A práxis pedagógica e os aprendentes surdos: implicações e pressupostos do paradigma vygotskyano na prática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i2.14002

Palavras-chave:

Prática Pedagógica, Surdez, Sociointeracionismo

Resumo

Esse artigo trata sobre o Paradigma da Aprendizagem de Levy Vigostsky (1896 -1934) e as implicações que essa mesma teoria pode possibilitar para uma prática educativa que dinamize a aprendizagem dos educandos surdos. Destarte, a teoria sociointeracionista com seus pressupostos de aprendizagem pode viabilizar práticas que medeiem conhecimentos significativos, partindo das especificidades e das experiências sócio-históricas dos educandos surdos. Nesse sentido, esse estudo analisou as possíveis implicações do Paradigma Sociointeracionista de Levy Vigotsky para a práxis pedagógica com educandos surdos e como esses mesmos princípios podem viabilizar práticas voltadas para a aprendizagem desses sujeitos. A metodologia utilizada por esse trabalho foi a análise documental, a qual contribuiu para uma compreensão mais aprofundada das implicações do sociointeracionismo para o processo de ensino-aprendizagem dos aprendentes surdos. Os resultados deste estudo é a consolidação de um rico ensaio teórico e pedagógico que permite a compreensão e possível aplicação dos constructos teóricos do sociointeracionismo de Vygotsky para a prática pedagógica com educandos surdos, de forma a fomentar aprendizagens significativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Silva Lopes Costa, Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC), Itaberaba – BA

Professora na Rede de Ensino Público. Doutorado em Educação (UFBA).

Yuri Miguel Macedo, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Itabuna – BA

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação e Relações Étnico-Raciais.

Referências

ANTUNE, C. Vigotsky, quem diria?! Em minha sala de aula. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

ARANHA, M. L. et al. Filosofando: introdução à Filosofia. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1991.

BERNI, R. Mediação: o conceito vygotskyano e suas implicações na prática pedagógica. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 59-72, 2015.

COOL, C. Desenvolvimento psicológico e educação: necessidades educacionais especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 1995. v. 03.

DANIELLI, F.; FREITAS, K. T. D.; PEREIRA, R. G.; CARDOSO, F. L. Criação e desenvolvimento de jogos digitais cooperativos para crianças: uma revisão sistemática. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 3, p. 1295-1308, jul./set. 2020. e-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15i3.13069

FAZENDA, I. Dicionário em construção: interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2001.

FERNÁNDEZ, A. Os idiomas do aprendente: análise das modalidades ensinantes com famílias, escolas e meios de comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2001.

GUERRA, M. G. G. V.; CUSATI, I. C.; SILVA, A. X. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade: dos conhecimentos e suas histórias. Revista Ibero Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 03, p. 979-996, jul./set., 2018. E-ISSN:1982- 5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n3.2018.11257

LACERDA, C. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre esta experiência. Cad. Cedes, Campinas, v. 26, n. 69, p. 163-184, maio/ago. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32622006000200004

LODI, A. C. Plurilinguismo e surdez: uma leitura bakhtiniana da história da educação dos surdos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 409-424, set./dez. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000300006

MAGALHÃES, M. C. Contribuições da pesquisa sócio-histórica para a compreensão dos contextos interacionais da sala de aula de línguas: foco na formação de professores. The Especialist, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 01-18, 1996.

MARINHO, R. C. Filosofias educacionais: oralismo, comunicação total e bilinguismo. Faculdade Eficaz, 2011.

MAZZOTA, M. J. Trabalho docente e formação de professores de educação especial. São Paulo: EPU, 1993.

MOREIRA, P. O fator lingüístico na aprendizagem e desenvolvimento cognitivo da criança surda. Revista Virtual de Cultura Surda e Diversidade, 2007.

NUNES, C. Quando a casa vira escola: a modernidade pedagógica no Brasil. In: Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Maud X: FAPERJ, 2007.

PAZ, F. J. Inclusão sócio - educacional do aluno surdo: perspectiva bilíngue na escola inclusiva. Fórum Internacional de Pedagogia, 2012.

QUADROS, R. M. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 2007.

REGO, T. C. Vigotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 12. ed. Petropólis, RJ: Vozes, 2001.

SKLIAR, C. Educação & Exclusão: abordagens sócio – antropológicas em educação especial. Porto Alegre: Editora Mediação, 1998.

SOUZA, K. R.; KERBAUY, M. T. M. A organização dos sistemas de ensino nos países do Mercosul. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp. 3, p. 1670-1687, out. 2019. E-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.3.12752

TAVARES, K. Análise sobre a trajetória histórica da educação dos surdos. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 9.; ENCONTRO SUL BRASILEIRO DE PSICOPEDAGOGIA, 3., 2009, Curitiba. Anais […]. Curitiba, PR: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2009.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

VYGOTSKY, L. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

VYGOTSKY, L; LURIA, A.; LEONTIEV, A. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

WOOD, D.; BRUNER, J.; ROOS, G. The role of tutoring in problem solving. Journal of Child Psychology, v. 17, p. 89-100, 1976.

Downloads

Publicado

01/02/2021

Como Citar

COSTA, B. S. L.; MACEDO, Y. M. A práxis pedagógica e os aprendentes surdos: implicações e pressupostos do paradigma vygotskyano na prática. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 2, p. 554–572, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i2.14002. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14002. Acesso em: 13 abr. 2021.