Educação, diversidade num mundo de pós-verdade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v21i1.13200

Palavras-chave:

Educação escolar, Diversidade humana, Pós-Verdade.

Resumo

Vive-se a era da pós-verdade, cujo conceituação é de grande complexidade, pois a “pós-verdade” não se constitui apenas numa mentira, ou meia verdade, ou convicção. A verdade é um efeito discursivo. Esse fenômeno implica na maioria dos casos na prevalência de uma “verdade” sustentada por um raciocínio axiológico e patêmico. Estudar e problematizar a pós-verdade dentro do campo educacional se faz urgente, em especial, quando um dos deveres da escola são o acolhimento e a compreensão da diversidade humana. Assentados nos estudos de autores como Foucault, Angenot, Emediato, Boudon, partimos da premissa que a pós-verdade acentua-se na sociedade brasileira causando a indisponibilidade ao diálogo, assim, a maior parte das pessoas tendem a tratar as informações como verdadeiras só àquelas que confirmem suas crenças em detrimento daquelas que as invalidam. Cabe a todos sabermos problematizar o caráter retórico da percepção da pós-verdade, olhando para suas derivas, suas dispersões, no sentido de compreendermos como lidamos com aquilo que lemos, vemos, sentimos e agimos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Regina Momesso, Universidade Estadual Paulista

Docente - Faculdades Integradas de Bauru, docente ensino médio - Colégio Técnico Industrial ´Isaac Portal Roldan´ - FC/UNESP - Bauru, docente permanente e pesquisadora da Universidade Estadual Paulista Campus Araraquara e docente/ pesquisadora ppg educação escolar da Universidade Estadual Paulista Campus Araraquara. Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Análise de Discurso, atuando principalmente nos seguintes temas: analise de discurso, discurso, identidade, práticas discursivas e cibermídia.

Solange Aparecida de Souza Monteiro, Instituto Federal de São Paulo

Pedagoga no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), Araraquara – SP – Brasil. Mestra em Processos de Ensino, Aprendizagem e Inovação.

Referências

BALLOUSSIER, A. Bancada evangélica celebra retirada de questão de gênero de base curricular. Disponível em: . Acesso em: nov. 2019.

BOUDON, R. Crer e saber: pensar o político, o moral e o religioso. Tradução Fernando Santos. São Paulo: Ed. Unesp, 2017

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (1ª versão). Brasília, DF, 2015. 302p.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (2ª versão). Brasília, DF, 2016. 652p. BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (3ª versão - abril de 2017). Brasília, DF, 2017a. 396p.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (3ª versão revista - dezembro de 2017). Brasília, DF, 2017b. 472p.

DERRIDA, J. A Farmácia de Platão. Trad. Rogério Costa. São Paulo: Iluminuras, 1991.

EMEDIATO, W. Dimensões e face da mentira no discurso político. In: EMEDIATO, Wander (Org.). Análises do Discurso Político. Belo Horizonte: NDA/FALE, 2016.

FEITOSA, C. Pós-verdade e política. Revista Cult. 19 jul. 2017. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2019.

FOUCAULT, M. A coragem da verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

FOUCAULT, M. A arqueologia do Saber. 7ª Ed. RJ: Forense Universitária, 2005, p.55

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Tradução Roberto de Melo Machado e Eduardo Jardim Moraes et al. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2002.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade. (E. Brandão, Trad.). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GOMES, N. L. Educação e Diversidade Cultural: refletindo sobre as diferentes presenças na escola. Disponível em: http://www.mulheresnegras.org. Acesso em: 18 nov. 2019.

HANCOCK, J. Dicionário Oxford dedica sua palavra do ano, ‘pós-verdade’, a Trump e Brexit. In: EL PAÍS Internacional. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/11/16/internacional/1479308638_931299.html. Acesso em: 16 nov. 2019.

JOÃO, S. In: BIBLÍA CATÓLICA ONLINE. São João, 1-14. Disponível em https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria-vs-vulgata-latina/sao-joao/1/. Acesso em: 16/nov/2019.

PALMA, Y. A. et al. Parâmetros Curriculares Nacionais: um estudo sobre orientação sexual, gênero e escola no Brasil. Trends in Psychology/Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 23, n. 3, p. 727-738, 2015.

PLATÃO. Diálogos. Trad. Carlos Alberto Nunes. Belém: UFPA, 2003.

TOSI, G. Verbete Igualdade. In: BARRETO, V. P; CULLETON, A. (org.). Dicionário de Filosofia Política. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2010, p. 267

Downloads

Publicado

01/02/2019

Como Citar

MOMESSO, M. R.; MONTEIRO, S. A. de S. Educação, diversidade num mundo de pós-verdade. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 21, n. 1, p. 170–181, 2019. DOI: 10.30715/doxa.v21i1.13200. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/13200. Acesso em: 4 fev. 2023.