Fracasso escolar e medicalização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp5.14562

Palavras-chave:

Fracasso escolar, Mediação, Aprendizagem, Medicalização

Resumo

No artigo busca-se uma breve análise acerca do fracasso escolar e processos de medicalização que ocorrem na Educação Básica frente aos problemas de aprendizagem que algumas crianças apresentam. As respostas inadequadas por parte dos alunos aos padrões preestabelecidos na escola, no que se refere a conteúdos e procedimentos metodológicos, os consideram alunos com dificuldades de aprendizagem, culminando em fracasso escolar e busca incessante por diagnósticos da área médica. A atuação profissional frente às situações indicadas foi vivenciada como fracasso escolar revelado pelos inúmeros encaminhamentos de alunos ao Centro Municipal de Avaliação e Educação Especial, do município de Fazenda Rio Grande, Paraná, à área médica.

Biografia do Autor

Sonia Maria Chaves Haracemiv, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR

Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação, Linha Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano. Doutorado em História e Filosofia da Educação (PUC/SP).

Roseneide Maria Batista Cirino, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Paranaguá – PR

Professora da Divisão de Ensino de Graduação e Coordenadora do NESPI – Núcleo de Educação Especial. Doutorado em Educação (UEPG).

Carlos Roberto Caron, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR

Doutorando no Programa de Pós-graduação em Educação.

Referências

CAGLIARI, L. C. Alfabetização e pobreza. In: PATTO, M. H. S (Org.). Introdução á psicologia escolar. 3. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

COLLARES, C. A. L.; MOYSÉS, M. A. A. Preconceitos no cotidiano escolar: ensino e medicalização. São Paulo: Cortez. 1996

COLLARES, C. A. L.; MOYSÉS, M. A. A. Preconceitos no cotidiano escolar: a medicalização do processo ensino-aprendizagem. In: Medicalização de crianças e adolescentes: conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doença de indivíduos. Conselho Regional de Psicologia de São Paulo; Grupo Interinstitucional Queixa Escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 193-214.

COLLARES, C. A. L. MOYSÉS, M. A. A. A Educação na Era dos Transtornos. In: VIÉGAS, L. S. et al. Medicalização da educação e da sociedade: ciência ou mito? Salvador: EDUFBA, 2014. p. 47-65.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa: São Paulo, Paz e Terra, 2011.

GUARIDO, R.; VOLTOLINI, R. O que não tem remédio, remediado está? Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 1, p. 239-263, abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edur/v25n1/14.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

LEONTIEV, A. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII, L. S.; LÚRIA, A. R.; LEONTIEV, A. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 10. ed. São Paulo: Ícone, 2006.

MEIRA, M. E. M. Para uma crítica da medicalização na educação. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional. São Paulo, 2012

PATTO, M. H. de S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. 3. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2011. (Coleção polêmicas do nosso tempo; v. 5)

SOARES, M. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 15. ed. São Paulo, Ática, 1997.

SOARES, M. O fracasso da/na escola: uma escola para o povo ou contra o povo? fev. 2017. Disponível em:

http://blog.editoracontexto.com.br/magda-soares-o-fracasso-da-escola/. Acesso em: 15 mar. 2020.

SOUZA, M. P. R. Retornando à patologia para justificar a não aprendizagem escolar: a medicalização e o diagnóstico de transtornos de aprendizagem em tempos de neoliberalismo. In: Medicalização de crianças e adolescentes: conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doença de indivíduos. Conselho Regional de Psicologia de São Paulo; Grupo Interinstitucional Queixa Escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 193-214.

UNTOIGLICH, G. Medicalização e Patologização da Vida: situações das infâncias na América Latina. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 25, n. 1, p. 20-38, jan./abr. 2014.

VIÉGAS, L. S. et al. (Org.). Medicalização da educação e da sociedade: ciência ou mito? Salvador: EDUFBA, 2014.

ZAGO, N. Fracasso e sucesso escolar no contexto das relações família e escola: Questionamentos e tendências em sociologia da educação. Revista Luso-Brasileira, v. 2, n. 3, p. 57-83, 2011.

Downloads

Publicado

01/12/2020

Como Citar

Haracemiv, S. M. C., Cirino, R. M. B., & Caron, C. R. (2020). Fracasso escolar e medicalização. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(esp5), 2855–2868. https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp5.14562