A CONTRIBUIÇÃO DOS PROCESSOS FORMATIVOS NA COMPREENSÃO DAS DORES EMOCIONAIS DE DOCENTES UNIVERSITÁRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i2.13533

Palavras-chave:

Educação. Formação de Professores. Dores Emocionais. Emoções e Sentimentos.

Resumo

Neste texto refletiremos sobre as dores emocionais de docentes universitários e os seus possíveis entrelaçamentos com os processos formativos, pressupondo que eles têm o potencial sinalizador da recuperação da ideia de natureza humana e podem contribuir na reconfiguração dessas dores. O suporte de nossas reflexões procede das investigações neurocientíficas de Antonio Damásio para quem as relações entre os sentimentos de dor e prazer influenciam o processo cultural humano. Também colabora com o nosso pensamento Baruch Espinosa cujas ideias alicerçaram as da neurociência de Damásio ao afirmar que os seres humanos afetam-se uns aos outros e, por meio deste encontro, podem reconhecer-se e aumentar a sua “potência de agir”. Para realizar as reflexões aqui propostas recorremos a hermenêutica da tragédia “As Bacantes” de Eurípedes (406 a.C.) cujo potencial metafórico nos auxilia a entender as dificuldades impostas por uma racionalidade proclamada como única possível. As análises reflexivas, evidenciadas neste texto, nos levam a entrever a necessidade de outros saberes docentes que percebam a experiência de uma forma sensível e humanizada, compreendendo aspectos que deverão ir além dos atuais e ampliar a visão acerca da formação profissional. Mesmo diante do detalhamento e abrangência das propostas atuais de categorização dos saberes docentes necessários para a profissionalização, persiste essa carência relativa às dores emocionais docentes.

Biografia do Autor

Sandra Elisa Réquia, Universidade Federal de Santa Maria/Centro de Educação

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria. Formada em Filosofia pela UFSM e Estudos Sociais pela UFN. Especialista em Educação Ambiental e Mestre em Educação. Membro do Grupo de Pesquisa GPFORMA/CE/UFSM e Servidora Tecnico-Administrativo em Educação na UFSM.

Amarildo Luis Trevisan, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Professor Titular da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM/RS/Brasil e pesquisador PQ-1D do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq/BrasilPós-Doutor em Humanidades - Universidade Carlos III, de Madri-Espanha

Referências

ANASTASIOU, Léa das Graças; ALVES, Leonir Pessate (orgs.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias do trabalho em aula. Joinvilie, SC: Editora Univille, 2003, 145 p.

BEHRENS, Marilda Aparecida. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. Revista Educação Porto Alegre/RS, ano XXX, n. 3 (63), p. 439-455, set./dez. 2007.

CUNHA, Maria Isabel (org.). Reflexões e práticas em pedagogia universitária. Campinas: Papirus, 2007a.

CUNHA, Maria Isabel. O lugar da formação do professor universitário: Reflexões e Práticas em Pedagogia Universitária. ed. Campinas, SP: Papirus, 2007b.

DAMÁSIO, Antonio. Em busca de Espinosa: prazer e dor na ciência dos sentimentos. Adaptação para o português do Brasil Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

DAMÁSIO, Antonio. A estranha ordem das coisas. Ed. Portugal: Temas e Debates, 2017.

ESPINOSA, Baruch. Ética demonstrada à maneira dos geômetras. Trad. Jean Melville. ed. São Paulo: Martin Claret, 2002.

ESPINOSA, Baruch. Tratado da correção do intelecto e do caminho pelo qual melhor se dirige ao verdadeiro conhecimento das coisas. Disponível em: . Acesso em: 17 mai 2019.

EURÍPIDES. As bacantes. São Paulo: Hedra, 2010.

FREUD, Sigmund. Psicologia das massas e análise do eu: e outros textos. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no Ensino Superior. Ed., São Paulo: Cortez, 2011.

PIMENTA, Selma Garrido. Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, 2005.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. 14ª ed. Petropólis, RJ: Vozes, 2012.

TARDIF, Maurice. Saberes, Tempo e Aprendizagem do Trabalho no Magistério. 73. ed. Campinas: Revista Educação & Sociedade, 2000.

Publicado

14/09/2020

Como Citar

RÉQUIA, S. E.; TREVISAN, A. L. A CONTRIBUIÇÃO DOS PROCESSOS FORMATIVOS NA COMPREENSÃO DAS DORES EMOCIONAIS DE DOCENTES UNIVERSITÁRIO. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 2, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v16i2.13533. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13533. Acesso em: 3 mar. 2021.