Jogos de tabuleiro: recurso lúdico na aprendizagem de crianças em situação de vulnerabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i4.13660

Palavras-chave:

Jogos de tabuleiro, Aprendizagem, Vulnerabilidade social

Resumo

Este artigo é um recorte de uma dissertação de mestrado, realizada no Programa de Pós-graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos. Teve como objetivo geral observar e analisar o uso do jogo de tabuleiro no processo de apropriação de habilidades relacionadas à leitura e escrita de crianças em situação de vulnerabilidade social. A presente pesquisa se realizou em uma Organização da Sociedade Civil do interior do estado de São Paulo. Foram participantes deste estudo quatorze meninas de sete a dez anos de idade que frequentavam a referida organização. A pesquisa de abordagem qualitativa, caracterizada como pesquisa participante, se valeu dos procedimentos de observação, entrevista e avaliação pedagógica. Contou com três etapas: 1. Sondagem inicial; 2. Intervenção com jogos de tabuleiro; 3. Finalização. Os resultados mostraram um ganho de habilidades ao processo de aquisição de leitura e escrita, visto que a aplicação das avaliações demonstrou que todas as meninas ganharam habilidades de escrita novas possivelmente por influência do jogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Silva Perussi Vasconcellos, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar.

Rosimeire Maria Orlando, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP

Professora do Departamento de Psicologia. Doutorado em Educação Escolar (UNESP).

Referências

AMARAL, M. H; MONTEIRO, M. I. B. Análise de Obras Cinematográficas para Compreender as Concepções de Professores sobre o Aluno com Deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 4, p. 511-526, 2016.

AZEVEDO, F. Oração inaugural. In: BARREIRA, C. A sociologia no tempo: memória, imaginação e utopia. São Paulo: Cortez, 2006.

BEE, H. O ciclo vital. Porto Alegre: Artmed, 1997.

BRANDÃO, G, M. Linhagens do pensamento político brasileiro. São Paulo: Aderaldo & Rothschild Editores, 2007.

BROUGÈRE, G. A criança e a cultura lúdica. Revista da Faculdade de Educação, v. 24, n. 2, 1998.

CARVALHO, M. Guia prático do alfabetizador. São Paulo: Ática, 2002.

CONCEICAO, M. R.; BOMTEMPO, E. Infância e Contextos de Vulnerabilidade Social: a atividade lúdica como recurso de intervenção nos cuidados em saúde. Boletim - Academia Paulista de Psicologia, v. 34, n. 21, p. 490-509, 2014.

FERNANDES, O. O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e o Uso de Jogos na Aprendizagem Inicial da Leitura e Escrita. Educação em revista, v. 17, n. 2, p. 15-35, 2016.

FERREIRA, M.; MARTURANO, E. M. Ambiente familiar e os problemas do comportamento apresentados por crianças com baixo desempenho escolar. Psicologia: Reflexão e Critica, v. 15, n. 1, p. 35-44, 2002.

FIALHO, N. Os jogos pedagógicos como ferramentas de ensino. Curitiba: IBPEX, 2012.

FONTANA, R.; CRUZ, M. N. Psicologia e trabalho pedagógico. São Paulo: Atual, 1997.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LEITE, S. A. S. Instrumento de avaliação do repertório básico para alfabetização: manual de aplicação e avaliação. 3. ed. São Paulo: EDICON, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MALUF, A. C. M. Atividades recreativas para divertir e ensinar. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

MAZER, S. M.; BELLO, A. C. D.; BAZON, M. R. Dificuldades de aprendizagem: revisão de literatura sobre os fatores de risco associados. Revista Psicologia da Educação, v. 10, n. 28, p. 7-21, 2009.

MEDEIROS, P.C. et al. A auto eficácia e os aspectos comportamentais de crianças com dificuldade de aprendizagem. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 13, n. 3, p. 327-336, 2000.

POLETTO, A. PIASSI, L. P. O cinema e os filmes infantis na inserção de valores: o uso do filme como treinar o seu dragão na exploração do tema diversidade e preconceito. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 34., 2011, Recife. Anais [...]. Recife: Intercom, 2011.

RAPOPORT, A.; SARMENTO, D. F. Desenvolvimento e aprendizagem infantil: implicações no contexto do primeiro ano a partir da perspectiva Vygotskiana. In: RAPOPORT, A. et al. (org.). A Criança de seis anos no Ensino Fundamental. Porto Alegre: Mediação, 2009.

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

SANTOS, C. P. 'Ele é multifacetado': as representações sociais do fracasso escolar construídas e compartilhadas por psicólogos educacionais. 2012. 150 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012.

SANTOS, L. C.; MARTURANO, E. M. Crianças com dificuldade de aprendizagem: um estudo de seguimento. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 12, n. 2, p. 377-394, 1999.

SAPIENZA, G.; PEDROMÔNICO, M. R. M. Risco, proteção e resiliência no desenvolvimento da criança e do adolescente. Psicologia em Estudo, v. 10, n. 16, p. 209-216, 2005.

SILVA, A. P. F. Reprovados, indisciplinados, fracassados: as micro-relações de insucesso escolar na perspectiva do ‘aluno problema’. 2009. 446 f. Tese (Doutorado em Educação) –Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

SOARES, M. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 9. ed. São Paulo: Ática, 1992.

SOUZA, S. R.; HÜBNER, M. Efeitos de um jogo de tabuleiro educativo na aquisição de leitura e escrita. Acta Comportamentalia, v. 18, n. 2, p. 215-242, 2010.

TAVARES, S. F. Cinema e pessoa com deficiência: a (re)significação do olhar de professoras. 2016. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

TEZANI, T. C. Rodrigues. O jogo e os processos de aprendizagem e desenvolvimento: aspectos cognitivos e afetivos. Educação em Revista, v. 7, n. 1/2, p. 1-16, 2006.

VIGOSTSKI, L. S. Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ZEPPONE, R. M. O. Educação ambiental: teorias e práticas escolares. 1. ed. São Paulo. Jm, 1999.

Downloads

Publicado

21/10/2021

Como Citar

VASCONCELLOS, T. S. P.; ORLANDO, R. M. Jogos de tabuleiro: recurso lúdico na aprendizagem de crianças em situação de vulnerabilidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 4, p. 2645–2662, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i4.13660. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13660. Acesso em: 22 jan. 2022.