Padrões da autocitação em artigos de alto impacto da revista Nature

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i1.14207

Palavras-chave:

Escrita acadêmico-científica, Práticas de letramentos, Autocitação, Nature

Resumo

Este trabalho tem por objetivo compreender padrões da autocitação em artigos científicos de alto fator de impacto da revista Nature. A pesquisa é qualitativa e as discussões são sustentadas pela perspectiva sociocultural que compreende a escrita como prática de letramento situada contextualmente. A partir de levantamentos realizados no Google Scholar, selecionamos para análise os quatro artigos mais citados no periódico Nature. A partir das análises, três ocorrências são recorrentes nesses artigos em análise: o alto índice de citação, autocitação e coautoria. Quanto à autocitação, analisamos o contexto de publicação desses estudos, questões relacionadas à legitimidade, às relações de poder e de coautoria que marcam a escrita acadêmico-científica. Os padrões de autocitação indicam um enfoque heterogêneo na escrita dos artigos desta revista, o qual marca convenções nesta área do conhecimento, relações de poder manifestadas nas parcerias entre pesquisadores, o que implica legitimidade na comunidade científica das publicações referidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Fischer, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Docente no Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado Linguística (UFSC).

Camila Grimes, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação.

Elis Regina Kosloski, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Mestranda no Programa de Pós-graduação em Educação.

Mariana Aparecida Vicentini, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação.

Referências

ASSIS, J. A. Representações sobre os textos acadêmico-científicos: pistas para a didática da escrita na universidade. Estudos Linguísticos, São Carlos, v. 43, p. 801-815, 2014.

ASSIS, J. A.; BAILLY, S.; CORRÊA, M. L. G. Still around the issue of writing in higher education: teaching and research demands. Scripta, v. 21, p. 23-36, 2017.

BARATA, G. F. Nature e Science: mudança na comunicação da ciência e a contribuição da ciência brasileira (1936-2009). 2010. 247 f. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2010.

BARTON, D.; HAMILTON, M. Literacy practices. In: BARTON, D.; HAMILTON M.; IVANIC, R. Situated literacies: reading and writing in context. London: Routledge, 2000. p. 7-15.

BOCH, F.; GROSSMAN, F. Referir-se ao discurso do outro: alguns elementos de comparação. Scripta, Belo Horizonte, v. 6, n. 11 p. 97-108, 2002.

BOCH, F.; GROSSMAN, F. Sobre o uso das citações no discurso teórico: de constatações a proposições didáticas. In: RINCK, F.; BOCH, F.; ASSIS, J. A. (Org.). Letramento e formação universitária: formar para a escrita e pela escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2015. p. 225-250.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

CALDERÓN, A. I.; MARTI-NOGUERA, J. J.; FERNANDEZ-GODENZI, A. La responsabilidad social universitaria en Iberoamérica: análisis de las legislaciones de Brasil, España y Perú. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 9, n. 24, p. 107-124, 2018.

CORRÊA, M. L. G. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

EMILIOZZI, S. El influjo de los rankings sobre la calidad en las universidades argentinas. Revista Iberoamericana de Ciencia, Tecnología y Sociedad - CTS, v. 13, n. 37, p. 127-141, 2018.

GOOGLE SCHOLAR. Principais publicações. Google Scholar, 2020. Disponível em: https://scholar.google.com.br/citations?view_op=top_venues&hl=pt-BR. Acesso em: 22 jan. 2020.

HYLAND, K. Self-citation and self-reference: credibility and promotion in academic publication. Journal of the American Society of Information, Science and Technology, v. 54, n. 3, p. 251-259, 2003.

HYLAND, K. Academic discourse. In: HYLAND, K.; PALTRIDGE, B. (Org.). Continuum Companion to Discourse Analysis. London: Continuum, 2011. p. 171-184.

HYLAND, K.; JIANG, K. Changing patterns of self-citation: Cumulative inquiry or self-promotion? Text and Talk, n. 38, v. 3, p. 365-387, 2018.

KRASILCHIK, M.; SILVA, R. L. F.; SILVA, P. F. da. Perspectivas da educação em ciências expressas nos periódicos Science e Nature. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. 1, p. 192-207, 2015.

LEA, M. R.; STREET, B.; LILLIS, T. Revisiting the question of transformation in academic literacies: the ethnographic imperative. In: LILLIS, T.; HARRINGTON, K.; LEA, M. R.; MITCHELL, S. Working with academic literacies: case studies towards transformative practice. Anderson, South Carolina: Parlor Press; Fort Collins, Colorado: WAC Clearinghouse, 2015.

LEA, M. R.; STREET, B. V. Student writing in higher education: an academic literacies approach. Studies in Higher Education, v. 23, p. 157-172, 1998.

LILLIS, T. Ethnography as method, methodology, and “deep theorizing”: closing the gap between text and context in academic writing research. Written communication. v. 3, n. 25, p. 353-388, 2008.

OLIVEIRA, A. B.; RODRIGUES, R. S.; BLATTMANN, U.; PINTO, A. L. Comparação entre o QUALIS/CAPES e os Índices h e g: o caso do Portal de Periódicos UFSC. Informação & Informação, Londrina, v. 20, n. 1, p. 70-91, jan./abr. 2015.

PINTO, A. C.; ANDRADE, J. B. de. Fator de impacto de revistas científicas: qual o significado deste parâmetro? Química Nova, São Paulo, v. 22, n. 3, p. 448-453, 1999.

SILVA, D. D; GRÁCIO, M. C. C. Índice h de Hirsch: análise comparativa entre as bases de dados Scopus, Web of Science e Google Acadêmico. Em Questão, Porto Alegre, v. 23, p. 196-212, 2017.

SILVA, J. Q. G.; RODRIGUES, D. L. D. I. O ensino da escrita de artigo acadêmico na web: suas práticas discursivas e jogos de verdade. In: KOMESU, F.; ASSIS, J. A. Práticas discursivas em letramento acadêmico: questões em estudo: Ensaios sobre a escrita acadêmica. Belo Horizonte: Editora PUC-Minas. p. 46-63, 2019. Disponível em: https://issuu.com/cespuc-centrodeestudosluso-afro-bra/docs/ensaios_sobre_a_escrita_acad_mica_oficial_. Acesso em: 16 set. 2020.

STREET, B. Introduction: the new literacy studies. In: STREET, B. Cross-cultural approaches to literacy. Great Britain: Cambridge University Press, 1995. p. 1-21.

Publicado

02/01/2021

Como Citar

FISCHER, A.; GRIMES, C.; KOSLOSKI, E. R.; VICENTINI, M. A. Padrões da autocitação em artigos de alto impacto da revista Nature. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 1, p. 276–291, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i1.14207. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14207. Acesso em: 8 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos