Novos gestos didáticos no ensino remoto emergencial

Lições aprendidas na docência em tempos de Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i1.14989

Palavras-chave:

Gestos profissionais, Formação de professores, ERE, Tecnologias digitais

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo geral compreender como o professor percebe seus gestos didáticos no Ensino Remoto Emergencial (ERE). O estudo foi caracterizado como exploratório e transversal, com os dados coletados por questionário online (com escala de Likert), com afirmações a serem julgadas por 108 professores de Ensino Superior de uma Universidade do ABC paulista. O tratamento de dados foi pelo teste do Qui-quadrado (X2). Os principais achados foram que os participantes: a) ainda não percebem se realmente os alunos estão aprendendo nesta nova situação; b) valorizam a interação com os alunos por meio do diálogo e do questionamento; c) precisaram estudar intensamente para auxiliar a aprendizagem dos alunos no ERE; d) precisam ainda desenvolver o gesto fundador de regulação, que os permita diagnosticar nos alunos dificuldades e obstáculos em relação a etapas do processo de aprendizagem e, a partir disso, estabelecer metas para o desenvolvimento de capacidades. Como considerações finais, é necessário que os cursos de formação docente usem as tecnologias no próprio processo de formação, como ferramentas de interação e mediação pedagógica, numa perspectiva de desenvolver no professor participante novas competências pedagógicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alexandre Felício Brito, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Caetano do Sul – SP – Brasil

Professor dos Programas de Mestrado Profissional da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). PPGE (Educação) e no PPGES (Ensino em Saúde). Doutorado em Educação Física (UNICAMP)

Nielce Meneguelo Lobo da Costa, Universidade Anhanguera São Paulo (UNIAN), São Paulo – SP – Brasil

Coordenadora do Programa de Mestrado em Ensino de Ciências e Saúde. Doutorado em Educação (PUCSP).

Susana Nogueira Diniz, Universidade Anhanguera São Paulo (UNIAN), São Paulo – SP – Brasil

Professora do Programa de Mestrado em Ensino de Ciências e Saúde. Doutorado em Imunologia (UFMG).

Referências

AEBY-DAGHÉ, S.; DOLZ, J. Des gestes didactiques fondateurs aux gestes spécifiques à l’enseignemente-apprentissage du texte d’opinion. In: BUCHETON, D.; DEZUTTER, O. (Èds.) Le développementa des gestes professionnels dans l’enseignement du français: Un défi pour la recherche et la formation. Bruxelas: De Boeck, 2008.

ARRUDA, E. P. Educação remota emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Em Rede-Revista de Educação a Distância, v. 7, n. 1, p. 257-275, 2020. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/621. Acesso em: 31 mar. 2021.

BANDURA, A. Social foundantions of thought & action: a social cognitive theory. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1986.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem 1. ed. Rio de Janeiro, 2016.

GIL, A. C.; PESSONI, A. Estratégias para o alcance de objetivos afetivos no ensino remoto. Revista Docência do Ensino Superior, v. 10, p. 1-18, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24493 Acesso em: 31 mar. 2021.

JOYE, C. R.; MOREIRA, M. M.; ROCHA, S. S. D. Educação a Distância ou Atividade Educacional Remota Emergencial: em busca do elo perdido da educação escolar em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 7, e521974299, 2020. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4299 Acesso em 31 mar. 2021.

LÉVY, P. Que é o Virtual? Editora 34, 1996.

MENESES, P. P. M.; ABBAD, G. S. Construção e validação de um instrumento para avaliar auto-eficácia em situações de treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 23, n. 1, p. 121-130, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-79722010000100015&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 31 mar. 2021.

MISHRA, P.; KOEHLER, M. J. Technological pedagogical content knowledge: a framework for teacher knowledge. Teachers College Record, v. 108, n. 6, p. 1017–1054, 2006. Disponível em: http://one2oneheights.pbworks.com/f/MISHRA_PUNYA.pdf Acesso em 31 mar. 2021.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

MOREIRA, M. A. Modelos científicos, modelos mentais, modelagem computacional e modelagem matemática: aspectos epistemológicos e implicações para o ensino. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 7, n. 2, p. 1-20, maio/ago. 2014. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/2037 Acesso em 31 mar. 2021.

MURARO, D. N. A importância do conceito no pensamento deweyano: relação entre pragmatismo e educação. 2008. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

NASCIMENTO, E. L. A dupla semiotização dos objetos de ensino-aprendizagem: dos gestos didáticos fundadores aos gestos didáticos específicos. Signum: estudos da linguagem, v. 14, n. 1, p. 421-445, 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/8643. Acesso em: 31 mar. 2021.

PASQUALI, L. Psicometria. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 43, n. SPE, p. 992-999, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0080-62342009000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt Acesso em 31 mar. 2021.

PEREIRA, F. D.; DA SILVA, L. M. S.; NOVELLO, T. P. A relação entre a formação docente e o tecnostress. RELACult-Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade, v. 4, 2018. Disponível em: https://periodicos.claec.org/index.php/relacult/article/view/721 Acesso em 31 mar. 2021.

ROSA, D. L.; MENDES, A. N. F.; LOCATELLI, A. B. A formação da identidade docente na licenciatura em química e suas relações com a aprendizagem significativa a partir da análise do modelo de ensino de Gowin. Revista Práxis, v. 10, n. 20, p. 147-160, 2018. Disponível em: http://revistas.unifoa.edu.br/index.php/praxis/article/view/830 Acesso em 31 mar. 2021.

SILVA, M. Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. Edições Loyola, 2003.

SOTO, B. D. G.; VALLORI, A. B. UVE de Gowin instrumento metacognitivo para un aprendizaje significativo basado en competencias. Investigació i Innovació Educativa i Socioeducativa, v. 3, n. 1, p. 51-62, 2011. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3634436 Acesso em 31 mar.2021.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed Editora, 2009.

Publicado

02/01/2022

Como Citar

BRITO, C. A. F.; LOBO DA COSTA, N. M.; DINIZ, S. N. Novos gestos didáticos no ensino remoto emergencial: Lições aprendidas na docência em tempos de Covid-19. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 1, p. 0053–0071, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i1.14989. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14989. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos