Inclusão e aprendizagem como imperativos da governamentalidade neoliberal e a criação dos Institutos Federais de Educação no Brasil

Beatris Gattermann, Leandra Boer Possa

Resumo


O presente estudo se insere no campo de investigação das políticas de inclusão na educação profissional e pode ser inscrito entre os estudos que se servem de uma perspectiva pós-estruturalista a partir dos Estudos Foucaultianos, especialmente da noção de governamentalidade, para procedimento e desenvolvimento analítico. Objetivamos identificar, em documentos internacionais, como a adoção da inclusão, na forma de determinação das condições para a educação na atualidade, pode ser explicitada na ordem da governamentalidade neoliberal, construindo as condições para a criação dos Institutos Federais de Educação (IFs). Para tal empreendimento, tomamos como material analítico documentos políticos e de orientação produzidos pelos organismos internacionais entre a década de 1990 e os anos 2000. Com este movimento, percebemos que o investimento na política de expansão da educação profissional no Brasil, com a criação dos IFs, pode se inserir em uma forma de governamento em que sua função, como instituição de Estado, pode ser a de produzir um modo de condução e captura dos jovens e, com isso, assegurar uma perspectiva de inclusão que toma como referência o espaço da instituição como fronteira para classificar, identificar e controlar modos de ser da juventude, determinando modelos de aprender.


Palavras-chave


Inclusão; Governamentalidade; Educação profissional; Institutos Federais de Educação

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


BRASIL. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia: um novo modelo em educação profissional e tecnológica – concepção e diretrizes. Brasília: SETEC – MEC, 2010.

BANCO MUNDIAL. Aprendizagem para Todos: investir nos conhecimentos e competências das pessoas para promover o desenvolvimento. Banco Mundial, 2011.

BID. Estratégias do Banco Interamericano para o Desenvolvimento do Brasil entre os anos 2000 e 2003. Banco Interamericano para o Desenvolvimento, 2000.

ETCHEVERRY, Daniel e JARDIM, Denise. “Entrevista com Aihwa Ong”. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 31, jan./jun. 2009, p. 321-328.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GADELHA, S. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexão a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

LÓPEZ-RUÍZ, O. Os executivos das transnacionais e o espírito de capitalismo: capital humano e empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro: Azougue, 2007.

LYOTARD, J-F. O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988.

NOGUERA-RAMIREZ, C. O Governamento Pedagógico: da sociedade do ensino para a sociedade da aprendizagem. 2009. 266p. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2009.

POSSA, L. B.; NAUJORKS, M. I.. Efeitos da racionalidade neoliberal nos discursos sobre inclusão: o silêncio docente. Revista Educação, Santa Maria, v. 38, n. 2, p. 319-328, 2013.

RECH, T. L. A emergência da inclusão escolar no Governo FHC: movimentos que a tornaram uma verdade que permanece. 2010. 182p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2010.

RECH, T. L. Da escola à empresa educadora: a inclusão como uma estratégia de fluxo-habilidade. 2015. 259p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2015.

SANTOS, Y. B. S. As políticas de educação para a pessoa com deficiência: a proposta dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. 2011. 110p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, 2011.

SAURA, G. Neoliberalismo como discurso. La evaluación en educación entre tecnologías políticas neoliberales y la nueva filantropía. Revista Educação, Sociedade & Culturas. n. 47, 2016, p. 11-30.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtiem: UNESCO, 1990.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.11057



Direitos autorais 2018 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587, ISSN: 2446-8606.

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.