Influência das dimensões da autoeficácia e do background familiar dos estudantes do Brasil e de Portugal no desempenho da avaliação de leitura do Pisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.17682

Palavras-chave:

Autoeficácia, Background familiar, Desempenho em leitura, Avaliação, PISA

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar as dimensões da autoeficácia e determinar os impactos destas dimensões e do background familiar no desempenho em leitura dos estudantes do Brasil e de Portugal, que participaram da avaliação de leitura do PISA 2018. Para determinar tais dimensões (fatores), realizou-se uma Análise Fatorial Exploratória. Já o efeito das dimensões e do background familiar foi mensurado a partir de uma regressão linear múltipla. Os resultados indicam que a autoeficácia pode ser determinada por sete fatores, relacionados ao comportamento socioemocional do aluno. Além disso, concluiu-se que tanto a autoeficácia quanto o background familiar (escolaridade da mãe) afetaram positivamente o desempenho dos alunos. Logo, ressalta-se a importância do desenvolvimento de políticas públicas que promovam o desenvolvimento socioemocional dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Carlos da Conceição, Fucape Business School

Mestre em Administração – Linha Gestão Escolar.

Gercione Dionizio Silva, Fucape Business School

Doutor em Economia Aplicada.

Referências

ABBAS, K.; LOPES, A. K. Impacto dos fatores pessoais, institucionais e estilos de aprendizagem no desempenho acadêmico: uma análise com estudantes de contabilidade. Revista Catarinense da Ciência Contábil, v. 19, e3020, 2020.

ABED, A. L. Z. O desenvolvimento das habilidades socioemocionais como caminho para a aprendizagem e o sucesso escolar de alunos da educação básica. Construção psicopedagógica, v. 24, n. 25, p. 8-27, 2016.

AGUIAR, M. A. S. Reformas conservadoras e a “nova educação”: orientações hegemônicas no MEC e no CNE. Educação & Sociedade, v. 40, 2019.

ALHARTHI, M. Parental involvement in children's online education during COVID-19; A phenomenological study in Saudi Arabia. Early Childhood Education Journal, v. 51, n. 2, p. 345-359, 2023.

ALMEIDA, F. M. D. S.; CASSUCE, F. C. D. C.; CIRINO, J. F. Desempenho acadêmico na Universidade Federal de Viçosa, 2016.

ALVES, M. T. G.; SOARES, J. F.; XAVIER, F. P. Índice socioeconômico das escolas de educação básica brasileiras. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 22, p. 671-703, 2014.

ARAÚJO, M.; MOURA, O. Estrutura factorial da general self-efficacy scale (escala de auto-eficácia geral) numa amostra de professores portugueses. Laboratório de Psicologia, v. 9, n. 1, p. 95-105, 2011.

AUNOLA, K.; NURMI, J. E. The role of parenting styles in children’s problem behavior. Child Development, v. 76, n. 6, p. 1144-1159, 2005.

BANDURA, A. Self-efficacy: toward a unifying theory of behavioral change. Psychological review, v. 84, n. 2, p. 191, 1977.

BARROS, S. C. T. et al. A inclusão educacional e o envelhecimento: Análise crítica a partir do Programa Brasil Alfabetizado. 2019.

BARTHOLOMEU, D. et al. Habilidades sociais e desempenho escolar em português e matemática em estudantes do ensino fundamental. Temas em Psicologia, v. 24, n. 4, p. 1343-1358, 2016.

BARTLETT, M. S. Tests of significance in factor analysis. British Journal of Statistical Psychology, v. 3, n. 2, p. 77-85, 1950.

BOELENS, R.; DE WEVER, B.; VOET, M. Four key challenges to the design of blended learning: A systematic literature review. Educational Research Review, v. 22, p. 1-18, 2017.

BORGES, M. T.; AZONI, C. A. S. A literacia familiar no desenvolvimento de habilidades linguísticas e metalinguísticas de pré-escolares. Revista CEFAC, v. 23, 2021.

BORNSTEIN, M. H. Children's parents. John Wiley & Sons, Inc., 2015.

CARNOY, M. et al. A educação brasileira está melhorando? Evidências do Pisa e Saeb. Cadernos de Pesquisa, v. 45, p. 450-485, 2015.

CARVALHO, L. M. PISA, política e conhecimento em educação. Educação & Sociedade, v. 37, n. 136, p. 601-607, 2016.

COSTA, E.; AFONSO, N. Os instrumentos de regulação baseados no conhecimento: o caso do Programme for International Student Assessment (PISA). Educação & Sociedade, v. 30, p. 1037-1055, 2009.

COSTA, L. O.; ARRAES, R. D. A. Contrastes da política educacional entre escolas privadas e públicas. 2007.

