O brincar na educação infantil e suas relações com a formação e visão dos professores

Uma revisão de escopo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i4.16200

Palavras-chave:

Jogos e brinquedos, Educação infantil, Capacitação de professores, Criança com deficiência

Resumo

O brincar é uma das principais abordagens no processo de ensino na primeira infância, sendo defendido por diversos autores com autoridade no tema, como Vygotsky, Piaget, Kishimoto, Montessori, e descrito pela Base Nacional Comum Curricular como um dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento da criança. Esse estudo teve como objetivo identificar a visão do brincar como prática utilizada por educadores do ensino infantil de diversos países. A metodologia abordada foi a Revisão de Escopo, com busca em cinco bases de dados, totalizando 19 artigos selecionados. As contribuições dos artigos foram relevantes para demonstrar que o brincar, como prática na educação infantil, não está completamente difundida, ainda não tem a valoração correspondente aos seus benefícios no processo de aprendizagem da criança e na formação dos professores, e a aplicação de práticas pedagógicas ainda não têm o olhar para o brincar como foco essencial para os currículos pré-escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Cândido Figueiredo Monteiro Colete, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR – Brasil

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação.

Milton Carlos Mariotti, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR – Brasil

Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação. Doutorado em Medicina Interna (UFPR).

Referências

ARKSEY, H.; O'MALLEY, L. Scoping Studies: Rumo a um marco metodológico. International journal of social research methodology, v. 8, n. 1, p. 19-32, 2005. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/1364557032000119616. Acesso em: 4 out. 2021.

BARBOSA, C. S.; MIRANDA, M. C. R.; MARQUES, R. N. Base Nacional Comum Curricular: O brincar como direito e a gestão escolar na educação infantil. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 4, p. 2937-2962, out./dez. 2021. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15681. Acesso em: 10 out. 2021.

BRASIL. Constituição da república federativa do brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 10 jan. 2022.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1990. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 10 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 12 jan. 2022.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://www.basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 11 out. 2021.

CHRISTIANSEN, C. H.; TOWNSEND, E. A. The occupational nature of social groups. Introduction to occupation: The art and science of living, v. 2, p. 153-188, 2010.

CANASLAN-AKYAR, B.; SEVIMLI-CELIK, S. Playfulness of early childhood teachers and their views in supporting playfulness. Education 3-13, v. 50, n. 1, p. 1-15, mar./abr. 2021. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/citedby/10.1080/03004279.2021.1921824?scroll=top&needAccess=true. Acesso em: 21 out. 2021.

KEUNG, C. P. C.; FUNG, C. K. H. Buscando experiências de aprendizagem de qualidade para crianças pequenas por meio da aprendizagem lúdica: Como as crianças percebem a brincadeira. Early Child Development and Care, v. 191, n. 4, p. 583-597, 2021. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/03004430.2019.1633313. Acesso em: 21 out. 2021.

KISHIMOTO, T. M. Brinquedo e Brincadeira : Usos e significações dentro de contextos culturais. In: SANTOS. S. M. P. Brinquedoteca: O lúdico em diferentes contextos. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MONTESSORI, M. A mente da criança: Mente absorvente. Campinas, SP: Kírion, 2021.

PIAGET, J. Psicologia e Pedagogia. Tradução: Dirceu A. Lindoso e Rosa M. R. da Silva. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

REIS, M. L. S. Ludicidade na educação infantil: Aprendizagem e desenvolvimento no Centro de Educação Infantil em Codó, Maranhão. Revista Humanidades e Inovação, Palmas, v. 8, n. 34, p. 61-73, maio 2021. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/5037. Acesso em: 22 out. 2021.

REZENDE JÚNIOR, L. N. Aprendizagem lúdica, transdisciplinaridade e pedagogia de projetos em ambiente socioeducativo de restrição de liberdade. In: DE SÁ, A. V. M.; DE REZENDE JÚNIOR, L. N.; MIRANDA, S. Ludicidade: Desafios e perspectivas em educação. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2016.

VYGOTSKY, L. S. Imaginação e criatividade na infância. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2014.

Publicado

30/12/2022

Como Citar

COLETE, F. C. F. M.; MARIOTTI, M. C. O brincar na educação infantil e suas relações com a formação e visão dos professores: Uma revisão de escopo. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 4, p. 2794–2809, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i4.16200. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16200. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos