O estudante surdo e a língua escrita

Entre modos de representação do pensamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18iesp.1.18475

Palavras-chave:

Surdez, Educação, Escrita, Modos de pensamento

Resumo

Considerando a atual conjuntura educacional dos sujeitos surdos, principalmente os inúmeros aspectos pertinentes à representação da escrita, verificamos que, por não receberem estímulos adequados ao seu potencial cognitivo, socioafetivo, linguístico e político-cultural, muitos desses estudantes têm sofrido perdas consideráveis no desenvolvimento da aprendizagem. Posto isso, este estudo visa contribuir para a compreensão de fatores que concorrem para a difícil relação do surdo com o desenvolvimento de produção de texto na escola com o objetivo de cooperar para o processo de alfabetização, levando em conta suas dificuldades e perspectivas. O enfoque da pesquisa é de ordem teórico-conceitual, por centrar-se na (re)construção de conceitos, ideias e ideologias necessários ao aprimoramento dos fundamentos teóricos já desenvolvidos sobre a temática. Os dados obtidos na investigação revelam que a dificuldade que o surdo enfrenta ao produzir textos escritos na escola está para além das metodologias e/ou ações pedagógicas empregadas no ensino da língua escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ezer Wellington Gomes Lima, Universidade Federal de Rondonópolis

Professor Adjunto UFR/ICHS. Doutor em Educação.

Luiz Antonio Gomes Senna, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professor Titular de Linguística Aplicada do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ/PROPED.

Referências

AZEVEDO. C. B; GIROTO. C. R. M; SANTANA. A. P. O. Produção científica na área da surdez: análise dos artigos publicados na Revista Brasileira de Educação Especial no período de 1992 a 2013. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, SP, v. 21, n. 4, p. 459-476, out./dez., 2015. Disponível em:https://www.scielo.br/j/rbee/a/mpNGysQxgYjSTzGXdCdZNcm/?lang=pt. Acesso em: 11 jul. 2022.

BRUNER, J. A cultura da educação. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

BRUNER, J. Realidade mental, mundos possíveis. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médica, 2002.

FERNANDES, E. Problemas linguísticos e cognitivos do surdo. Rio de Janeiro: Agir, 1989.

FERNANDES, S. F. Educação bilíngüe para surdos: identidades, diferenças, contradições e mistérios. 2003. 202 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2003.

FROMKIN, V.; RODMAN, R. Introdução à Linguagem. Tradução: Isabel Casanova. Coimbra: Editora Almedina, 1993.

GESUELI, Z. M. Lingua(gem) e identidade: a surdez em questão. Educação & Sociedade, v. 27, p. 277-292, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/3XVGL5KrfKmDVvvnRh5MXwL/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 25 jun. 2022.

GÓES, M. C. R. Linguagem, surdez e educação. Campinas, SP: Autores Associados, 1996.

LEBEDEFF, T. B. Aprendendo a ler “com outros olhos”: relatos de oficinas de letramento visual com professores surdos. Cadernos de Educação, Pelotas, RS, n. 36, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1606/1489. Acesso em: 27 jun. 2022.

LIMA, T. C. S.; PEREIRA, M. C. C.; MORAES, R. Influência da surdez no desenvolvimento motor e do equilíbrio em crianças. Brazilian Journal of Motor Behavior, 2011, v. 6, n. 1, p. 16-23. ISSN 1980-5586. Disponível em: http://www.socibracom.com/bjmb/index.php/bjmb/article/viewFile/25/22.

Acesso em: 05 jul. 2022.

LODI, A. C. B. et al. Letramento e minorias. Porto Alegre: Editora Mediação, 2002.

LODI, A. C. B.; LACERDA, C. B. F. Uma escola, duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Mediação, 2009.

MIDENA, M. C. M. O surdo e a escrita na clínica fonoaudiológica: um estudo de caso. Orientadora: Prof. Dra. Maria Fausta Cajahyba Pereira de Castro. 2004. 135 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Campinas, Campinas, SP, 2004.

NEVES, M. H. M. A gramática passada a limpo: conceitos, análises e parâmetros. SãoPaulo: Parábola, 2012.

QUADROS, R. M. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas. 1997.

SENNA, L. A. G. O Planejamento no ensino básico & o compromisso social da educação com o letramento. Educação e Linguagem. São José dos Campos, SP, p. 200-216, 2003. ISSN: 1415-9902. Disponível em: http://www.senna.pro.br/biblioteca/plan_letramento.pdf.

Acesso em: 12 abr. 2022.

SENNA, L. A. G. O Estatuto linguístico da língua Brasileira de sinais e a superação do estigma na educação de surdos. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, SP, v. 25, n. 3, p. 487-500, 2019. Disponível em:https://www.scielo.br/j/rbee/a/JX4fq7FNrrp86PRwNd8RmbM/?lang=pt. Acesso em: 12 jun. 2022.

SENNA, L. A. G. Bilinguismo cultural: da linguística à agenda de estudos em educação inclusiva. In: SENNA, L. A. G. Bilinguismo cultural: estudos sobre línguas em contato na educação brasileira. Curitiba: Appris, 2021. p. 15-36.

SILVA, M. P. M. A construção de sentidos na escrita do aluno surdo. São Paulo: Plexus Editora, 2001.

Publicado

19/09/2023

Como Citar

LIMA, E. W. G.; SENNA, L. A. G. O estudante surdo e a língua escrita: Entre modos de representação do pensamento. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. esp.1, p. e023076, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18iesp.1.18475. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/18475. Acesso em: 27 maio. 2024.