CRAHAY, M.; BAYE, A. ¿ Hay escuelas justas y eficaces?. Cadernos de Pesquisa, v. 43, n. 150, p. 858-883, 2013.

CRONBACH, J. L. Coefficient alpha and the internal structure of tests. Psychometrika, v. 16, n. 3, p. 297-334, 1951.

DA COSTA, M. A. A.; DA SILVA, F. M. C.; DA SILVA SOUZA, D. Parceria entre escola e família na formação integral da criança. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades-Rev. Pemo, v. 1, n. 1, p. 1-14, 2019.

DA SILVA CAMILLO, E.; DE CASTRO FILHO, C. M. Evidenciando as intencionalidades do PNLL e PNL: políticas públicas do livro e leitura do Brasil e Portugal. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, v. 25, n. 1, p. 113-130, 2020.

DE SOUZA, A. F.; DE SOUSA, M. A.; MARQUES, J. P. Interação entre professor e família: a influência na aprendizagem dos alunos do 2 ano do ensino fundamental em escola pública. Revista Educação & Ensino, v. 4, n. 1, 2020.

DECONTO, D. C. S.; OSTERMANN, F. Treinar professores para aplicar a BNCC: as novas diretrizes e seu projeto mercadológico para a formação docente. Caderno brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 38, n. 3, p. 1730-1761, 2021.

DOS SANTOS, D. D.; BERLINGERI, M. M.; DE BRAGA CASTILHO, R. Habilidades socioemocionais e aprendizado escolar: evidências a partir de um estudo em larga escala. 2017.

ESTEBAN, M. T. Exigências democráticas/exigências pedagógicas: avaliação. Tecnologia Educacional, v. 29, n. 148, p. 3-6, 2000.

FERACO, T. et al. An integrated model of school students’ academic achievement and life satisfaction. Linking soft skills, extracurricular activities, self-regulated learning, motivation, and emotions. European Journal of Psychology of Education, v. 38, n. 1, p. 109-130, 2023.

FERNANDES, C. R.; MACHADO, A. G. C. Technology Transfer Capability: development dynamics in higher education institutions. Brazilian Business Review v. 16, n. 1, 2019.

FERNANDES, D. et al. Relações entre as políticas públicas e o desempenho de Portugal no PISA (2000-2015). Education Policy Analysis Archives, 2022.

FERNANDES, D.; GONÇALVES, C. Para Compreender O Desempenho Dos Alunos Portugueses No PISA (2000–2015). Políticas de avaliação, currículo e qualidade: Diálogos sobre o PISA, v. 3, p. 39-68, 2018.

FERNANDES, L. D. M. et al. Preditores do desempenho escolar ao final do ensino fundamental: histórico de reprovação, habilidades sociais e apoio social. Trends in Psychology, v. 26, p. 215-228, 2018.

FERREIRA JÚNIOR, S.; BAPTISTA, A. J.; LIMA, J. E. D. A modernização agropecuária nas microrregiões do Estado de Minas Gerais. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 42, p. 73-89, 2004.

FLORES, M. D. C. R. Percepciones de autoevaluación: Autoestima, autoeficacia y satisfacción vital en la adolescencia. Psychology, Society, & Education, v. 2, n. 1, p. 55-69, 2017.

FONSECA, J. R. F. et al. Associação dos fatores de estresse e sintomas depressivos com o desempenho acadêmico de estudantes de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 53, 2019.

GAO, F.; IZADPANAH, S. The relationship between computer games and computer self-efficacy with academic engagement: the mediating role of students’ creativity. Education and Information Technologies, p. 1-20, 2023.

GOMES, M. R. et al. Reproduction of Parental Occupations, Income and Poverty in Brazil. Social Indicators Research, p. 1-24, 2023.

GROSELJ, D. et al. A decade of proxy internet use: The changing role of socio-demographics and family support in nonusers’ indirect internet access to online services. The Information Society, v. 38, n. 4, p. 240-256, 2022.

GUIMARÃES, D. B.; ARRAES, R. A. Status socioeconômico, background familiar, formação educacional e as chances de sucesso dos candidatos ao vestibular da UFC. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 8, n. 2, pp. 81-94, 2010.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Bookman editora, 2009.

HOISL, K.; KONGSTED, H. C.; MARIANI, M. Lost Marie Curies: Parental impact on the probability of becoming an inventor. Management Science, v. 69, n. 3, p. 1714-1738, 2023.

HONGYU, K. Análise Fatorial Exploratória: resumo teórico, aplicação e interpretação. ES Engineering and Science, v. 7, n. 4, p. 88-103, 2018.

