Prática Cinematográfica: o cinema como potencial ético-estético e transdisciplinar na aula de Português como Língua Adicional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.11806

Palavras-chave:

Português para estrangeiros, Português como Língua Adicional, Cinema, Ensino de línguas, Multiletramentos

Resumo

Este trabalho pretende apresentar o curso Prática Cinematográfica do Programa de Português para Estrangeiros (PPE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), discutindo algumas atividades realizadas dentro dessa proposta de ensino. O PPE é um programa de extensão que, desde 1993, tem por objetivos formar professores de Português como Língua Adicional (PLA) e oferecer aulas de PLA a alunos estrangeiros com ou sem vínculo com a UFRGS. Os cursos são elaborados a partir de diferentes temáticas e gêneros do discurso (BAKHTIN, 2003), sendo que alguns incluem a realização de projetos de aprendizagem e outros são configurados exclusivamente a partir de projetos (HERNÁNDEZ, 2008). Essas metodologias de aprendizagem, acreditamos, proporcionam mecanismos para que os alunos se insiram na e pela linguagem nas diferentes esferas de atividade humana. Consideramos o cinema não como uma ferramenta para o ensino de português, mas uma arte que tem o potencial de proporcionar uma experiência ético-estética de sensibilização diante do mundo e das mais diversas formas que nos relacionamos com as linguagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela da Silva Bulla, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas e Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Ananda Vargas Hilgert, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Educação no Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS). Bolsista CAPES

Mariana Bulegon, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Estudos da Linguagem na linha de pesquisa em Linguística Aplicada. Bolsista CAPES.


 

Referências

AUMONT, J. A estética do filme. Campinas, SP: Ed. Papirus, 1995.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016.

BADIOU, A. El cine como experimentación filosófica. In: YOEL, G. (Org.). Pensar el cine 1: imagen, ética y filosofia. Buenos Aires: Manantial, 2004. p. 23-81.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/portugues.pdf >. Acesso em: 06 ago. 2018.

BULLA, G. S.; SILVA, M. B. Escola, multiletramentos e tecnologias na aula de Língua Portuguesa: reflexões a partir de um projeto sobre Youtubers. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 4, p. 1984-1997, out./dez., 2017.

CLARK, H. H. O uso da linguagem. Cadernos de Tradução, Porto Alegre, n. 9, p. 49-71, jan./mar., 2000.

FOUCAULT, M. Sobre a genealogia da ética: uma revisão do trabalho em curso. In: DREYFUS, H.; RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense, 2010. p. 296-327.

HERNÁNDEZ, F. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

HILGERT, A. V. Alteridade e experiência estética: o olhar, o outro e o cinema. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2014.

HERMANN, N. Estetização do mundo da vida e sensibilização moral. Educação & Realidade, v. 30, n. 2, p. 35-47, jul./dez., 2005.

KEHL, M. R. Imagens da violência, violência das imagens. Concinnitas, ano 16, v. 1, n. 26, jul., 2015.

KRAEMER, F. F. Português língua adicional: progressão curricular com base em gêneros do discurso. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, UFRGS, Porto Alegre, 2012.

MARCELLO, F. A. Criança e imagem no olhar sem corpo do cinema. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2008.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. v. 2.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

RIO GRANDE DO SUL. Referenciais curriculares do estado do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Secretaria do Estado da Educação/ Departamento Pedagógico, 2009.

SILVA, M. B. Luz, câmera, ação! Prática Cinematográfica em aula de Português como Língua Adicional. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Letras) – Instituto de Letras, UFRGS, Porto Alegre, 2017.

SIMÕES, L. J.; RAMOS, J. W.; MARCHI, D.; FILIPOUSKI, A. M. Leitura e autoria: planejamento em Língua Portuguesa e Literatura. Erechim, RS: Edelbra, 2012.

SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. Línguas Adicionais na escola: aprendizagens colaborativas em inglês. Erechim, RS: Edelbra, 2012.

TEIXEIRA, A.; LITRON, F. F. O manguebeat nas aulas de Português - Videoclipe e movimento cultural em rede. In: ROJO, R.; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 167-180.

TRUFFAUT, F. O prazer dos olhos: textos sobre cinema. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

VAN LEEUWEN, T. Multimodality. In: SIMPSON, J. (Ed.). The Routledge Handbook of Applied Linguistics. Londres: Routledge, 2011. p. 668-682.

XAVIER, I. O Olhar e a Cena – Melodrama, Hollywood, Cinema Novo, Nelson Rodrigues. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

XAVIER, I. Um cinema que “educa” é um cinema que (nos) faz pensar: entrevista com Ismail Xavier. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 33, n. 1, p. 13-20, jan./jun., 2008.

Publicado

01/10/2018

Como Citar

BULLA, G. da S.; HILGERT, A. V.; BULEGON, M. Prática Cinematográfica: o cinema como potencial ético-estético e transdisciplinar na aula de Português como Língua Adicional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 5, p. 1832–1850, 2018. DOI: 10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.11806. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11806. Acesso em: 23 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos