A interferência do banco mundial no ensino secundário brasileiro: experiências históricas e desafios atuais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.3.12757

Palavras-chave:

Ensino médio, Reforma-contrarreforma, Banco Mundial, Privatização educacional.

Resumo

O texto objetiva analisar as interferências no ensino médio em relação às parcerias estabelecidas entre os governos brasileiros com o Banco Mundial. Sua escrita foi motivada pelas ações de contrarreforma do ensino médio adotadas pelo governo Temer (2016-2018) e o anúncio do financiamento do Banco na sua implantação. O texto foi desenvolvido no interior de uma rede de pesquisa a partir da análise de documentos primários produzidos pelo Ministério da Educação em suas parcerias com o Bird, no período da ditadura militar. São analisados documentos do período das contrarreformas do ensino médio realizadas pelo governo Cardoso (1995-2002) e pelo governo atual. Nossa intenção não é fornecer descrições e explicações exaustivas sobre as parcerias que envolvem as contrarreformas do ensino médio, mas construir hipóteses sugestivas e oferecer algumas conclusões provisórias, já que nesse momento não é possível obter um diagnóstico completo da nova parceria anunciada pelo governo brasileiro com o BIRD.

Biografia do Autor

Eliza Bartolozzi Ferreira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, ES

Professora Associada da Universidade Federal do Espírito Santo e do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Marilia Fonseca, Universidade de Brasília (UnB). Brasília, DF

Professora do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Doutora em Educação pela Université Paris Descartes, Paris V, França.

Elisangela Alves da Silva Scaff, Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, PR

Professora Associada da Universidade Federal do Paraná e do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo.

Referências

BANCO MUNDIAL. Focus on poverty: a report. Washington, DC: Banco Mundial, 1983.

BANCO MUNDIAL. Northeast Basic Educatio Project. Project Complete Repport, Loan 1867-BR. Washington, DC: Banco Mundial, 1989.

BANCO MUNDIAL. Relatório Anual de 2016. Washington, DC: Banco Mundial, 2016.

BIRD. The International Bank for Reconstruction and Development. What Is School-Based Management? Washington, DC, WBG, 2017.

BIRD. The International Bank for Reconstruction and Development. Country partnership framework for the Federative Republic of Brazil for the period fy18-fy23. Washington, DC, WBG, 2017.

BRASIL. MEC. Fundescola: Boletim Técnico. nº. 56, ano VII, Brasília, 2002.

BRASIL. Planejamento plurianual - relatório Anual de Avaliação (exercício 2001). Brasília, 2003.

CRUZ, R. E. Banco Mundial e política educacional: cooperação ou expansão dos interesses do capital internacional? Educar, Curitiba, n. 22, p. 51-75, 2003.

CUNHA, L. A. O legado da ditadura para a educação brasileira. Educação & Sociedade. Campinas, v. 35, n. 127, p. 357-377, abr.-jun. 2014.

FERREIRA, E. B. A educação profissional nos PPAs dos governos FHC e Lula. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 35, n.3, p. 215-236, 2010.

FERREIRA, E. B. A contrarreforma do ensino médio no contexto da nova ordem e progresso. Educação & Sociedade. Campinas, v. 38, n. 139, p. 293-308, 2017.

FONSECA, M. A gestão da educação básica na ótica da cooperação internacional: um salto para o futuro ou para o passado? In: VEIGA, I. P. A. e FONSECA, M. (orgs.). As dimensões do Projeto Político-Pedagógico. Campinas: Papirus Editora, 2001.

MEC. Política para a educação profissional. Brasília, 2003.

MEC-CEDATE. Relatório de Desenvolvimento do Projeto MEC-BIRD/Acordo 1067-BR. Brasilia, DF, MEC, 1981.

PMDB. Partido do Movimento Democrático Brasileiro. Uma ponte para o futuro. Brasília: PMDB, 2015.

SABBI, V. A influência do Banco Mundial e do BID através do Proep na reforma da educação profissionalizante brasileira da década de 1990. Curitiba, ANAIS IX Anped Sul, 2012.

SAVIANI, D. Política e educação no Brasil. Campinas: Autores Associados, 1996.

SCAFF, E. A. S. Planejamento da Educação e cooperação internacional: uma análise dos programas Monhangara e Fundescola. São Paulo: Universidade de Sao Paulo, 2006 (Tese de Doutoramento).

Publicado

30/08/2019

Como Citar

FERREIRA, E. B.; FONSECA, M.; SCAFF, E. A. da S. A interferência do banco mundial no ensino secundário brasileiro: experiências históricas e desafios atuais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp.3, p. 1733–1749, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14iesp.3.12757. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12757. Acesso em: 4 mar. 2021.