JERRIM, J.; VIGNOLES, A. The link between East Asian ‘mastery’ teaching methods and English children’s mathematics skills. Economics of Education Review, v. 50, p. 29-44, 2016. DOI: 10.1016/j.econedurev.2015.11.003.

JOLANDEK, E. G.; PEREIRA, A. L.; MENDES, L. O. R. Avaliação em larga escala e currículo: relações entre o PISA e a BNCC. Com a Palavra, o Professor, v. 4, n. 10, p. 245-268, 2019.

KAISER, H. F. The varimax criterion for analytic rotation in factor analysis. Psychometrika, v. 23, n. 3, p. 187-200, 1958.

KAISER, H. F. A Second generation little jiffy. Psychometrika, v. 35, p. 401-415, 1970.

KALAYCIOGLU, D. B. The influence of socioeconomic status, self-efficacy, and anxiety on mathematics achievement in England, Greece, Hong Kong, the Netherlands, Turkey, and the USA. Educational Sciences: Theory and Practice, v. 15, n. 5, p. 1391-1401, 2015.

KAMASAK, T. et al. An investigation of changing attitudes and behaviors and problematic Internet use in children aged 8 to 17 years during the COVID-19 pandemic. Clinical Pediatrics, v. 61, n. 2, p. 194-205, 2022.

LIMA, A. D. D. M.; FRANÇA, M. O financiamento da educação básica em Portugal e Brasil. FINEDUCA-Revista de Financiamento da Educação, v. 10, 2020.

LUO, W. et al. Do performance goals promote learning? A pattern analysis of Singapore students’ achievement goals. Contemporary Educational Psychology, v. 36, p. 165-176, 2011.

MARÔCO, J.; GARCIA-MARQUES, T. Qual a fiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas?. Laboratório de psicologia, v. 4, n. 1, p. 65-90, 2006.

MATOS, D. A. S.; FERRÃO, M. E. Repetência e indisciplina: evidências de Brasil e Portugal no Pisa 2012. Cadernos de Pesquisa, v. 46, p. 614-636, 2016.

MIRANDA, G. J. et al. Determinantes do desempenho acadêmico na área de negócios. Revista Meta: Avaliação, v. 7, n. 20, p. 175-209, 2015.

OLIVEIRA, A. R.; HORNUNG, C. D.; WISNIEWSKI, M. As implicações dos estilos parentais no desenvolvimento do sujeito. In: JORNADA CIENTÍFICA DOS CAMPOS GERAIS, 17., 2019, Ponta Grossa. Anais[...]. Ponta Grossa, 2019.

OLIVEIRA, D. A.; JORGE, T. S. As políticas de avaliação, os docentes e a justiça escolar. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 2, p. 346-364, 2015.

OLIVIER, E. et al. Student self-efficacy, classroom engagement, and academic achievement: Comparing three theoretical frameworks. Journal of youth and adolescence, v. 48, p. 326-340, 2019.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Knowedge and skills for life. First results from PISA 2000. Paris: OECD Publications, 2001

PAJARES, F. Gender and perceived self-efficacy in self-regulated learning. Theory into practice, v. 41, n. 2, p. 116-125, 2002.

PALERMO, G.; SILVA, D. B. N.; NOVELLINO, M. S. F. Fatores associados ao desempenho escolar: uma análise da proficiência em matemática dos alunos do 5º ano do ensino fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 31, n. 2, p. 367-394, jul./dez. 2014.

PERASSINOTO, M. G. M.; BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A. Estratégias de aprendizagem e motivação para aprender de alunos do Ensino Fundamental. Avaliação psicológica, v. 12, n. 3, p. 351-359 2013.

PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. Análise de dados para ciências sociais: complementaridade do SPSS. 4. ed. Lisboa: Edições Sílabo, 690, 2005.

PINTO, J.; NETO, T. B.; CARVALHO, J. Fatores influenciadores do desempenho de estudantes portugueses, singapurenses, holandeses, espanhóis e brasileiros em Literacia Matemática no PISA: Revisão Integrativa. REXE-Revista de Estudios y Experiencias en Educación, v. 18, n. 37, p. 41-60, 2019.

PINTRICH, P. R. A motivational science perspective on the role of student motivation in learning and teaching contexts. Journal of educational Psychology, v. 95, n. 4, p. 667, 2003.

PONS-SALVADOR, G. et al. Parents’ digital competence in guiding and supervising young children's use of the Internet. European Journal of Communication, v. 37, n. 4, p. 443-459, 2022.

SALOKANGAS, M.; KAUKO, J. Tomar de empréstimo o sucesso finlandês no PISA? Algumas reflexões críticas, da perspectiva de quem faz este empréstimo. Educação e Pesquisa, v. 41, p. 1353-1366, 2015.

