Inclusão no ensino superior: um processo em pauta na Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

Cassiano Caon Amorim, Katiuscia C. Vargas Antunes, Mylene Cristina Santiago

Resumo


O artigo aqui apresentado tem como proposta relatar e refletir sobre como os processos de inclusão vêm sendo construídos na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Entre as iniciativas que a UFJF tem priorizado, destacaremos a criação do Núcleo de Apoio à Inclusão (NAI) e, mais pontualmente, a criação de uma modalidade de bolsa de treinamento profissional (TP) voltada para o assessoramento ao NAI e o acompanhamento acadêmico dos estudantes com deficiência. Tal projeto tem nos trazido muitos desafios e, ao mesmo tempo, revelado o quanto é importante que os estudantes que não possuem deficiência se vejam como promotores de ações inclusivas e, com os estudantes com deficiência, construam uma universidade mais inclusiva para todos. Para demonstrar o que acabamos de afirmar, utilizaremos alguns trechos das cartas de intenção que os estudantes escreveram para concorrer às bolsas como elementos discursivos importantes para ilustrar a relevância da necessidade de ampliar as práticas inclusivas no interior das universidades e outras instituições de ensino. Os textos dos estudantes revelam aspectos essenciais sobre diferentes nuances da inclusão. Os resultados desta análise apontam que a UFJF, por meio do NAI, vem construindo uma experiência com potencial para desencadear culturas, políticas e práticas de inclusão na comunidade acadêmica, tendo os estudantes como principais protagonistas.


Palavras-chave


Inclusão educacional; Ensino Superior; Treinamento profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


BOOTH, T; AINSCOW, M. Index para inclusão: desenvolvendo a aprendizagem e a participação na escola. Tradução Mônica Pereira dos Santos, PHD. 3. ed. Rio de Janeiro: LaPEADE, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. MEC; SEEP; 2008.

CABRAL, L. S. A. Políticas de ações afirmativas, pessoas com deficiência e o reconhecimento das identidades e diferenças no ensino superior brasileiro. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 26, n. 57, abr. 2018.

______; MELO, F. R. L. V. Entre a normatização e a legitimação do acesso, participação e formação do público-alvo da educação especial em instituições de ensino superior brasileiras. Educar em Revista, Curitiba, v. 33, número especial, p. 55-70, dez. 2017.

MATOLA, Paulo Ulisses. O desenvolvimento de competências profissionais em projetos de treinamento profissional do Centro de Biologia da Reprodução da Universidade Federal de Juiz de Fora como contribuição para a formação do graduando. 2015. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública (PPGP), Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015.

MELO, S. L.; BORGES, L. O. A transição da universidade ao mercado de trabalho na ótica do jovem. Psicologia, Ciência e Profissão, v. 27, n. 3, p. 376-395, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932007000300002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 14 maio 2019.

UFJF. Diretoria de Ações Afirmativas. Disponível em: https://www.ufjf.br/diaaf/. Acesso em: 16 maio 2019.

ZABALZA, M. A. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2007.




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v21i2.13104

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.