A Educação de Jovens e Adultos na perspectiva da formação humana: desafios no contexto das relações flexíveis de trabalho

Carlos Soares Barbosa

Resumo


Com base no pensamento de Antonio Gramsci, o presente artigo visa a refletir o papel econômico, político e social da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no contexto da flexibilização no Brasil, produto das transformações ocorridas no mundo da produção e do trabalho nas últimas décadas. Para isso, discute a direção ética e política da EJA no contexto da estrutura dual do ensino e da reforma educacional brasileira, ocorrida no governo de Fernando Henrique Cardoso, para em seguida, e contrapondo-se a essa proposta, apresentar a concepção de EJA na perspectiva da formação humana, integral e para além ­­dos interesses do mercado e do capital. Trata-se de reflexões tecidas a partir dos dados da pesquisa realizada em 2017, que contou com a participação de 8 professores e 67 estudantes do 1º e 2º segmentos do Ensino Fundamental de duas escolas pertencentes ao Programa de Educação de Jovens e Adultos da rede municipal do Rio de Janeiro. 


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Acumulação flexível; Formação Humana; Antonio Gramsci.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


ARRIGHI, G. A ilusão do desenvolvimento. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei n. 9394/96 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996. p. 27833.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. In: FRIGOTTO, G. et al. (orgs.) Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

DEL PINO, M. Política educacional, emprego e exclusão social. In: GENTILI; P.; FRIGOTTO, G. A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. 3. ed. - Rio de Janeiro: Cortez [Buenos Aires, Argentina]: CLACSO, 2002.

DELUIZ, N. Projetos em disputa: empresários, trabalhadores, trabalhadores e a formação profissional. Revista Trabalho e Educação, Belo Horizonte, n. 1, p. 113-127, fev./jul., 1997. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/7265/5635. Acesso em: 20 fev. 2016.

FERNANDES, F. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FREIRE, P. Pedagogia da Aautonomia: saberes necessários á prática educativa. 28. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação. Uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3. ed. São Paulo: Editora Moraes, 1980.

FRIGOTTO, G. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a sociedade e a educação. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017.

GENTILI, P. Educar para o desemprego. In: FRIGOTTO, G. (org.). Educação e crise do trabalho: perspectiva de final de século. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

GRAMSCI, A. Os Intelectuais orgânicos e a organização da cultura. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

HARVEY. A condição pós-moderna. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1994.

KUENZER, A. Educação profissional: categorias para uma nova pedagogia do trabalho. Boletim Técnico do SENAC. Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, maio/ago., p. 19-29, 1999.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez, 1991.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, Coleção Os Pensadores, 2. ed. 1978.

POCHMANN, M. Educação e Trabalho: como desenvolver uma relação virtuosa? Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 383-399, maio/ago., 2004.

SCHULTZ, T. Capital humano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SOUZA, J. dos S. A EJA no contexto das políticas públicas de inclusão de jovens no mercado de trabalho. In: SOUZA, J. dos S.; SALES, S. R. (orgs.). Educação de jovens e adultos: políticas e práticas educativas, Rio de Janeiro: Nau Editora, EDUE-UFRRJ, 2011.

RAMOS, M. N. Concepção do ensino médio integrado, 2008. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br.go/files/concepcao_do_ensino_medio_integrado5.pdf. Acesso em: 16 set 2014.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.11114



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.