SAMPAIO, B. et al. Desempenho no vestibular, background familiar e evasão: evidências da UFPE. Economia Aplicada, v. 15, p. 287-309, 2011.

SASSAKI, A. H. et al. Por Que o Brasil Vai Mal no PISA? uma análise dos determinantes do desempenho no exame. Insper. PolicyPaper, n. 31, 2018.

SCHLEICHER, A. PISA 2018: Insights and Interpretations. OECD Publishing, 2019.

SELAU, F. F. et al. Fontes de autoeficácia e atividades experimentais de física: um estudo exploratório. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 41, 2018.

SENA, B. C. S.; MURGO, C. S. Percepção de autoeficácia acadêmica e contexto escolar: o que dizem os estudantes do ensino médio?. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 41, 2021.

SENKEVICS, A. S.; CARVALHO, Marília Pinto de. Casa, rua, escola: gênero e escolarização em setores populares urbanos. Cadernos de Pesquisa, v. 45, n. 158, p. 944-968, 2015.

SILVA, G. D.; TEIXEIRA, E. C.; COSTA, L. V. Efeito das ações afirmativas no ensino superior público brasileiro. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 51, n. 1, 2021.

SOARES, A. B.; OLIVEIRA, M. B. D. Auto-eficácia, raciocínio verbal e desempenho escolar em estudantes. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 27, p. 33-39, 2011.

SOARES, J. F.; CANDIAN, J. F. O efeito da escola básica brasileira: as evidências do PISA e do SAEB. Revista Contemporânea de Educação, v. 2, n. 4, p. 163-181, 2007.

SORIA, C.; LAWTON, L. Connecting Fathers: Fathers’ Impact on Adult Children's Social Networks. The International Journal of Aging and Human Development, v. 96, n. 1, p. 19-32, 2023.

TARBONE, D. G.; FERREIRA, J. L. N.; PAVÃO, J. A. Percepção dos discentes do curso de administração sobre fatores internos da instituição, qualidade de vida e desempenho acadêmico. REA-Revista Eletrônica de Administração, v. 17, n. 2, p. 200-a, 2018.

TAUFIQ-HAIL, G. A.; SAREA, A.; HAWALDAR, I. T. The impact of self-efficacy on feelings and task performance of academic and teaching staff in Bahrain during COVID-19: Analysis by SEM and ANN. Journal of Open Innovation: Technology, Market, and Complexity, v. 7, n. 4, p. 224, 2021.

TEIXEIRA, M. O.; COSTA, C. J. Fontes de autoeficácia em estudantes do ensino superior. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 19, n. 2, p. 143-155, 2018.

TUOMINEN, H. et al. Motivation across a transition: Changes in achievement goal orientations and academic well-being from elementary to secondary school. Learning and individual differences, v. 79, p. 101854, 2020.

USHER, E. L.; PAJARES, F. Sources of self-efficacy in mathematics: A validation study. Contemporary educational psychology, v. 34, n. 1, p. 89-101, 2009.

UYSAL, N. K.; ARIKAN, Ç. A. Measurement invariance of science self-efficacy scale in PISA. International Journal of Assessment Tools in Education, v. 5, n. 2, p. 325-338, 2018.

VELLOSO, J. Curso e concurso: Rendimento na universidade e desempenho em um vestibular com cotas da UnB. NESUB e Faculdade de Educação da UnB, 2006.

VILLANI, M.; OLIVEIRA, D. A. Avaliação Nacional e Internacional no Brasil: os vínculos entre o PISA e o IDEB. Educação & Realidade, v. 43, p. 1343-1362, 2018.

WONG, Z. Y.; LIEM, G. A. D. Student engagement: Current state of the construct, conceptual refinement, and future research directions. Educational Psychology Review, p. 1-32, 2021.

YILDIRIM, E. D.; BLAKE, C.; ROOPNARINE, J. L. Does Preschool Education Moderate the Associations Between Paternal, Maternal, and Allocaregivers’ Engagement and Children’s Literacy and Social Skills in African Countries?. Early Education and Development, p. 1-18, 2023.

ZAMBON, M. P.; ROSE, T. M. S. D. Motivação de alunos do ensino fundamental: relações entre rendimento acadêmico, autoconceito, atribuições de causalidade e metas de realização. Educação e Pesquisa, v. 38, p. 965-980, 2012.

Publicado

14/08/2023

Como Citar

CONCEIÇÃO, J. C. da; SILVA, G. D. Influência das dimensões da autoeficácia e do background familiar dos estudantes do Brasil e de Portugal no desempenho da avaliação de leitura do Pisa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023051, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.17682. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17682. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos