Violências verbais nas relações professor-aluno

Conflitos, conflitualidades e o reconhecimento social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i1.14067

Palavras-chave:

Violências escolares. Relação professor-aluno. Conflitos. Reconhecimento social. Pesquisa-intervenção

Resumo

Este artigo teve como objetivo compreender como as situações de violência ocorrem nas relações professor-aluno, na visão de estudantes do Ensino Fundamental (ciclo II), em uma escola de ensino integral. Como metodologia desenvolveu-se uma pesquisa-intervenção, com ateliês utilizando a arte para ouvir e compreender as relações em sala de aula. Com as análises percebeu-se que o reconhecimento social foi essencial e propiciou à escola a função de socializar as relações em seu cotidiano, com formação cidadã e democrática; a forma autoritária de alguns docentes propiciou conflitos geracionais, pois não levou em consideração a ampla conexão de diferentes estudantes e suas diferenças; o autoritarismo na escola intensificava as violências simbólicas, estabelecendo tensões nos discentes humilhados e, por vezes, violentos; por fim, na paisagem sonora escolar e nos tipos de situação que ocorrem em seus espaços coletivos percebeu-se um potencial de transformações nas relações, encarando os conflitos sociais como positivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cecília Luiz, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP – Brasil

Professora Associada do Departamento de Educação e credenciada no Programa de Pós em Educação da UFSCar. Doutora em Educação Escolar (UNESP).

Jéssica Veloso Morito, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP – Brasil

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

BENETTI, S. P. C. et al. Psychosocial adolescent psychosocial adjustment in Brazil - perception of parenting style, stressful events and violence. International Journal of Psychological Research, v. 7, n. 1, p. 40-48, 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2011-20842014000100005&lng=en&tlng=en. Acesso em: 14 ago. 2020.

BOHNSACK, R.; WELLER, W. O método documentário e sua utilização na análise de grupos de discussão. Educação em Foco. Educação em Foco, Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFJF, n. esp., 2006.

CASTRO, R. E. F. D; SOUZA, M. A. D. Efeitos da agressividade infantil para o sofrimento psíquico de professores em diferentes momentos de carreira. Estudos de Psicologia, Natal, v. 17, n. 2, p. 265-274, 2012.

DUBET, F. Sociologia da experiência. Trad. Fernando Tomaz. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

FORLIM, B. G; STELKO-PEREIRA, A. C; WILLIAMS, L. C. A. Relação entre bullying e sintomas depressivos em estudantes do ensino fundamental. Campinas: Estudos de Psicologia, v. 31, n. 3, p. 367-375, 2014.

GROSSI, P. K; SANTOS, A. M. Bullying in Brazilian schools and restorative practices. Canadian Journal of Education, v. 35, n. 1, p. 120-136, 2012. Disponível em: http://www.cje-rce.ca/index.php/cje-rce/article/view/697. Acesso em: 14 ago. 2020.

HONNETH, A. Luta por reconhecimento: a gramática dos conflitos sociais. 2. ed. Trad. Luiz Repa. São Paulo. Editora 34, 2003.

MEAD, G. H. Espiritu, persona y sociedade: desde el punto de vista del conductismo social. Trad. Florial Mazia. 3. ed. Buenos Aires: Paidós, 1972.

MORITO, J. V.; SILVA, C. M. P.; MOURA, D. C. O. Sociologia da Experiência de Dubet e as violências verbais nas convivências escolares. São Carlos: Cadernos da Pedagogia, v. 13, n. 26, p. 137-147, 2019.

SANTOS, J. V. T. dos. Violências e conflitualidades. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2009.

SCHAFER, R. M. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. São Paulo: Editora Unesp, 2001.

SIMMEL, G. A natureza sociológica do conflito. In: FILHO, E. de M. (org.). Simmel. Trad. Carlos Alberto Pavanelli. São Paulo: Ática, 1983.

SIMMEL, G. Questões fundamentais de sociologia. Trad. Pedro Caldas. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2006.

SIMMEL, G. Sociología I y II: estúdios sobre lãs formas de socialización. Madrid: Alianza Editorial, 1977.

SOUZA, K. O. J. Violência em escolas públicas e a promoção da saúde: relatos e diálogos com alunos e professores. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 25, n. 1, p. 71-79, 2012.

STELKO-PEREIRA, A. C; ALBUQUERQUE, P. P; WILLIAMS, L. C. A. Percepção de alunos sobre a atuação de funcionários escolares em situações de violência. Revista Eletrônica de Educação, n. 6, p. 376-391, 2012. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/277. Acesso em: 14 ago. 2020.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Editora Difel, 1980.

Publicado

02/01/2022

Como Citar

LUIZ, M. C.; MORITO, J. V. Violências verbais nas relações professor-aluno: Conflitos, conflitualidades e o reconhecimento social. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 1, p. 0297–0313, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i1.14067. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14067. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos