Formação do professor-pesquisador: a importância da fundamentação epistemológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.10892

Palavras-chave:

Epistemologia e educação, Paradigmas epistemológicos, Formação de professores-pesquisadores.

Resumo

O artigo analisa a formação do professor-pesquisador e a importância do enfoque epistemológico neste processo. A base de discussão é a proposta do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), Área de Concentração em Educação Sociocomunitária, do Centro Universitário Salesiano de São Paulo – UNISAL (CAPES Conceito 4). Os autores de base são Silvio Sánchez Gamboa, com o Esquema Paradigmático, Fernando Becker, com a Epistemologia do Professor, e a proposta teórica e metodológica do próprio PPGE - UNISAL. Parte-se também de estudo já realizado por Kirsch e Soffner (2015) que analisou o paradigma epistemológico aplicado às dissertações produzidas pelo PPGE – UNISAL no período de 2005 a 2012. O aporte teórico discute a formação do professor para o ensino, dentro das epistemologias do empirismo, apriorismo e interacionismo (BECKER, 1992, 2003, 2012), e para a pesquisa, nas concepções epistemológicas do Empírico-analítico, Fenomenológico e Crítico (GAMBOA, 1996, 2009, 2012).

Biografia do Autor

Renato Kraide Soffner, Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), Americana – SP – Brasil.

Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), Americana – SP – Brasil. Doutor em Educação. Pesquisador Programa de Mestrado em Educação. E-mail: renato.soffner@am.unisal.br

Deise Becker Kirsch, Instituto Federal do Paraná (IFPR), Londrina – PR – Brasil.

Professora do Instituto Federal do Paraná (IFPR), Londrina – PR – Brasil. Doutora em Educação. Professora do Campus Londrina. E-mail: deisekirsch@yahoo.com.br

Referências

ANDRÉ, M. E. D. Pesquisa, formação e prática docente. In. ANDRÉ, Marli. (org.) O pa-pel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 5 ed. Campinas: Papirus, 2006, p.55-69.

BECKER, F. A epistemologia do professor. Porto Alegre: ArtMed, 1992.

BECKER, F. A origem do conhecimento e a aprendizagem escolar. Porto Alegre: Ar-tmed, 2003.

BECKER, F. Educação e construção do conhecimento. 2 ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino-aprendizagem. 9 ed. Pe-trópolis: Vozes, 1986.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitati-va. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1998.

DEMO, P. Educação científica. Boletim Técnico do Senac: Revista de Educação Profissi-onal, Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 15-25, jan./abr., 2010.

DEWEY, J. Experiencia y educacion. 7 ed. Buenos Aires: Editorial Losada, 1960.

FAZENDA, I. A pesquisa como instrumentalização da prática pedagógica. In: FAZENDA, I. (Org.) Novos enfoques da pesquisa educacional. 3 ed. São Paulo: Cortez, 1999. p.75-84.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1997.

GAMBOA, S. S. Epistemologia da pesquisa em educação. Campinas: Praxis, 1996.

GAMBOA, S. S. (org.). 7. ed. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. São Paulo: Cortez, 2009.

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. 2. ed. Chapecó: Ar-gos, 2012.

KIRSCH, D. B.; SOFFNER, R. K. Formação do professor pesquisador: a importância da fundamentação epistemológica das dissertações. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 10, p. 246-258, 2015.

KIRSCH, D. B. A iniciação científica na formação inicial de professores: repercussões no processo formativo de egressas do Curso de Pedagogia. 2007. 111 f. Dissertação (Mes-trado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

LIRA, M. R. de; SARMENTO, E. C. D. Professor reflexivo: um contributo à epistemolo-gia da prática e à formação docente. Revista Contrapontos, Itajaí, SC, v. 16, n. 3, p. 439-453, set., 2016. ISSN 1984-7114.

LOWMAN, J. Mastering the techniques of teaching. 2 ed. San Francisco: Jossey-Bass, 1995.

LÜDKE, M. O professor seu saber e sua pesquisa. Revista Educação e Sociedade, n. 74, ano XXII, p. 77-96, 2001.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 31 ed. Pe-trópolis: Vozes, 2012.

RIBEIRO JUNIOR, J. O que é positivismo. 10 ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

SCHÖN, D. A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000

SOFFNER, R. K. Concepções tecnológicas e educação: modelagem, complexidade, auto-organização e descentralização. Série-Estudos: Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, Campo Grande, MS, n. 33, p. 91-100, jan./jun., 2012.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2013.

Downloads

Publicado

01/12/2018

Como Citar

SOFFNER, R. K.; KIRSCH, D. B. Formação do professor-pesquisador: a importância da fundamentação epistemológica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, p. 2087–2099, 2018. DOI: 10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.10892. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10892. Acesso em: 27 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos