Dealing with anxiety

Discursos sobre a ansiedade num livro didático de língua inglesa do novo ensino médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26iesp.4.17123

Palavras-chave:

Discurso, Ansiedade, Livro didático, Ensino de língua inglesa

Resumo

O objetivo deste estudo consiste em analisar discursos acerca da ansiedade num livro didático de Língua Inglesa do novo ensino médio. O aparato teórico que norteia as reflexões ancora-se nos apontamentos de Michel Foucault, especialmente os conceitos de discurso, enunciado, prática discursiva, verdade, modos de objetivação e de subjetivação, bem como de autores que discutem a problemática do transtorno de ansiedade, tais como o DSM-V (2014). O corpus de análise é formado por um livro didático de Língua Inglesa do ensino médio, English vibes for Brazilian learnes mais especificamente a unidade denominada Dealing with anxiety, cujo foco reside em partir da temática da ansiedade, especialmente entre os jovens, para trabalhar as habilidades do ensino de língua inglesa como língua estrangeira. Metodologicamente, este trabalho é caracterizado como uma pesquisa documental, de natureza qualitativa. As análises denotam que a seleção da ansiedade como um tema para uma unidade do material didático estudado está sensivelmente articulada com a amplitude desse problema em escala mundial. Ademais, foi possível constatar que a posição que enuncia no livro didático, além de trazer materialidades discursivas marcadas pela ênfase na informação acerca da ansiedade, encentram tecnologias de si, por meio das quais o sujeito discente pode subjetivar-se.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thâmara Soares de Moura, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Mossoró – RN – Brasil

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL).

Alberto Assis Magalhães , Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró – RN – Brasil

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino (POSENSINO).

Francisco Vieira da Silva, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró – RN – Brasil

Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (POSENSINO). Doutorado em Lingüística (UFPB).

Referências

BARACUHY, R.; PEREIRA, T. A. A biopolítica dos corpos na sociedade de controle. Gragoatá, v. 18, n. 34, p. 317-330, 2013. Disponível em: https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/32974. Acesso em: 17 jun. 2021.

BARROS, J. P. P. Biopolítica e educação: Relações a partir das discursividades sobre saúde na escola. Educação & Realidade, v. 38, n. 1, p. 361-381, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/3WCP4BHwpMchJDdRbsVfryg/?lang=pt. Acesso em: 09 mar. 2021.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: RABINOW, P.; DREYFUS, H. L. Foucault: Uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. Tradução: Vera Porto Carrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 19. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: A vontade de saber. Tradução: Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 8. ed. Tradução: Luiz Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2020.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 11. ed. Tradução: Roberto Machado. São Paulo: Paz e Terra, 2021.

FRANCO, C. P.; TAVARES, K. C. A. T. English vibes for Brazilian learners. 1. ed. São Paulo: FTD, 2020.

GERMAIN, F.; MARCOTTE, D. Sintomas de depressão e ansiedade na transição do ensino secundário ao ensino médio: Evolução e fatores influentes. Adolescência e Saúde, v. 13, p. 19-28, jan./mar. 2016. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/adolescenciaesaude.com/pdf/v13n1a03.pdf. Acesso em: 18 jul. 2020.

HARDT, M.; NEGRI, A. Produção biopolítica. In: NEGRI, A.; HARDT, M. Império. Tradução: Berilo Vargas. Rio de Janeiro: Record, 2001.

MARTINHAGO, F.; ROMANÍ, O. Risco, biopolítica e governamentalidade: tecnologias de controle social. Gavagai, Erechim, v. 6, n. 2, p. 56-71, 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/343474302_Risco_Biopolitica_e_Governamentalidade_Tecnologias_de_Controle_Social. Acesso em: 09 jun. 2021.

NUNES-VALENTE, M.; MONTEIRO, A. P. Inteligência emocional em contexto escolar. Revista Eletrónica de Educação e Psicologia, v. 7, p. 1-11, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/315037489_Inteligencia_Emocional_em_Contexto_Escolar. Acesso em: 10 maio 2021.

PORTO ALEGRE. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-V. 2014. Tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento. Porto Alegre: Artmed, 2014. Disponível em: https://dislex.co.pt/images/pdfs/DSM_V.pdf. Acesso em: 09 set. 2018.

OMS. Atlas: Child and adolescent mental health resources: Global concerns: implications for the future. OMS, 2005. Disponível em: https://apps. who.int/iris/handle/10665/43307. Acesso em: 15 jul. 2019.

Publicado

01/09/2022

Como Citar

MOURA, T. S. de; MAGALHÃES , A. A.; SILVA, F. V. da. Dealing with anxiety: Discursos sobre a ansiedade num livro didático de língua inglesa do novo ensino médio. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. esp.4, p. e022109, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26iesp.4.17123. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/17123. Acesso em: 28 set. 2023.