Formação contínua de professores na educação infantil

Estratégia política de desenvolvimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.15371

Palavras-chave:

Formação contínua, Educação infantil, Intervenções educativas, Teoria histórico-cultural

Resumo

Neste artigo, divulgamos experiências exitosas de Formação Contínua de Professores na Educação Infantil, realizadas em municípios do Estado do Paraná entre 2002 a 2019, evidenciando as contribuições da Teoria Histórico-Cultural de Vigotski (1896-1934) e colaboradores, fundamentada no Materialismo Histórico-Dialético, como referencial teórico-metodológico capaz de nortear estudos e reflexões acerca do conteúdo. Ações intencionais e práticas sistematizadas com temas da Literatura Infantil e da Arte, configuram-se estratégias para o aprimoramento contínuo de docentes e crianças, respondendo, assim, aos desafios da Educação Infantil atual visando o desenvolvimento integral de alunos, com uma Educação Infantil de excelência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eloiza Elena da Silva Martinucci, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Docente. Grupo/CNPQ: Grupo de Pesquisa e Estudos em Educação Infantil Inclusiva (GEEII). Doutorado em Educação (UEM). 

Marta Chaves, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Professora associada do Departamento de Teoria e Prática da Educação. Líder Grupo de Pesquisa e Estudos em Educação Infantil Inclusiva (GEEII). Pós-Doutorado junto ao Departamento de Psicologia da Educação (UNESP/FCLAr).

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 jan. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 02 out. 2019.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional da Educação e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2001. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 2 jan. 2021.

BRASIL. Lei n. 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece a lei de diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providencias. Brasília, DF: Presidência da República, 2013. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm. Acesso em: 12 jan. 2021.

BRASIL. Lei n. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece a lei de diretrizes e bases da educação nacional, para [...]. Brasília, DF: Presidência da República, 2017. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 20 out. 2021.

CHAVES, M. O papel dos Estados Unidos e da UNESCO na formulação e implementação da proposta pedagógica no estado do Paraná na década de 1960: O caso da educação no jardim de infância. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008. Disponível em: http://www.ppge.ufpr.br/teses/D08_chaves.pdf. Acesso em: 25 jun. 2021.

CHAVES, M. Enlaces da teoria histórico-cultural com a literatura infantil. In: CHAVES, M. (org.). Práticas pedagógicas e literatura infantil. Maringá, PR: EDUEM, 2011.

CHAVES, M. Formação contínua e práticas educativas: Possibilidades humanizadoras. In: CACÃO, M. I.; MELLO, S. A.; SILVA, V. P. (org.). Educação e desenvolvimento humano: Contribuições da abordagem histórico-cultural para a educação escolar. Jundiaí: Paço Editorial, 2014.

CHAVES, M.; LIMA, E. A.; FERRAREZE, S. (org.). Teoria Histórico-Cultural e formação de professores: Estudos e intervenções pedagógicas humanizadoras. Maringá, PR: Programa Interdisciplinar de Estudos de Populações. Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-História, UEM, 2012.

CHAVES, M.; TEIXEIRA, A. P.; FAUSTINO, R. C. (org.). Professores repensando a prática pedagógica: Propostas, objetivos e conquistas coletivas. Maringá: Programa Interdisciplinar de Estudos de Populações. Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-História, UEM, 2008.

CHAVES, M.; FAUSTINO, R. C. (org.). Estudos e práticas educativas para educação infantil: Desafios e conquistas de professores e crianças. Maringá: Programa Interdisciplinar de Estudos de Populações. Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-História, UEM, 2007.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. 1. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. RBE: Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 37, p. 57-70, jan./abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.

LIBÂNEO, J. C. A didática e a aprendizagem do pensar e do aprender: A Teoria Histórico-cultural da Atividade e a contribuição de Vasili Davydov. Revista Brasileira de Educação, v. 27, p. 5-24, set./dez. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/ZMN47bVm3XNDsJKyJvVqttx/abstract/?lang=pt. Acesso em: 11 maio 2021.

MORAES, M. C. M. Recuo da teoria: Dilemas na pesquisa em educação. Revista Portuguesa de Educação, v. 14, n. 1, p. 07-25, 2001. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/374/37414102.pdf. Acesso em: 13 abr. 2021.

MOURA, D. C. R. Teoria Histórico-Cultural e Educação Infantil: A experiência de formação contínua no município de Telêmaco Borba – Paraná. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2018. Disponível em: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/5850. Acesso em: 24 abr. 2021.

LAMPEDUSA, G. T. D. O leopardo. Tradução: Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução: Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

VIGOTSKI, L. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução: Maria da Pena Villalobos. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010.

Publicado

30/09/2022

Como Citar

MARTINUCCI, E. E. da S.; CHAVES, M. Formação contínua de professores na educação infantil: Estratégia política de desenvolvimento. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022130, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.15371. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15371. Acesso em: 4 dez. 2022.