Sociologia da deficiência: vozes por significados e práticas (mais) inclusivas

Autores

  • Franco Ezequiel Harlos Doutorando em Educação Especial. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas – Pós-Graduação em Educação Especial. São Carlos – SP – Brasil. Integrante da Asociación Española de Sociología de la Discapacidad (ASESDIS). Professor. IFPR - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Foz do Iguaçu – PR – Brasil.
  • Fátima Elisabeth Denari Professor Associado do Departamento de Psicologia. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas. São Carlos – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v10i1.6560

Resumo

Na presente pesquisa objetiva-se sistematizar histórias e teorias associadas com a Sociologia da Deficiência, e identificar, nestes elementos sistematizados, vozes para repensar o significado da deficiência e práticas da Educação Especial. Para tanto, percorreu-se na pesquisa bibliográfica e documental 48 obras compiladas, primordialmente, da revista Disability and Society, da Asociación Española de Sociología de la Discapacidad e da base de dados do Centre of Disability Studies da Universidade de Leeds. As obras compiladas foram analisadas por meio de análise categorial. A primeira das categorias identificadas centra-se nas principais interpretações adotadas pelas Ciências da Saúde (paradigma médico) para pensar a deficiência; a segunda, em histórias associadas com a constituição da Sociologia da Deficiência - nos movimentos sociais que, em resposta às interpretações da deficiência adotadas pelas Ciências da Saúde, (re)significaram a deficiência e fundaram os Estudos da Deficiência (Disability Studies); e, a terceira, nas múltiplas faces teóricas da Sociologia da Deficiência e nos novos modelos de compreensão da deficiência. A sistematização do conteúdo desvelou um paradigma sociológico de interpretação da deficiência: este paradigma apresenta vozes por significados e práticas mais inclusivas.

Biografia do Autor

Franco Ezequiel Harlos, Doutorando em Educação Especial. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas – Pós-Graduação em Educação Especial. São Carlos – SP – Brasil. Integrante da Asociación Española de Sociología de la Discapacidad (ASESDIS). Professor. IFPR - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Foz do Iguaçu – PR – Brasil.

Doutorando e Mestre em Educação Especial/UFSCar, Sociólogo, Pedagogo, especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional, em Educação Especial e em Psicomotricidade Relacional. Integrante da Asociación Española de Sociologia de la Discapacidad (ASESDIS). Professor de Sociologia no Instituto Federal de Educação do Mato Grosso - Campus Sorriso (Dedicação Exclusiva).

 

Fátima Elisabeth Denari, Professor Associado do Departamento de Psicologia. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Centro de Educação e Ciências Humanas. São Carlos – SP – Brasil.

possui graduação em Estudos Sociais pela Associação de Escolas Reunidas de São Carlos (1976), graduação em Complementação Pedagógica pela Faculdade Sâo Luiz (1986), mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (1984) e doutorado em Metodologia do Ensino pela Universidade Federal de São Carlos (1997). Atualmente é professor associado junto ao departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos e professor e orientador de mestrado e doutorado junto ao Programa de Pós Graduação em Educação Especial. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: educação especial, educação inclusiva, sexualidade e deficiência e formação de professores.

Downloads

Publicado

19/05/2015

Como Citar

HARLOS, F. E.; DENARI, F. E. Sociologia da deficiência: vozes por significados e práticas (mais) inclusivas. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 10, n. 1, p. 180–196, 2015. DOI: 10.21723/riaee.v10i1.6560. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/6560. Acesso em: 25 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos