, n. esp. 1, p. 640–648, 2017. DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp1.out.2017.10031 Acesso em: 10 maio 2020

SILVA, M. C. G.;SANTOS, L. S. Aprendendo a ser menina: publicidade infantil, gênero, e identidade em Youtuber mirim. Revista Educação, Psicologia e Interfaces, v. 3, n. Dossiê Inclusão e Diversidade, p. 52-66, 2019. DOI: https://doi.org/10.37444/issn-2594-5343.v3i4.176. Acesso em: 14 abr. 2020

SOUZA, C. J.; DENARI, F. E.; COSTA, M. P. R. O discurso das pessoas com deficiência física sobre a própria sexualidade. Revista ibero-americana de estudos em educação, [s. l.], v. 12, n. 4, p. 2177–2192, 2017.

SPAZIANI, R. B.; MAIA, A. C. B. Educação para a sexualidade e prevenção da violência sexual na infância: concepções de professoras. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 32, n. 97, p. 61-71, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862015000100007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 03 maio 2020.

WESTENBERG, W. The influence of YouTubers on teenagers – An overview of the influence Dutch YouTubers have on their teenage viewers and to what extent this influence is good or bad. University of Twente, The Netherlands, 2016.

YOUTUBE. Youtube para imprensa. Estados Unidos, 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/intl/pt-BR/yt/about/press/. Acesso em: 15 fev. 2020.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v24i2.13692



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.