Estágio em docência no curso de doutorado em educação: relatos de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i1.12785

Palavras-chave:

Estágio, Docência, Materialismo histórico, Motivação

Resumo

Os conteúdos escolares, independente da etapa de ensino a que se destinam, quando ministrados de forma plena e não fragmentada, possibilitam a formação do sujeito omnilateral. Além de formar o sujeito omnilateral, cabe também ao professor motivar seus alunos durante as aulas para que eles vejam os conteúdos de forma interessante e próximas à sua realidade. O presente estudo teve como objetivo refletir acerca da ação docente exercida durante a realização do estágio obrigatório em docência no curso de Doutorado em Educação de uma universidade do norte do Paraná. Teve também como objetivo refletir acerca da percepção da motivação apresentada pelos alunos matriculados na disciplina em que o estágio foi exercido. As reflexões contidas no presente estudo foram feitas à luz dos pressupostos teóricos do Materialismo Histórico e Dialético, da Teoria da Autodeterminação e também dos relatos feitos pela turma em que o estágio foi realizado.

Biografia do Autor

Maria Luzia Silva Mariano, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação.

Sandra Aparecida Pires Franco, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR

Professora Adjunta no Departamento de Educação e Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Letras (UEL).

Katya Luciane de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR

Professora Associada do Departamento de Psicologia e Psicanálise, do Programa de Pós-graduação em Psicologia (na função de coordenadora) e do Programa de Pós-graduação em Educação. Doutorado em Educação (UNICAMP).

Referências

ÂNGELO, I. A festa. 3. ed. São Paulo: Sumus Editorial, 1978.

BZUNECK, J. A. A motivação do aluno: aspectos introdutórios. In: BORUCHOVITH, E.; BZUNECK, J. A. (Org.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2009. p. 09-36.

BZUNECK, J. A. Motivação para aprender. In: BORUCHOVITH, E.; BZUNECK, J. A; GUIMARÃES, S. É. R. (Org.). Como motivar os alunos: sugestões práticas. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 13-42.

CUNHA, M. I. Políticas públicas e docência na universidade: novas configurações e possíveis alternativas. In: CUNHA, M. I. (Org.). Formatos avaliativos e concepções de docência. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 69-91.

DECI, E. L. Effects of externally mediated rewards on intrinsic motivation. Journal of Personality and Social Psychology, v. 18, p. 105-115, 1971.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Intrinsic Motivation and Self-Determination in Human Behavior. New York: Plenum Press, 1985.

GUIMARÃES, S. E. R. Motivação intrínseca, extrínseca e o uso de recompensas em sala de aula. In: BORUCHOVITCH, E; BZUNECK, J. A. (Org.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2004. cap.2. p. 37-57.

MACHADO, A. C. T. A. et al. Estilos motivacionais de professores: preferência por controle ou por autonomia. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 32, n. 1, p. 188-201, 2012.

MAIESKI, S.; OLIVEIRA, K. L.; BZUNECK, J. A. Motivação para aprender: o autorrelato de professores brasileiros e chilenos. Psico-usf, Campinas, v. 18, n. 1, p. 53-64, abr. 2013.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Trad. Newton Ramosde-Oliveria. Campinas, São Paulo: Alínea, 2007.

MANACORDA, M. A. Marx e a formação do homem. Revista Histedbr On-line, Campinas, n. esp., p. 6-15, abr. 2011.

MARIANO, M. L. S. Qualidade motivacional no ensino médio: estudo sobre relações com a maturidade e a escolha profissional. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, 2015.

MARIANO, M. L. S.; FRANCO, S. A. P. As Várias Dimensões na Trilogia Jogos Vorazes: Uma Aplicação Prática para o Ensino Médio. Impulso, Piracicaba, v. 25, n. 63, p. 119-130, 2015.

MARX, K. A ideologia alemã. 3. ed. Trad. Luiz Claudio de Moura e Castro. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MOREIRA, A. E. C.; OLIVEIRA, K. L.; SCACCHETTI, F. A. P. O processo de ensino e aprendizagem em questão: implicações metodológicas e motivacionais. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 20, n. 1, p. 106-116, 2015.

REEVE, J. Why teachers adopt a controlling motivating style toward students and how they can become more autonomy supportive. Educational Psychologist, v. 44, 159-175, 2009.

VASCONCELLOS, M. M. M.; OLIVEIRA, C. C. Docência no curso de Pedagogia: uma relação paradoxal entre a teoria e a prática formativa. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 13, n. 334, p. 117-137, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.7633

VEIGA, I. P. A. Formação de professores para a Educação Superior e a diversidade da Docência. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 42, p. 327-342, maio/ago. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.042.DS01

Publicado

02/01/2021

Como Citar

MARIANO, M. L. S.; FRANCO, S. A. P.; OLIVEIRA, K. L. de. Estágio em docência no curso de doutorado em educação: relatos de experiência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 1, p. 361–375, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i1.12785. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12785. Acesso em: 27 fev. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)